Loading

Grande adesão dos trabalhadores do Lidl marcam as greves de final do ano

Nos passados dias 22, 23 e 24 de Dezembro, todo o sector da grande Distribuição desenvolveu várias acções de luta. Sendo que neste campo evidenciaram-se em bom plano os trabalhadores do Lidl, em especial os dos quatro entrepostos Lidl existentes no país.

 

+Informações

El Corte Inglês: A má vontade da empresa mantém-se...

No passado dia 13 de Dezembro, a Comissão Sindical voltou a reunir com os RH da empresa, para a discussão do Caderno Reivindicativo para 2018, na esperança da resolução dos problemas apresentados pelos trabalhadores, e de alguma flexibilidade da empresa no que são as nossas reivindicações para 2018, mas a postura mantém-se: Não, Não e Não!

 

+Informações

Empresas e APED têm de dar resposta positiva às reivindicações dos Trabalhadores!

Depois da forte participação dos trabalhadores do sector nas greves agendadas para dias 22, 23 e 24 de Dezembro de 2017, as Empresas de Distribuição e a Associação Patronal têm de dar resposta positiva às reivindicações dos trabalhadores.


Dia 10 de Janeiro de 2018 realiza-se nova reunião de negociação.


O CESP Saúda todos os trabalhadores que lutaram e exigiram:


O aumento dos salários de todos os trabalhadores;
O fim da tabela B;
A equiparação da carreira profissional dos operadores de armazém à carreira profissional dos operadores de loja;
Contra a descida do valor pago pelo trabalho suplementar prestado e pelo trabalho em dia feriado, contra a desregulação dos horários de trabalho.


Unidos somos mais fortes!
A Direcção Nacional do CESP

Loja do Minipreço encerrada devido à greve.

 

GRANDE ADESÃO DOS TRABALHADORES À GREVE

E ACÇÕES REALIZADAS NOS ARMAZÉNS, LOGÍSTICAS E LOJAS DAS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO

 

Os trabalhadores da Grande Distribuição, com a elevada adesão à greve e a participação nas acções realizadas, demonstraram nos dias 22, 23 e 24 de Dezembro às empresas e à APED – Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição - a sua grande determinação em lutar pela negociação do contrato colectivo de trabalho, com o aumento dos salários de todos os trabalhadores sem discriminações, fim da Tabela B (mais baixa e praticada em todos os distritos à excepção de Lisboa, Porto e Setúbal), correcção da carreira profissional dos operadores de armazém igualando- a à que os operadores das lojas têm com 3 níveis de progressão automática até à categoria de especializado.

 

Nos armazéns e logísticas tiveram expressão acções na Sonae, Lidl, Dia Portugal e Jerónimo Martins no 1º dia, com grande adesão ainda no 2º dia de greve. Nas cadeias de super e hipermercados registou-se um número elevado de trabalhadores no Continente, Pingo Doce, Jumbo/Auchan e Lidl. Na Dia/Minipreço, foram dezenas as lojas que encerraram e muitas outras que funcionaram em horários reduzidos.

 

A greve dos trabalhadores dos super e hipermercados, armazéns e logísticas da distribuição e grandes lojas especializadas teve uma adesão muito forte dos trabalhadores, mesmo com toda a pressão, repressão e ilegalidades cometidas pelas empresas.

 

As empresas recorreram antes do início da greve, e continuaram a fazê-lo com a greve a decorrer, à pressão e ameaça aos trabalhadores (ameaçando-os com “castigos”, penalizações, faltas injustificadas, etc.), à substituição ilegal de trabalhadores em greve, trocas de horários, trocas de dias de descanso, deslocação de trabalhadores da sua loja ou armazém para outros locais de trabalho, etc. Muitas lojas abriram com um número muito reduzido de trabalhadores, com chefias a substituir os trabalhadores nas caixas ou nos balcões de atendimento e com prolongamento dos horários dos trabalhadores que não aderiram à greve.

Piquete de Greve no Entreposto da Sonae, na Maia.

Piquete de Greve na sede do Lidl, no Linhó, Sintra

Piquete de Greve no Entreposto do Lidl em Riberão, Vila Nova de Famalicão

Piquete de Greve no Armazém da Dia Portugal em Torres Novas

 

·         22 DE DEZEMBRO NOS ARMAZÉNS E LOGÍSTICAS

     JERÓNIMO MARTINS/PINGO DOCE; SONAE; DIA/MINIPREÇO

     com ACÇÃO ÀS 8H FRENTE À SEDE DA SONAE NA MAIA                (PORTO)

 

·        22 DE DEZEMBRO TODOS OS TRABALHADORES DO LIDL (lojas, armazéns, escritórios)

- CONCENTRAÇÃO DOS TRABALHADORES ÀS 11 HORAS FRENTE À SEDE DA EMPRESA NO LINHÓ (SINTRA)

 

·       23 E 24 DE DEZEMBRO TODO O SECTOR DA GRANDE DISTRIBUIÇÃO (super e hipermercados, grandes superfícies especializadas, armazéns e logísticas da distribuição)

Exigimos a negociação do Contrato Colectivo de Trabalho!

 

APED não aceita aumentos dos salários e pretende reduzir o valor pago por trabalho suplementar e trabalho em dia feriado.

 

VAMOS À LUTA NO NATAL!

Os trabalhadores e o CESP exigem o aumento dos salários de todos os trabalhadores, eliminação da tabela B e progressão automática dos operadores de armazém até ao nível VIII (operador de armazém especializado).

Associação Patronal das Empresas de Distribuição (APED) insiste nos baixos salários, na redução do valor pago pelo trabalho suplementar e pelo trabalho em dia feriado, e introdução de banco de horas.

É inaceitável! 

A luta tem de continuar!

23 E 24 DE DEZEMBRO DE 2017 GREVE EM TODO O SECTOR DAS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO (Super e Hipermercados, grandes superfícies especializadas, armazéns e logísticas da distribuição)

Exigimos:

- A negociação do Contrato Colectivo de Trabalho do Sector;

- O Aumento dos Salários de todos os trabalhadores e o fim da tabela B, mais baixa que se aplica em todos os distritos, excepto Lisboa, Porto e Setúbal;

- A progressão automática dos operadores de armazém até ao nível VIII (operador de armazém especializado);

- A manutenção do valor pago por trabalho suplementar e por trabalho em dia feriado, contra a redução do valor das horas extras e do trabalho aos feriados;

- Horários de trabalho regulados, contra o banco de horas, pelo direito à conciliação da vida profissional com a vida pessoal e familiar.

As empresas do sector que, diariamente, acumulam lucros milionários têm de mudar de atitude e valorizar a especialização dos trabalhadores e aumentar os salários de todos sem exigir contrapartidas. 

Os trabalhadores não aceitam chantagens e lutam pelo reconhecimento do valor do seu trabalho com os seus salários e carreiras melhorados.

A Direcção Nacional do CESP

Pré-aviso de Greve 23 e 24 de Dezembro
Pré av GREVE APED 23 e 24 -DEZ-2017.pdf
Adobe Acrobat Document 98.0 KB

Últimas Notícias CGTP-IN:

A luta dos trabalhadores da Altice produziu resultados (Sat, 20 Jan 2018)
>> Read More

Agir e lutar para valorizar a luta dos trabalhadores, por um Portugal com futuro! (Sun, 14 Jan 2018)
>> Read More

CGTP-IN solidária com o povo Palestiniano - Moção - (Sun, 14 Jan 2018)
>> Read More

Governo aprendeu que as "cedências sistemáticas" aos patrões são “inadmissíveis e imorais” (Wed, 20 Dec 2017)
>> Read More

Salário Mínimo Nacional sobe para 580€ em 2018 (Wed, 20 Dec 2017)
>> Read More

Últimas Notícias USL:

TRABALHADORES DOS SERVIÇOS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA EM LUTA! (Fri, 19 Jan 2018)
>> Read More

TRABALHADORES DA APAPOL EM LUTA! (Fri, 19 Jan 2018)
>> Read More

9 MIL ASSINATURAS PELA RENACIONALIZAÇÃO DOS CTT, ENTREGUES NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA (Thu, 18 Jan 2018)
>> Read More

CONCENTRAÇÃO E DENÚNCIA DOS TRABALHADORES DO MERCADO DE ALGÉS (Wed, 17 Jan 2018)
>> Read More


Aplicação CESP para telemóveis

Digita o endereço abaixo no navegador do seu telemóvel ou fotografa o QR Code com o leitor de código de barras do teu aparelho:

http://app.vc/cespsindicato


Garante os teus direitos. Sindicaliza-te
Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Contactos CESP
CESP Notícias
Interjovem - CESP Jovem
CGTP-IN