PLURICOOP declarada insolvente no passado dia 20 de Junho 2016 pela Secção do Comércio - J2 da Comarca de Setúbal - Trabalhadores vão reclamar os créditos

A Secção de Comércio - J2, da Comarca de Setúbal, em 20 de Junho de 2016,  publicou no Citius, um Edital informando que no Processo 4029/16.9.T8, STB, foi  declarada a Insolvência da Pluricoop, nomeado o Administrador de Insolvência:  Nuno Miguel Nascimento Lemos, fixado em 30 dias o prazo para reclamação de  créditos e convocada uma Assembleia de Credores para 19 de Setembro de 2016, pelas 10,30 horas na Secção Comércio da Comarca de Setúbal, em  Setúbal.
Face a estas decisões do Tribunal, os trabalhadores da Pluricoop têm de reclamar, de novo, os seus créditos até 19 de Julho.

O Cesp vai informar e organizar, neste curto período de tempo, o processo  complexo para a nova reclamação dos créditos, em reuniões de trabalhadores  que aqui se convocam.
Os trabalhadores da Pluricoop têm de colaborar no processo para se conseguir,  este curto espaço de tempo, calcular e organizar de novo o processo de  reclamação dos créditos de todos. + informação

Trabalhadores das Misericórdias não aceitam o desrespeito pelo direito à negociação colectiva

O CESP repudia todas as acusações de não querer negociar e exige respostas às suas propostas de Acordos de Empresa enviadas para as diferentes instituições, em Junho de 2015, e a negociação das condições de trabalho, sem perda de direitos e com aumentos salariais.

 

+ informação

Além de não responder às reivindicações dos trabalhadores da empresa constantes do Caderno Reivindicativo entregue à empresa Pingo Doce/Jerónimo Martins em Março, recusa reunir com o CESP.

 

Mesmo convocada duas vezes pelo Ministério do Trabalho/DGERT, a empresa recusa reunir com o CESP, preferindo arriscar pagar uma coima por contraordenação grave a discutir a satisfação das justas reivindicações dos trabalhadores.+ informação

CONVOCADO PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO / DGERT, PINGO DOCE NÃO QUER DISCUTIR OS PROBLEMAS E REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES E RECUSA REUNIR COM O CESP

O CESP requereu à DGERT / Ministério do Trabalho a convocação de reunião com o Pingo Doce, tendo a DGERT convocado a empresa e o CESP para reunião no dia 18 de Maio, reunião a que o Pingo Doce informou que não iria, e em 2ª convocatória para dia 27 de Maio.

 

O Pingo Doce mais uma vez mostra o seu total desrespeito pelos trabalhadores e pelos seus direitos e anseios e recusou comparecer na reunião no Ministério do Trabalho / DGERT com o CESP.

 

Os trabalhadores e o CESP continuarão a exigir respostas da empresa às propostas apresentadas de aumento dos salários e subsídio de refeição, valorização da carreira dos operadores de armazém, passagem a efectivos dos trabalhadores com vínculos precários, anulação do banco de horas, fim às pressões e assédio moral aos trabalhadores e à estrutura sindical, condições de trabalho dignas nomeadamente na área da saúde e segurança no trabalho e cumprimento do Contrato Colectivo de Trabalho e da lei em muitas matérias de que se destaca a desregulação dos horários de trabalho e a protecção da maternidade e paternidade, entre outras. + informação

Nota Imp CESP - Pingo Doce recusa reunir
Adobe Acrobat Document 72.8 KB

GRUPO ESPANHOL DIA% DETENTOR DAS LOJAS MINIPREÇO RETALIA ILEGALMENTE OS TRABALHADORES QUE ADERIRAM À GREVE NO DIA 1º MAIO COM TRANSFERÊNCIA COMPULSIVA DE LOJA

O CESP- Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, após discussão e consulta aos trabalhadores do Dia/Minipreço, decretou GREVE (dia 1º de Maio-lojas e dia 2 de Maio - Armazém de Torres Novas), para todos os trabalhadores que entendessem aderir à luta que pretendia por um lado, salvaguardar o respeito pelo Dia Internacional do Trabalhador e por outro, lutar contra a actual situação de verdadeiro terrorismo psicológico, discriminações salariais, perseguições e faltas de respeito perpetrados por vários quadros da empresa a nível nacional.

 

Tendo-se verificado uma larga adesão dos trabalhadores, com mais de uma centena de lojas encerradas, a Direcção da empresa reincidiu no ataque a mais um direito dos trabalhadores, o direito à greve, e a confirmação da violação de direitos chegou na passada 6ª feira, com a entrega de comunicações de transferência de loja a vários trabalhadores da loja da Charneca da Caparica – Almada.

 

Os trabalhadores e o CESP demonstraram o seu repúdio e indignação promovendo uma concentração no dia 18 de Maio, junto à loja da Charneca da Caparica.

Trabalhadores do Grupo Sonae lutam por melhores condições de vida e de trabalho

O CESP realizou no dia 20 de Maio uma concentração junto à sede da Sonae para denunciar toda a situação com que os trabalhadores deste grupo são confrontados todos os dias na maior parte dos locais de trabalho e para reivindicar aumento dos salários, o que já não acontece há mais de 6 anos.

 

Os principais problemas que os trabalhadores denunciam e reclamam são:

  • Aumento dos salários para todos;
  • Progressão na carreira para todos os trabalhadores dos armazéns;
  • Fim à pressão e ao assédio moral aos trabalhadores, que é constante;
  • Passagem a efectivos dos trabalhadores com vínculos precários;
  • Horários regulados no respeito pelo contrato colectivo e pelo direito à conciliação entre a vida profissional e a vida pessoal;
  • Cumprimento da regras de Higiene, Segurança e Saúde nos locais de trabalho.

Trabalhadores do Jumbo de Matosinhos, no dia 20 de Maio, denunciaram as suas condições de trabalho e exigiram o aumento dos salários

Trabalhadores do Jumbo de Matosinhos realizaram, no dia 20 de Maio, uma acção de denúncia à porta da loja para denunciar a pressão e o assédio moral que os trabalhadores são vítimas, exigir o aumento dos salários, fim da discriminação salarial entre trabalhadores com a mesma categoria salarial, fim aos horários desregulados e respeito pelos trabalhadores.

 

Liga de Clubes de Futebol Profissional, quer excluir os trabalhadores dos Clubes do âmbito de aplicação do Contrato Colectivo de Trabalho

Depois da Liga de Clubes de Futebol Profissional ter denunciado o Contrato Colectivo de Trabalho, decorreram já várias reuniões de negociação.

 

Na última reunião, a Liga de Clubes de Futebol Profissional declarou não estar disponível para continuar com o processo negocial sem que ficasse claro que os sindicatos aceitavam a exclusão de todos os trabalhadores dos clubes, empresas comerciais e bingos, do âmbito de aplicação do Contrato Colectivo de Trabalho, ou seja, a Liga de Clubes de Futebol Profissional pretende que o Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) se aplique apenas aos trabalhadores das Sociedades Desportivas e Sociedades Anónimas Desportivas, deixando de fora todos os outros trabalhadores que lutaram para a existência deste CCT e a quem o mesmo se aplicou desde sempre.  + Informação

 

Os Trabalhadores dos Clubes de Futebol Profissional em Luta concentraram-se no dia 16 de Maio à porta da LCFP, no Porto

Nota à imprensa.pdf
Adobe Acrobat Document 44.2 KB

Trabalhadores do Dia Minipreço em GREVE pela satisfação das suas reivindicações, nomeadamente o aumento dos salários, contra as discriminações, respeito pelos direitos legais e contratuais e pelo encerramento das lojas no dia 1º de Maio

Grande adesão dos Trabalhadores do Dia Minipreço à greve convocada pelo CESP para exigir o aumento dos salários sem discriminações para todos os trabalhadores, o fim das perseguições e assédio aos trabalhadores, a satisfação das suas reivindicações:

 

Do apuramento até ao momento (ainda só nos distritos de Lisboa, Porto e Setúbal):

 

Distrito de Lisboa: encerradas as Lojas Dia / Minipreço de Chelas 1, Chelas 2, Morais Soares, General Roçadas, Graça, Olaias, Olivais, Alvalade, Sacavém.

 

Distrito do Porto: encerradas as Lojas Dia / Minipreço de S. Mamede da Infesta, Padrão de Légua, Miguel Bombarda, Arca de Água, Vila Deste (Gaia)

 

Distrito de Setúbal: Miratejo 1,Miratejo 2, Laranjeiro, Cova da Piedade 1, Cova da Piedade 2, das 5 lojas de Almada 4 encerraram, Paio Pires, Torre da Marinha

 

Em muitas lojas Dia/Minipreço foram cometidas ilegalidades e violado o direito à greve com trocas de horários dos trabalhadores para substituir os trabalhadores em greve que estamos já a denunciar à Autoridade para as Condições de Trabalho - ACT.

Nota à Imprensa - Armazém Dia Minipreço
Adobe Acrobat Document 64.3 KB

A Direcção Nacional do CESP saúda todos os trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços neste Dia Internacional do Trabalhador.

Dia de Festa mas também de Luta pela satisfação dos seus anseios e aspirações a uma vida melhor. No respeito pelos seus direitos conquistados, pela luta de muitas gerações, e que o 1º de Maio simboliza, pela efectiva mudança de rumo no nosso país, com uma política de esquerda e soberana que garanta o emprego, a contratação colectiva, salários dignos, respeito pelos direitos, por horários de trabalho que permitam a conciliação da vida profissional com a vida pessoal e familiar, por serviços públicos de qualidade para todos!

 

Avançar pela mudança – construir o futuro!

Pre aviso de greve 1.º Maio - 2016.pdf
Adobe Acrobat Document 105.4 KB
Folha sindical 1º Maio 2016.pdf
Adobe Acrobat Document 917.6 KB

Desrespeito das empresas pelo 1º de Maio Dia Internacional do Trabalhador

Os trabalhadores do comércio e serviços, uma vez mais, são confrontados neste 1º de Maio de 2016 com a afronta de muitas empresas que não respeitam o Dia Internacional do Trabalhador, o seu simbolismo como data histórica da luta dos trabalhadores em todo o Mundo, e decidiram abrir os estabelecimentos neste dia. Disso são lamentável exemplo muitas empresas da Grande Distribuição como é o caso do Pingo Doce, Continente, Auchan – Jumbo e Pão de Açúcar, Dia Minipreço, entre outras.

 

O CESP Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal emitiu um pré-aviso de greve para este dia 1º de Maio de 2016, para que os trabalhadores possam não ir trabalhar e as empresas, mais uma vez violam o direito dos trabalhadores à greve, substituindo trabalhadores em greve, mudando horários e descansos/folgas, desrespeitando o contrato colectivo de trabalho e a lei!

 

O Pingo Doce, uma vez mais também, para demonstrar bem a sua prepotência, arrogância e desprezo pelo direito dos trabalhadores e pelo simbolismo do 1º de Maio, volta a fazer grandes promoções de produtos neste dia.

Trabalhadores do Pingo Doce continuam em luta para exigir respostas da empresa ao Caderno Reivindicativo e denunciam desrespeito do Pingo Doce/Jerónimo Martins pelos  seus direitos e dignidade

Depois da Concentração de activistas no dia 21 de Abril frente à empresa, os trabalhadores do Pingo Doce continuam em luta e realizam de 26 a 30 de Abril, uma Semana de Luta e Denúncia Pública da ausência de resposta da empresa às justas reivindicações entregues em Fevereiro:
- Aumento dos salários e subsídios;
- Condições de trabalho dignas;
- Correcção das categorias profissionais dos operadores de armazém;
- Horários regulados que respeitem o CCT e a conciliação entre a vida profissional e a vida pessoal e familiar;
- Passagem a efectivos dos trabalhadores com vínculos precários;
- Condições de SST nos locais de trabalho;
- Fim das pressões, repressão e assédio moral aos trabalhadores.

Os trabalhadores protestam, ainda, contra a abertura dos estabelecimentos no 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador. O Pingo Doce além de abrir no 1º de Maio afrontando o direito dos trabalhadores a comemorarem o seu dia, ainda quer alterar horários e descansos em violação do contrato colectivo!

Realizam-se acções nas lojas:

Dia 26 de Abril:
- Pingo Doce de Espinho às 12,30 horas
- Pingo Doce de Alvor às 13 horas
- Pingo Doce de Lagoa às 15 horas

Dia 27 de Abril:
- Pingo Doce da Urbanização dos Caliços, Albufeira às 14,30 horas
- Pingo Doce da Quinta da Correria, Albufeira às 16 horas

Dia 28 de Abril:
- Pingo Doce dos Olivais II, Lisboa às 11,30 horas

Dia 29 de Abril:
- Pingo Doce da Covilhã às 10,30 horas

- Pingo Doce da Baixa de Coimbra às 12 horas

Dia 30 de Abril:
- Pingo Doce de Matosinhos Sul Porto às 11 horas

Resolução Pingo Doce - 21-04-2016.pdf
Adobe Acrobat Document 90.9 KB

Trabalhadores do Dia/Minipreço em luta!

O CESP - Sindicato do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal e a Comissão Sindical, vêm desta forma dar conhecimento à opinião pública dos graves problemas que os trabalhadores do grupo Dia%/Minipreço estão a passar.

 

Terrorismo psicológico, perseguições e falta de respeito sobre os trabalhadores perpetrados por um Director de vendas e por um Coordenador. + informação

Pré aviso de greve Dia Minipreço Armazém
Adobe Acrobat Document 90.0 KB
Pré aviso de greve Dia Minipreço 2016.p
Adobe Acrobat Document 91.5 KB

Reposição dos feriados confirma que vale a pena lutar!

Reposição dos feriados confirma que vale a pena lutar!

A reposição dos 4 feriados, eliminados pelo anterior Governo do PSD-CDS, constitui uma medida de justiça social e é o resultado prático da luta desenvolvida pelos trabalhadores e trabalhadoras nos últimos anos.

 

 

Os quatro feriados repostos para vigorarem já este ano (Corpo de Deus, Implantação da República, Todos os Santos e Restauração da Independência) têm um significado histórico, político e/ou religioso por serem datas marcantes do país, da nossa identidade, cultura e valores históricos. + informação

A DESREGULAÇÃO E A PRECARIEDADE AUMENTARAM NO GRUPO MODELO CONTINENTE HIPERMERCADOS

A DESREGULAÇÃO E A PRECARIEDADE AUMENTARAM NO GRUPO MODELO CONTINENTE HIPERMERCADOS

A estrutura sindical da empresa reuniu recentemente para fazer o balanço dos problemas colocados numa reunião realizada em Novembro de 2015 com a DRH do Modelo Continente, Dr.ª Marta Azevedo e concluímos
que continua tudo praticamente na mesma.


O descontentamento é geral, a precariedade aumentou, em muitas situações a empresa só admite trabalhadores em regime de part-time e noutras situações admitem trabalhadores de empresas de trabalho temporário criando uma grande instabilidade. + informação

É inadmissível a ausência de resposta do Pingo Doce às reivindicações dos trabalhadores

É inadmissível a ausência de resposta do Pingo Doce às reivindicações dos trabalhadores

É inadmissível a ausência de resposta do Pingo Doce às reivindicações dos trabalhadores

 

Até agora o Pingo Doces “não se dignou” dar resposta ao Caderno Reivindicativo dos Trabalhadores para 2016 que foi enviado em 4 de Fevereiro com pedido de reunião!

 

O Comportamento desta empresa que se diz tão preocupada com os trabalhadores, é acompanhado pelas inúmeras violações do Contrato Colectivo de Trabalho e da Lei que os trabalhadores e o CESP têm denunciado... + informação

Novos salários e subsídios no Comércio Retalhista de Viana do Castelo em vigor desde 1 de Março de 2016

Novos salários e subsídios no Comércio Retalhista de Viana do Castelo em vigor desde 1 de Março de 2016

O CESP concluiu, com um acordo, a negociação de revisão do contrato colectivo de Trabalho (CCT) para o Comércio a Retalho de Viana do Castelo.

 

A Negociação do CCT é considerada como positiva, já que para além do aumento dos salários e subsídios, consagra a criação de um subsídio para quem trabalha ao domingo, a integração de novas categorias profissionais da área das Agências Funerárias, a Clarificação dos horários de trabalho e descansos semanais, bem como, do complemento do subsídio de doença.

 

Importa agora aguardar a publicação no Boletim do Trabalho e Emprego (BTE, para que os novos valores dos salários e subsídios sejam aplicados nas empresas. + informação

Processo de insolvência do grupo Alicoop, Alisuper, Macral correu e foi homologado pelo Tribunal de Silves, sem contestação, em 13 de Março de 2012, desobrigou os trabalhadores em relação às dívidas contraídas, para financiar o Grupo, no BPN agora BIC

Informação aos trabalhadores da Alicoop
Nota sobre Grupo ALICOOP.pdf
Adobe Acrobat Document 494.6 KB

EL CORTE INGLÉS COMEÇA FINALMENTE A IMPLEMENTAR AS ESCALAS DE MÁXIMO DE 5 EM VEZ DE 6 DIAS SEGUIDOS DE TRABALHO, MAS COM MUITA RELUTÂNCIA E DISCRIMINAÇÃO!

EL CORTE INGLÉS COMEÇA FINALMENTE A IMPLEMENTAR AS ESCALAS DE MÁXIMO DE 5 EM VEZ DE 6 DIAS SEGUIDOS DE TRABALHO, MAS COM MUITA RELUTÂNCIA E DISCRIMINAÇÃO!

A luta dos trabalhadores do El Corte Inglés contra a imposição dos 6 dias seguidos de trabalho começa a dar resultados.


A empresa finalmente começou a alterar a rotatividade das folgas e a pôr em prática a NOSSA proposta (da Comissão Sindical do CESP) de rotatividade de folgas, com o máximo de 5 dias de trabalho seguidos e acabando com os 6 dias de trabalho desumanos.


+ Informação

Lidl comunica formalmente o aumento dos salários dos operadores em 35 euros mensais a partir de Março de 2016.

Lidl comunica formalmente o aumento dos salários dos operadores em 35 euros mensais a partir de Março de 2016.
Depois do aumento do salário mínimo de entrada na empresa e a sua fixação em Janeiro de 2016 nos 600 euros, Lidl comunica agora o aumento dos salários dos operadores de I (nível II no regulamento interno) e dos operadores especializados (nível III do regulamento interno) em 35 euros mensais e a sua fixação, respectivamente em 690 e 790€. Mais informação

Trabalhadores da Alisuper em luta

Em luta pelos postos de trabalho e pelos seus direitos, os trabalhadores da Alisuper (N&F, Grupo Nogueira) realizam no dia 10 de Março uma concentração frente à Loja da Alisuper em Silves. (Notícia/vídeo em http://www.rtp.pt/play/p470/e227691/portugal-em-direto [ao minuto 18h32])

 

Depois dos credores terem chumbado o plano de reestruturação (PER) dos ex-Alisuper (Grupo N&F - Distribuição Alimentar, S.A.), a cadeia de supermercados enfrenta novamente uma insolvência, na qual os trabalhadores terão de reclamar os seus créditos junto do Administrador de Insolvência, até ao próximo dia 29 de Março). + informação

El Corte Inglés define salário mínimo para 600€

No comércio da grande distribuição mais uma grande empresa anunciou, por escrito aos trabalhadores, que o salário mínimo na empresa passa para os 600€.

DHL viola a lei e quer alterar horários de trabalho prejudicando os trabalhadores

A Comissão Sindical manifestou oposição à imposição de alteração de turnos e horários concentrados, porque:

 

- A deslocação dos trabalhadores seria muito difícil devido à deficiente rede de horários dos transportes públicos;

 

- Mesmo sendo a adesão a tais horários voluntária, a alteração de horário terá graves consequências para a vida dos trabalhadores da empresa, ... Mais informação

Makro/Grupo Metro obriga trabalhadores a aceitar cartão refeição e com isso descapitaliza a Segurança Social

Nenhum trabalhador é obrigado a aceitar o cartão refeição.

 

A Makro quer alterar a forma de pagamento do subsídio de refeição aos seus trabalhadores para com isso reduzir os seus custos com as contribuições para a Segurança Social.

 

A empresa andou nos locias de trabalho a assediar os trabalhadores. Servindo-se das costumadas ameaças veladas, deixou clara a ideia da sua vontade: "ou aceitas o cartão, ou deixas de receber o subsídio de refeição", num claro desrespeito pelas regras e direitos dos trabalhadores, esquecendo-se da sua responsabilidade social. Mais informação

XIII Congresso CGTP-IN: um dos maiores e mais participados

O XIII Congresso da CGTP-IN, realizado nos dias 26 e 27 de Fevereiro de 2016, reuniu delegados sindicais de vários pontos do país e de todos os sectores de actividade, representantes de delegações sindicais estrangeiras, convidados institucionais, deputados dos partidos políticos com representação na Assembleia da República e personalidade diversas da nossa praça política, económica e social. CGTP-IN Mais informação

Trabalhadores da FNAC: Unidos em torno das nossas justas reivindicações!

A organização  dos horários continua a ser a questão central dos problemas dos trabalhadores e a razão do seu justo  descontentamento;

 

Cumprir o Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) e as regras que orientam a organização e duração dos trabalhadores e razão do seu justo descontentamento. + informação

Melhorar as condições de trabalho, salários, acabar com a discriminação dos subsídios de refeição e horários feitos em “cima do joelho”

No passado dia 15 de Dezembro, teve lugar a primeira reunião de conciliação no Ministério do Trabalho, tendo como objecto a proposta de Acordo Colectivo de Trabalho Inditex.

O CESP defendeu a negociação do Acordo Colectivo de Trabalho, à semelhança também do que a Inditex negociou em Espanha, para regular e melhorar as nossas condições de trabalho no grupo. +Informação

Os trabalhadores do Continente Logística estiveram em Greve nos dias 21, 22 e 23 de Dezembro

Greve na Logística da Sonae da Azambuja:

Greve na logística da Sonae da Maia:

Os trabalhadores lutam:

  •  Pelo aumento dos salários e nivelamento dos salários dos trabalhadores dos armazéns com os das Lojas;
  • Pela resolução dos problemas que afectam os trabalhadores e melhoria das suas condições de trabalho;
  • Pela integração imediata de todos os trabalhadores em situação de trabalho temporário no quadro da SONAE, deixando assim de ser vítimas de todo o tipo de atropelos e discriminações.

Após sucessivas reuniões, os responsáveis pelos recursos humanos e outros têm boas palavras, mas apenas resolvem lentamente pequenas questões, nada de essencial muda ou é resolvido depois das reuniões.

No Pingo Doce os trabalhadores reclamam melhoria das condições de trabalho, respeito nos locais de trabalho e aumento dos salários e subsídios para todos em 2016

O Pingo Doce - nas lojas e nos armazéns - continua a desrespeitar os trabalhadores:
Mais uma vez, não houve aumento dos salários e subsídios.
Houve, isso sim, “ajustamentos salariais” discriminatórios, processados com o salário de Agosto, sem qualquer informação da empresa sobre critérios ou valores.
Continuam as alterações, muitas  vezes diárias, aos horários “oficiais”, recorrendo aos “horários de bolso” e o não cumprimento, em muitos locais de trabalho, da afixação dos horários com 30 dias de antecedência.

 

Nos horários de Dezembro, em muitas lojas, foram (ilegalmente) postos em dia de descanso no dia de Natal a maioria dos trabalhadores, quando a empresa encerra nesse dia!

 

O CESP está já a intervir nessas lojas para alterar esta situação de incumprimento e impedir que seja roubado um dia de descanso. Alertamos os trabalhadores para
não aceitarem esta imposição.

 

+ informação

15 de Dezembro - Reunião de conciliação para a negociação do Acordo Colectivo de Trabalho Inditex no Ministério do Trabalho

A Inditex não respondeu à proposta de ACT (Acordo Colectivo de Trabalho) apresentada pelo CESP, em representação dos trabalhadores de todas as “marcas” do Grupo.


A primeira reunião do Processo de Conciliação está marcada para 15 de Dezembro, na DGERT, em Lisboa.

 

Acabar com as discriminações no pagamento do Subsídio de Refeição!

A Inditex não paga nada a alguns trabalhadores, a outros paga 3, 4, 5 ou 6,83 Euros/dia de subsídio de refeição. 


TODOS TÊM OS MESMOS DIREITOS E NÃO PODEM SER DISCRIMINADOS.

Exige-se que todos, recebam o subsídio de refeição igual, de 6,83 Euros/dia.

+ informação

El Corte Inglés:

Queremos horários humanizados!

Queremos aumento dos salários e subsídios!

Continua a imposição dos horários  com descanso semanal ao final de 6 dias extenuantes de trabalho!


Esta rotatividade de 6 dias, provoca desnecessariamente mais desgaste físico e psicológico, agravado sempre que há trabalho a mais, como acontece na época do Natal.


Os salários degradaram-se, por  efeito da brutal carga fiscal e do aumento dos preços, e o subsídio de refeição já vão 14 anos sem actualização. + informação

Continente: Os problemas e as pressões nas lojas aumentam todos os dias!

No passado dia 6 de Novembro de 2015 o sindicato realizou uma reunião com a Directora dos Recursos  Humanos, Dr.ª Marta Azevedo, onde  foram debatidos alguns problemas que preocupam os trabalhadores.

 

Das matérias discutidas salientamos:

 

■ Assédio Moral 

■ Horários de Trabalho

■ Inventários

■ Precariedade

■ Acidentes de Trabalho e outras questões. Folha sindical

Responsáveis do Grupo Inditex fogem às suas responsabilidades mas o CESP requereu ao Ministério do Trabalho a conciliação para a negociação do Acordo Colectivo de Trabalho

As lojas cada vez mais sofisticadas, nas mais vistosas ruas de Portugal e Centros Comerciais, onde existem enormes ritmos de trabalho, praticam horários desregulados e cada vez menos trabalhadores para cada vez mais trabalho, exigem melhores salários e a melhoria das nossas condições de trabalho.


É urgente a negociação da proposta de Acordo Colectivo de Trabalho!

+ informação

Calzedónia / Tezenis / Intimissimi    violenta desempregados através de entrevistas públicas de emprego nas montras e áreas comerciais e atira ao chão e ao lixo os documentos exibindo fotos e dados pessoais.

Num Portugal onde o 1.º Ministro, Ministra das Finanças e outros Ministros dizem as maiores alarvidades sobre os deputados que os portugueses acabaram de eleger seus representantes, respaldados em discursos e comportamentos inqualificáveis do Presidente da República, que os procura manter, em funções de gestão a todo o custo. As empresas sentem-se à vontade para fazer todas as alarvidades, e vai daí a Calzedónia-Tezenis, decide humilhar e violentar, espezinhar, literalmente, os direitos humanos dos desempregados. + informação

 

O CCT entre a AEEP e o CESP/FEPCES publicado no BTE n.º 17, de 8 de Maio de 2008, está em vigor e garante os  salários e direitos dos  trabalhadores!

É abusiva a posição dos colégios, cooperativas de ensino e outras instituições do ensino particular e cooperativo que estão a retirar as diuturnidades  e a forçar os trabalhadores a prestar mais 2 horas semanais de trabalho, a título de exemplo “mais 30 minutos dia x 4 dias”. A gravidade deste abuso é tanto mais inaceitável, quanto ela é tentada por colégios e cooperativas de ensino que recentemente despediram trabalhadores. + Informação

ACTUALIZADOS OS SALÁRIOS E OUTRAS PRESTAÇÕES PECUNIÁRIAS DA PORTARIA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO (PCT) PARA OS TRABALHADORES ADMINISTRATIVOS

 ACTUALIZADOS OS SALÁRIOS E OUTRAS PRESTAÇÕES PECUNIÁRIAS DA PORTARIA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO (PCT) PARA OS TRABALHADORES ADMINISTRATIVOS

A PCT para os Trabalhadores Administrativos foi finalmente publicada no Diário da República 1ª  Série nº 209 de 29 de Outubro de  2015.

 

A PCT agora publicada produz efeitos a 1 de Outubro de 2015 (primeiro dia do mês da sua publicação), e contempla:

• Aumento de 1,7% na tabela salarial (ver verso)

• Subsídio de alimentação passa para 4€ (+ 0,55€)
• Diuturnidades (3% do nível VII da tabela) = 18,60€ cada até um máximo de 5 diuturnidades, que acrescem à retribuição efectiva

+ informação

A violação de horários e o assédio para impor piores condições de trabalho generalizam-se na FNAC

Da recolha de informação efectuada directamente ou por via de inquérito aos associados e a outros trabalhadores constata-se:

 

- Uma violação generalizada das regras e horários de trabalho, apresentados aos delegados sindicais
para Parecer, que nas lojas são substituídos por outros “à la carte” que violam as regras, destroem
a vida e a saúde dos trabalhadores.

+ informação

Trabalhadores do LIDL reivindicam para 2016:

  • Aumento Salarial 1€ dia;

 

  • 10% Desconto em compras para trabalhadores da empresa;

 

  • Calças e Calçado segurança adequados;

 

                  + informação

Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

É vergonhoso que o Grupo Jerónimo Martins nada faça para acabar com a discriminação dos operadores de armazém relativamente aos restantes trabalhadores

Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Contactos CESP
CESP Notícias
Interjovem - CESP Jovem
Inquérito / Denúncia
CGTP-IN

_