Loading

Super, Hipermercados, Logísticas da Grande Distribuição e Cadeias de Lojas Especializadas

O salário não chega para as “encomendas”.

O mês parece ter mais dias e o dinheiro dá para menos.

 

Isto não pode continuar assim, trabalhar cada vez mais, sem aumento dos salários e subsídios, opinião manifestada por muitos trabalhadores.

 

Trabalhadores/as das frentes de loja, das padarias, cozinhas, bares, talhos, armazéns e logísticas, dizem que é preciso “a malta” por um travão nesta exploração, nem que seja parando as lojas na semana do Natal.

 

O problema é de todos. Todos devemos discutir e decidir o que fazer em conjunto.

 

Participa no Inquérito!         + Informação

 

GREVE DOS TRABALHADORES DO CONTINENTE LOGÍSTICA DA MAIA - 18 DEZEMBRO

OS TRABALHADORES DO CONTINENTE LOGÍSTICA DA MAIA DECIDEM EM PLENÁRIO GREVE NO DIA 18 DE DEZEMBRO COM INÍCIO ÀS 17h00m ATÉ ÀS 17h00m DO DIA 19 DE DEZEMBRO


Os trabalhadores do Continente Logística da Maia, nos plenários realizados nos dias 10 e 11 de Dezembro de 2014, decidem fazer greve no dia 18 de Dezembro de 2014, dado que a empresa, no fundamental, rejeita todas as reivindicações apresentadas pelos trabalhadores que não têm aumento de salários há cerca de 4 anos, recusando-se a negociar o Caderno Reivindicativo subscrito por mais de 160 trabalhadores.

GREVE DOS TRABALHADORES DO LIDL NOS ENTREPOSTOS DA MARATECA, RIBEIRÃO E TORRES NOVAS - DAS 12H00 DO DIA 23 ATÉ ÀS 24H00 DO DIA 24 DEZEMBRO

GREVE DOS TRABALHADORES DO LIDL NOS ENTREPOSTOS DA MARATECA, RIBEIRÃO E TORRES NOVAS - DAS 12H00 DO DIA 23 ATÉ ÀS 24H00 DO DIA 24 DEZEMBRO

Os trabalhadores dos Entrepostos do Lidl da Marateca (Setúbal), Ribeirão (Braga) e Torres Novas (Santarém) decidiram avançar com pré-aviso de greve para estes locais de trabalho, por 36h, das 12h do dia 23 até às 24h do dia 24 de Dezembro de 2014.

 

Os trabalhadores contestam a posição da empresa de não negociar aumentos salariais e o caderno reivindicativo.

 + Informação

Trabalho suplementar e trabalho normal em dia feriado – Contratos colectivos de trabalho voltam a aplicar-se integralmente.

 

A Lei n.º 48-A/2014, de 31 de Julho, que procedeu à prorrogação, até 31 de

Dezembro de 2014, da suspensão da regulamentação colectiva de trabalho e das cláusulas de contratos de trabalho, que previssem acréscimos de pagamento de trabalho suplementar superiores aos estabelecidos pelo Código do Trabalho (art.º 268.º, na redacção da Lei n.º 23/2012) e também das que previssem a retribuição do trabalho normal prestado em dia feriado, ou descanso compensatório por essa mesma prestação, em empresa não obrigada a suspender o funcionamento nesse dia, cessa a sua vigência em 31 de Dezembro de 2014.

 

A aplicação desta Lei implicou um acréscimo de milhões de euros para as empresas que saíram directamente dos bolsos dos trabalhadores!

 

Assim, as cláusulas dos instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho e dos contratos de trabalho acima referidas retomarão a sua plena aplicação a partir de 1 de Janeiro de 2015.

 

As empresas terão de voltar a pagar o trabalho suplementar e o trabalho em dia feriado de acordo com os valores contemplados nas convenções colectivas de trabalho.

Subsídios de Férias e de Natal

O prolongamento do regime do pagamento fraccionado dos subsídios de férias e de Natal para o ano de 2014, constante no artigo 257.º do OE para 2014, aprovado pela Lei n.º 83-C/2013, de 31 de Dezembro, termina no próximo dia 31 de Dezembro de 2014.

 

Assim, a partir de 1 de Janeiro de 2015, o pagamento destes subsídios efectuar-se-á nos termos e nos prazos estabelecidos nos instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho, ou dos artigos 263.º e 264.º do Código do Trabalho, consoante os casos.

Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar toca a todos

As três organizações específicas da CGTP-IN (CIMH, Inter-Reformados e InterJovem) organizaram, no dia 10 de Dezembro, a Acção Pública "Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar", enquadra no âmbito do "Ano Europeu da conciliação entre a vida profissional e a vida familiar".

Foi numa das mais movimentadas ruas do Chiado, a Rua do Carmo, em Lisboa, que muitos dos transeuntes, alguns até estrangeiros, se juntaram a trabalhadores e activistas sindicais da CGTP-IN para ouvir experiências e relatos de casos reais de ataques patronais ao direito de conciliação entre a vida profissional e a vida familiar, bem como, desfechos positivos que resultaram da resistência e luta dos trabalhadores que afrontando as suas entidades patronais exigiram o cumprimento dos seus direitos. + Informação CGTP-IN

Greve dos trabalhadores das áreas de restauração do El Corte Inglés de Lisboa

O EL Corte Inglés recusa-se, sistematicamente, a resolver os problemas colocados pelos trabalhadores da restauração do Centro Comercial da António Augusto de Aguiar e Supercor Expo, em Lisboa.
Os trabalhadores, depois de muitas insistências com a
empresa, decidiram avançar para uma greve das 00 às 24 horas, todo o dia, 8 de Dezembro de 2014.
Os trabalhadores defendem os seus direitos e  condições de trabalho e dos consumidores dos bares e restaurantes. Pré-Aviso de Greve

É urgente o aumento dos salários e a melhoria das condições de trabalho dos trabalhadores do El Corte Inglés

Todos devemos defender as reivindicações
que levam à resolução das diversas situações que nos afectam:
Aumentos do salário em 1 euro/dia, subsídio de refeição para 6 euros/dia. Respeito pelo contrato colectivo de trabalho no que diz respeito a horários, categoria profissional, pagamento do complemento de seguro de acidentes de trabalho, feriados, férias... + Informação

Acidentes de trabalho mortais estão a aumentar

Ontem (2 de Dezembro), em Portugal, mais um trabalhador faleceu vítima de acidente de trabalho. A CGTP-IN lamenta profundamente a ocorrência destes acidentes de trabalho mortais e de todos aqueles que provocam graves lesões e traumas irrecuperáveis nos trabalhadores.

Segundo dados da ACT, até Novembro deste ano já tinham ocorrido 110 acidentes mortais. + informação  CGTP-IN

Marcha Nacional culmina em grande manifestação junto à Assembleia da República

Repudiamos a perseguição à Delegada Sindical do Pingo Doce das Torres da Luz

O CESP tem vindo a denunciar várias situações que
se passam na loja Pingo Doce das Torres da Luz,
nomeadamente do incumprimento do contrato
colectivo de trabalho (CCT) na elaboração dos
horários de trabalho e nos descansos semanais dos
trabalhadores e realizámos uma acção de denúncia
frente à Loja.
Esta denúncia e exigência do cumprimento das regras pela empresa, não foi bem aceite nomeadamente pelas chefias da loja, que procuram forma de afastar a delegada sindical. + Informação

Negociações ACT Brisa

Defender a contratação colectiva é lutar pela efectivação da democracia


O ataque contra a contratação colectiva, enquanto instrumento de distribuição da riqueza e de harmonização social no progresso, insere-se na ofensiva mais geral do Governo e do patronato contra os trabalhadores, e a própria democracia nas suas componentes política, económica,
social e cultural. + Informação

Trabalhadores do Comércio a Retalho do Algarve

NOVOS SALÁRIOS DESDE 1 de Abril de 2014

Trabalhadores do Comércio a Retalho do Algarve - NOVOS SALÁRIOS DESDE 1 de Abril de 2014

Foi concluído o processo que possibilita aos trabalhadores do sector, um crescimento dos salários, com retroactividade desde o passado dia 1 de Abril do ano em curso.

Em média, os salários cresceram 2% e todas as restantes matérias de expressão pecuniária (subsídios, etc.) mantiveram os valores que estavam em vigor, não sofrendo alteração.
Foi, como é do conhecimento geral, uma  negociação difícil que esbarrou no contínuo colar da situação de dificuldades que as empresas atravessam, à realidade da imposição do governo e das “troikas” de políticas de baixos salários e aumento brutal de impostos, que os trabalhadores vêm sentindo nos últimos anos. Folha Sindical com tabela salarial

Trabalhadores "oferecem" Cartão Refeição à Inditex

18 Nov - 8h30 - Sede da Inditex (Av. Fontes P. Melo, 49 em Lisboa)

Trabalhadores "oferecem" Cartão Refeição à Inditex

No passado dia 18 de Novembro, foi feita a entrega simbólica do cartão refeição na sede das empresas do grupo INDITEX em Portugal, para denunciar os problemas que causa aos trabalhadores e a falta de respostas às propostas de dialogo e de exigência de resolução dos problemas que afectam os trabalhadores do grupo.+ informação

APED diz que empresas ainda não têm proposta para aumentar salários e subsídios

Nos supermercados, hipermercados, logísticas e lojas especializadas da grande distribuição trabalha-se empobrecendo!

Foi isso que dissemos à APED, na reunião de 7 de Novembro, para retomar o processo negocial do CCT, obtendo como resposta que “não estão ainda preparados para apresentar uma proposta”.
+ Informação

Trabalhadores da FNAC: Defender e exercer os direitos - garantia de futuro

Trabalhadores da FNAC: Defender e exercer os direitos - garantia de futuro

O Secretariado Sindical Nacional da FNAC reuniu e fez um levantamento dos principais problemas nos locais de trabalho.
O cumprimento do Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) e das suas regras é um dos pontos fundamentais, em particular no que diz respeito à organização e duração dos horários de trabalho, matéria que continua a ser o centro de muitos dos problemas dos trabalhadores e motivo de descontentamento. + Informação

Faleceu JOSÉ MALAQUIAS PINELA, dirigente sindical do Comércio e Serviços e fundador da Intersindical em 1970

José Malaquias Pinela nasceu em Santiago do Cacém em 1935.
Filho de pai operário corticeiro e da construção civil e de mãe operária agrícola.
Aos dez anos de idade concluiu a 4ª classe. Aos catorze anos começou a trabalhar como operário corticeiro e da construção civil.
Aos quinze anos ingressa no MUD - Juvenil. Aos dezoito anos inscreve-se como militante do PCP de onde sai aos vinte e três anos.
Aos vinte e cinco anos começa a trabalhar no Comércio Retalhista em Lisboa.

Em Abril de 1970 conduziu o processo de conquista do então Sindicato dos Caixeiros de Lisboa ao controlo dos fascistas, e dirigiu, enquanto Presidente da Direcção, o processo de negociação dos Contratos Colectivos para os trabalhadores do comércio e a reivindicação da redução da jornada de trabalho de 48 para 44 horas semanais, com descanso nas tardes de sábado e dia de domingo (semana Inglesa).
Nesse processo de intensa luta, nas condições difíceis do Fascismo, protagonizou a manifestação de milhares de trabalhadores do Comércio a S. Bento, residência do chefe do governo fascista Marcelo Caetano, na noite de 15 de Março de 1971. OS algozes fascistas reprimiram duramente os trabalhadores.
Na sequência dos intensos combates travados, em conjunto com outros sindicatos conquistados por trabalhadores sérios e democratas, da oposição antifascista, em 1 Outubro de 1970, participa, enquanto Presidente do Sindicato, na convocação da reunião fundadora da Intersindical e passa a ser um activo participante das  reuniões Intersindicais.
Em 1973 ingressa no INE, actual ISEG, no curso de economia que finalizou em  1978.
Após o 25 de Abril de 1974, é designado pela Intersindical, com Canais Rocha e Jaime Félix, para a comissão que junto do Ministério do Trabalho elabora a legislação sindical.
Entre 1975 e 1985, é Secretário Geral e depois Assessor Económico da direcção Nacional da Federação Portuguesa dos Sindicatos do Comércio e Serviços (hoje FEPCES), tendo exercido papel destacado na reestruturação dos Sindicatos do
Comércio e Serviços e no apoio à Contratação Colectiva que veio a consagrar os direitos dos trabalhadores.
Em 1985, inicia a docência no ensino secundário tendo participado em diversas actividades internas da escola, incluindo a Presidência do Conselho Directivo.
Após uma vida muito preenchida, pela entrega a causas muito nobres como a defesa dos direitos dos trabalhadores e de cidadania e promoção do ensino e do saber, reformou-se em 2005.
José Malaquias Pinela deu um contributo indelével à causa da luta dos  trabalhadores e do povo, pela dignificação e libertação da opressão e exploração capitalista.
Lisboa, 6 de Novembro de 2014
A Direcção Nacional da FEPCES

Falecimento José Malaquias Pinela.pdf
Documento Adobe Acrobat [92.9 KB]
Baixar

Banco de Horas C&A - Trabalho a mais não remunerado!

A C&A, usando o Código do Trabalho, está a tentar aplicar o banco de horas individual, promovendo através das chefias das lojas a adesão dos trabalhadores.

Os trabalhadores devem rejeitar o banco de horas através duma das declarações do verso, no prazo de 14 dias a contar da data de entrega ou afixação da comunicação da empresa.
O CESP fornece a declaração de rejeição do banco de horas, em suporte de papel, através dos delegados,
dirigentes e delegações e ainda o disponibiliza no ficheiro que se segue.
A declaração de recusa deve ser entregue imediatamente à empresa (ficar com cópia).  Folha sindical com minutas para recusa do banco de horas

Folha sindical com minutas para recusa do banco de horas
Folha Sindical C&A - Recusa de Banco de
Documento Adobe Acrobat [599.1 KB]
Baixar

Acções de denúncia nas lojas do Pingo Doce

O CESP efectuou, dia 10 de Novembro, acções de denúncia em duas lojas do Pingo Doce de Lisboa que não respeitam os direitos dos trabalhadores e não cumprem o contrato colectivo de trabalho.

Apesar dos protestos dos trabalhadores e da exigência do CESP de que sejam cumpridas as normas do CCT, o Pingo Doce mantém o desrespeito  pela organização dos horários de trabalho e descansos semanais, pressionando os trabalhadores que protestam. + informação

IZIBUILD  COM  SALÁRIOS  EM  ATRASO

Depois de sucessivas vagas de encerramentos e despedimentos, a Izibuild há vários meses que não paga, com pontualidade, os salários aos trabalhadores das lojas e serviços centrais que ainda mantém a funcionar.

 

Amanhã, 11 de Novembro, pelas 14 horas realiza-se na sede no Casal do Marco – Seixal, uma reunião, solicitada pelo CESP, para exigir o cumprimento da legalidade e o pagamento dos salários.

 

Os trabalhadores da região vão acompanhar a reunião concentrando-se na loja do Casal do Marco, exigindo o pagamento dos salários.

Pelo Aumento Geral dos Salários!

Concentração de Trabalhadores da Grande Distribuição - 13 Nov 2014 - Lisboa

Porque:
Desde 2010, os salários e subsídios contratuais não são actualizados.
As empresas “descartam” milhares de trabalhadores, aumentam ritmos, cargas e horários de trabalho, vendas e produtividade.
A carga brutal de impostos e o aumento dos
preços “comeram” o poder de compra dos salários.

+ Informação

GREVE AO TRABALHO SUPLEMENTAR PRESTADO EM DIAS ÚTEIS, DIAS DE DESCANSO SEMANAL E FERIADOS ATÉ 31/07/2014

Pré aviso Greve.pdf
Documento Adobe Acrobat [85.0 KB]
Baixar

O presente pré-aviso de greve substitui o anterior e mantém os objectivos da greve:

- Lutar contra a redução do valor das horas suplementares!

- Lutar contra o trabalho gratuito nos dias feriados!

- Lutar pelo cumprimento das disposições da contratação colectiva!


Garante os teus direitos. Sindicaliza-te
CESP Notícias
Inquérito / Denúncia
Garante os teus direitos. Sindicaliza-te
Interjovem - CESP Jovem
Aplicação CESP para Telemóvel
Contactos CESP
CGTP-IN
Seguradora Liberinter
A luta pela redução dos horários de trabalho

_