Loading

Auchan comunica à maioria dos seus trabalhadores que têm de sair até às 14h e estão obrigados a compensar as horas não trabalhadas no prazo de 8 semanas.

 

Mais uma empresa da distribuição alimentar que não respeita os direitos dos trabalhadores.

 

A Auchan, perante a decisão do Governo de mandar fechar as lojas às 13h, comunica aos seus trabalhadores que terão de compensar a empresa pelas horas que não irão trabalhar, chegando mais longe, afirmando que os trabalhadores têm 8 semanas para compensar as horas não trabalhadas (para alguns trabalhadores estamos a falar de 32h).

 

Afirmam ainda que “como estamos em Estado de Emergência a empresa pode mexer nos direitos dos trabalhadores”.

 

É mentira!

 

Os direitos dos trabalhadores não estão suspensos. Os trabalhadores, com declaração da empresa, podem deslocar-se para o seu local de trabalho e estão disponíveis para trabalhar no seu normal horário.

 

Se a empresa decide dispensar o trabalhador do dever de assiduidade assume igualmente que lhe paga o salário.

 

Não é aceitável que empresas com milhares de euros de lucros, empresas que desde o primeiro dia da pandemia têm tido os trabalhadores ao serviço, apesar dos medos e das enchentes de clientes, venham agora dizer que os trabalhadores terão de pagar as horas que não irão trabalhar, porque o Governo decidiu que as portas ao público terão de estar encerradas.

 

Voltamos aos velhos tempos, em que os hipermercados encerravam às 13h de domingo e o Auchan obrigava os trabalhadores a pagar as 3h em falta durante a semana. Foram obrigados a recuar na altura. Serão obrigados a recuar agora.

 

As autoridades competentes têm o dever de intervir para repor a legalidade.

 

A Direcção Nacional do CESP

Giovanni Galli (Vasconcelos & Gonçalves) aproveita Estado de Emergência para atacar os Direitos dos Trabalhadores

 

A empresa com o anunciado encerramento das lojas às 13h afirma que os trabalhadores vão ficar a dever horas de trabalho à empresa, e que terão de compensar essas horas abdicando de dias de descanso semanal no mês de Dezembro.

 

O Estado de Emergência não suspendeu nenhum direito dos trabalhadores da Giovanni Galli, mas mais uma vez a empresa de forma arrogante afirma que agirá disciplinarmente contra os trabalhadores que não aceitem ficar a dever horas de trabalho à empresa ou que se recusem a trabalhar horas a mais para compensar as horas que não irão trabalhar no fim-de-semana por encerramento antecipado das lojas.

 

Exige-se que a Autoridade para as Condições de Trabalho actue e obrigue a empresa a cumprir a legislação, da mesma forma que deve penalizar a empresa por ameaças feitas aos trabalhadores que não aceitem cumprir ordens ilegítimas.

 

Lê a nota à comunicação social na íntegra aqui

Sem que nada o justifique, empresas de distribuição anunciam alargamento dos períodos de abertura

 

Direitos dos Trabalhadores têm de ser acautelados

Autoridades competentes têm de intervir

 

Sem que nada o fizesse prever e num claro desrespeito pelo cansaço acumulado dos trabalhadores que sempre estiveram na linha da frente desde o início desta pandemia, Pingo Doce, Continente, Decatlhon e outros anunciam alargamento dos períodos de abertura ao público.

 

Com tal intenção, alteraram dias de folga dos trabalhadores, impuseram horas a mais de trabalho e mostraram a maior das insensibilidades ao impor horários de entrada às 4h da manhã, 6h de trabalho consecutivos sem pausa, entre tantos outros atropelos aos direitos dos trabalhadores.

 

O CESP e os trabalhadores exigem o respeito pelos seus direitos e tudo farão que com estado de emergência ou sem ele, os direitos são salvaguardados!

 

A Direcção Nacional

Nota à Comunicação Social na íntegra
Notasobrealargamento.pdf
Adobe Acrobat Document 355.7 KB

Viscondes de Messangil: Depois do esforço que os trabalhadores têm desenvolvido, desde o aparecimento da pandemia, a direcção não satisfeita, agora quer 150 horas anuais de graça?

 

Com a introdução do Banco de Horas, a fundação pode obrigar-te a trabalhar mais 2 horas por dia.

 

O banco de horas é mais uma forma da instituição dispor do teu tempo e da tua vida conforme lhe interessa, sem que tenhas direito a gerir o teu tempo, a programar e organizar a tua vida e sem conseguires conciliar a vida profissional com a vida pessoal e familiar.

 

Desta forma, a instituição pretende dispor do teu tempo para responder às faltas de trabalhadores e às necessidades de trabalho suplementar sem contratar mais trabalhadores, reduzindo com as suas despesas mas acabando com a tua vida pessoal e familiar.

 

+Informações

Retalhista do distrito de Leiria: Novos salários a partir de 1 de Setembro de 2020

 

Direitos consagrados no Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), nomeadamente:

 

DIUTURNIDADES

Às retribuições certas mínimas estabelecidas no CCT, será acrescida uma diuturnidade por cada 3 anos de permanência em categoria, sem acesso obrigatório, até ao limite de 3 diuturnidades;

 

TRABALHO AO DOMINGO

Por cada domingo de trabalho o trabalhador terá direito a uma compensação igual a 5% do seu vencimento.

 

Vê os novos valores da tabela salarial e subsídios.

EMEL não garante condições de trabalho, segurança e saúde aos trabalhadores!

 

O CESP tomou conhecimento que a EMEL, Empresa de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, está a transferir os trabalhadores de locais de trabalho onde têm balneários e cacifos, para cabines de parques de estacionamento!

 

Justificando-se com a prevenção do contágio da COVID-19, a EMEL quer obrigar os trabalhadores a: virem fardados de casa; ficarem responsáveis pelo material que usam para trabalhar diariamente fora do seu horário de trabalho; entrar ao serviço em parques de estacionamento cujas cabines têm trabalhadores dos parques a trabalhar e não têm qualquer condição para sequer guardar os seus pertences pessoais e apenas com uma casa de banho que está reservada ao uso de quem lá trabalha.

 

Tudo isto levanta questões gravíssimas de atropelo dos direitos dos trabalhadores, de higiene e segurança, bem como de agravamento do risco de propagação do vírus.

 

Lê no anexo abaixo, o texto integral.

Nota à Comunicação Social
emelncs.pdf
Adobe Acrobat Document 1.2 MB

Drogas Sul: Novos Salários e Subsídios com efeitos a 1 de Janeiro de 2020!

 

Apesar de tardiamente, foi possível chegar a acordo para revisão dos salários e subsídios para o ano de 2020 aumentando todas as cláusulas de expressão pecuniária e todos os níveis da tabela salarial.

 

Todos os valores têm efeitos retroactivos a 1 de Janeiro de 2020.

 

As partes decidiram ainda requerer a Portaria de Extensão para que os salários e subsídios acordados se apliquem a todos os trabalhadores das empresas grossistas de produtos químicos.

 

Matérias acordadas de expressão pecuniária

 

Os trabalhadores têm direito, por cada dia de trabalho, a um subsídio de refeição no valor de 6,30€.

 

  • Diuturnidades - 37€ cada uma
  • Abono mensal para falhas de caixa igual a 36,20€
  • Diária para alimentação e alojamento - 60€
  • Refeição - 15,65€
  • Alojamento e pequeno almoço - 37,67€

 

Tabela Salarial

Caderno Reivindicativo para 2021 dos trabalhadores da empresa DIA Portugal

 

Este Caderno Reivindicativo reflecte acima de tudo duas coisas:

 

A primeira é a urgente e fundamental necessidade de aumentar os rendimentos dos trabalhadores, valorizar as carreiras e as profissões.

 

A segunda é a postura que a empresa tem assumido perante as necessidades e aspirações dos trabalhadores: nenhuma!

 

É inaceitável que a DIA Portugal continue a virar as costas aos trabalhadores e aos seus representantes, ignorando as dificuldades e desrespeitando quem no seu dia a dia contribui efectivamente para os lucros e crescimento da empresa.

 

Está mais que na hora de inverter esta política de degradação das condições de trabalho!

 

Caderno Reivindicativo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS CGTP-IN:

Acção e Luta em todos os sectores de 7 a 11 de Dezembro (Thu, 19 Nov 2020)
>> Read More

Resolução do Conselho Nacional da CGTP-IN - 19 de Novembro (Thu, 19 Nov 2020)
>> Read More

Vamos continuar a lutar por melhores condições de vida e de trabalho (Thu, 19 Nov 2020)
>> Read More

Regularização da situação de cidadãos estrangeiros em território nacional (Mon, 16 Nov 2020)
>> Read More

Fim imediato da agressão militar de Marrocos - Pela autodeterminação do povo saarauí (Fri, 13 Nov 2020)
>> Read More

ÚLTIMAS NOTÍCIAS ACÇÃO E LUTA:

Reivindicações reforçadas com greve firme na Olympus (Tue, 24 Nov 2020)
>> Read More

EDP atrasa negociação merecendo resposta firme (Tue, 24 Nov 2020)
>> Read More

Protesto contra despedimento de 200 trabalhadores no Instituto da Segurança Social (Mon, 23 Nov 2020)
>> Read More

ÚLTIMAS NOTÍCIAS US LISBOA:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS US SANTARÉM:

Contacto com a Autoridade para as Condições de Trabalho no Distrito de Santarém (Fri, 28 Aug 2020)
>> Read More

Eleitos novos órgão da USS/CGTP-IN (Wed, 20 Nov 2019)
>> Read More

XI Congresso: Reforçar a organização para avançar na luta. (Wed, 06 Nov 2019)
>> Read More

Carteiros do Entroncamento em luta por respeito. (Wed, 09 Oct 2019)
>> Read More


Aplicação CESP para telemóveis

Digita o endereço abaixo no navegador do seu telemóvel ou fotografa o QR Code com o leitor de código de barras do teu aparelho:

http://app.vc/cespsindicato


Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Tel: 222 074 200

Fax: 222 037 674

Folheto
LUPA FINAL.jpg
JPG Image 549.9 KB
CGTP-IN
Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Contactos CESP
CESP Notícias
Interjovem - CESP Jovem