21 e 22 de Maio foi um dia de Unidade e Luta dos trabalhadores da DIA/Minipreço!

 

Nos dias 21 e 22 de Maio, os trabalhadores dos armazéns demonstraram muita coragem na adesão à greve decretada pelo CESP, dando um sinal claro do seu descontentamento perante a proposta de tabela salarial apresentada pela empresa.

 

Uma proposta que não valoriza todo o desempenho e profissionalismo de todos os trabalhadores, que não valoriza as carreiras e os anos de serviço!

 

O balanço é de que foi uma grande luta nacional, em que os trabalhadores dos 3 armazéns, operadores e administrativos, numa acção de solidariedade e coragem sem precedentes nesta empresa, estiveram em piquete e aderiram em massa à greve, em todos os turnos!

 

Uma luta que demonstrou claramente a disponibilidade dos trabalhadores para continuar a lutar até que a sua dignidade seja restaurada!

 

Como resultado imediato desta luta, estivemos no dia 25 de Maio reunidos com a direcção da empresa a exigir aumentos dignos e a exigir a retirada dos injustos e infundados processos disciplinares dirigidos aos trabalhadores!

 

+Informações

CESP reuniu com a Rádio Popular para apresentar reivindicações dos  trabalhadores e resolver problemas existentes

 

Na reunião a 7 de Maio, o CESP apresentou à empresa as reivindicações dos trabalhadores:

 

  • Subsídio de alimentação para TODOS no valor de 5,50€;
  • Aumento do valor do prémio de loja;
  • Objectivos nas megas com menos subfamílias (está demasiado partido);
  • Pagamento adicional aos trabalhadores que executam tarefas de apoio EGL.

 

Vale a Pena Lutar

 

Na reunião a empresa assumiu o compromisso de regularizar os valores em falta aos trabalhadores das lojas do distrito do Porto, Vila Real e Bragança, devidos pelo trabalho prestado aos domingos e feriados. Os valores serão pagos em 4 tranches, nos meses de Maio, Julho, Setembro e Outubro.

 

+Informações

CESP reuniu com a Inditex para discutir o aumento dos salários e subsídio de alimentação

 

O CESP questionou a empresa sobre os aumentos salariais, já que, pela primeira vez em muitos anos, não ocorreram em Fevereiro.

 

Defendeu também que o salário médio dos trabalhadores da empresa deveria ser igual em todo o país.

 

A empresa afirmou que o aumento não tinha ocorrido em Fevereiro por força da pandemia, mas que os trabalhadores seriam aumentados no final do mês de Maio.

 

O CESP desde 2012 que reclama que o subsídio de alimentação em vigor na empresa deveria ser igual para todos os trabalhadores, tal como ocorreu até 2011, data em que a empresa decidiu alterar as regras e aplicar valores de forma discriminatória (nuns distritos paga o valor previsto no CCT, noutros paga um valor muito acima do previsto, sem que ninguém consiga entender os critérios para estas decisões).

 

A empresa não demonstrou abertura para que tal pudesse ser alterado, mantendo a discriminação existente, em relação ao tamanho da “barriga” dos trabalhadores.

 

+Informações

PUBLICADO O CCT PARA O COMÉRCIO RETALHISTA DO ALGARVE

A vigorar a partir de 1 de Abril 2021

 

Concluídas as negociações com a ACRAL.

 

Salário mínimo para os Trabalhadores do Sector (670€), 5€ acima do mínimo nacional.

 

 

Aumentos que variam entre os 10,75% nos salários mais baixos e os 6% nos salários superiores.

 

Tabela Salarial

A AENL quer alterar prática de sempre, no pagamento do trabalho suplementar

 

O CESP reuniu com a Auto-Estradas do Norte Litoral (AENL), no passado dia 29 de Abril, para negociar o Acordo de Empresa (AE).

 

O CESP apresentou a sua proposta, com destaque das seguintes reivindicações:

  • Aumento de salário no mínimo de 90€ para todos, Subs. Refeição 7,63€ e Subs. Chamada 20€ - Em Negociação;
  • 25 dias de Férias— Não Aceite;
  • Subsídio de Risco no valor de 12% da retribuição— Não Aceite;

A AENL apresentou como contraproposta:

  • Subsídio de Refeição: + 0.10€, para 6,80€;
  • Subsídio de Turno: 40€/mês;
  • Aumento dos salários: 0.8%; 
  • Categoria Ajudante de Conservação e Manutenção: aumento médio de 3.42%, por força do aumento do Salário Mínimo Nacional.

E ainda exigiu as seguintes contrapartidas:

  • Introduzir na redacção da Cl16ª p2.: “… os quais serão objecto de aviso prévio mínimo de 24h”; 
  • Aumento do limite anual de trabalho suplementar de 175h para as 200h;
  • Alteração do descritivo de funções de algumas categorias, como já proposto em anos anteriores.

 

O CESP considera positivo a evolução da proposta da AENL relativamente à posição original, mas considera ainda insuficiente face às necessidades e exigências dos trabalhadores.

 

+Informações

Trabalhadores da Rádio Popular dizem basta!

 

Num ano particularmente difícil, e onde desde o início da pandemia os trabalhadores da Rádio Popular nunca pararam, estiveram sempre no activo e disseram “presente” independentemente das dificuldades, todo este esforço apenas valeu para se verem confrontados com várias crueldades por parte da empresa.

 

Os trabalhadores da Rádio Popular não podem pagar a factura da pandemia, como se fossem culpados pela sua existência e pelas decisões tomadas pelo Governo para a mitigar.

 

É hora de dizer basta!

3 de Abril foi um dia de Unidade e Luta dos trabalhadores da DIA/Minipreço em todo o país!

 

Numa significativa manifestação de insatisfação com o comportamento da empresa Dia Portugal, que insiste em não dignificar os rendimentos e as condições de trabalho nas lojas e armazéns, muitas centenas de trabalhadores estiveram em greve por todo o país!

 

Os trabalhadores mostraram-se disponíveis para a luta por uma vida digna, e aderiram à greve marcada pelo CESP.

 

Foram muitas lojas que estiveram encerradas, e muitas outras que sofreram transtorno no horário de funcionamento!

 

2021 será um ano em que não iremos abrandar a luta pela dignidade na Dia Portugal, até que haja um claro aumento dos rendimentos dos trabalhadores e uma melhoria significativa nas condições de trabalho, dos horários dignos às condições de segurança e saúde sanitária nas lojas e armazéns, pelo fim da precariedade e do “terror” das terceirizações!

 

+Informações

BRISA: Segurança dos trabalhadores em primeiro lugar

 

O actual contexto da COVID-19 que infelizmente atravessamos exige que sejam tomadas todas as medidas que estiverem ao alcance da empresa que permitam reduzir o risco de contágio.

 

As máscaras de protecção individual estão desajustas face ao perigo que actualmente enfrentam os trabalhadores da empresa.

 

A segurança dos trabalhadores é uma das nossas prioridades.

 

Foi enviado um ofício à empresa no qual se exige a substituição das máscaras actualmente em vigor por modelos com maior capacidade de filtragem.

 

+Informações

 

Fundação Manuel Brandão tem que reconhecer o valor das suas Trabalhadoras!

 

No passado dia 29 de Março, o CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) reuniu com a Direcção da Fundação Manuel Brandão.

 

Desta reunião ressalvamos que a Fundação não tem tido uma atitude correcta por quem se tem sacrificado em prol da instituição e seus utentes.

 

O sindicato tinha já enviado um ofício a esta instituição no sentido de apurar porque é que algumas trabalhadoras tinham recebido uma advertência por escrito culpabilizando-as tanto por contrair COVID-19, assim como por estarem sujeitas a isolamento profiláctico.

 

Nesta reunião ficou plasmado o zelo com que todas as trabalhadoras têm cumprido o seu papel em todos os momentos, mais concretamente e com mais esforço por parte de todas, em tempo de pandemia.

 

Deste modo o sindicato reafirmou a sua posição de não haver necessidade de ter sido enviado às trabalhadoras uma advertência, que a própria instituição considera "ter palavras demasiado pesadas".

 

+Informações

ETCP Supply Chain recusa aumentar os salários dos seus trabalhadores

 

Esperava-se que a ETCP Supply Chain valorizasse os seus trabalhadores e que em 2021 desse um sinal claro de reconhecimento, através de aumentos dos salários que permitissem uma vida digna a todos os que diariamente estão no armazém a produzir lucros para esta empresa.

 

Tal não aconteceu.

 

O CESP apela a todos os trabalhadores que se mobilizem para a luta, em defesa de melhores condições de trabalho, por mais e melhores salários para todos, valorizando as carreiras e a antiguidade dos trabalhadores da ETCP Supply Chain.

 

+Informações

Mais uma vez, o El Corte Inglés, negligenciou as preferências e as necessidades dos seus trabalhadores, desta vez, no que diz respeito à MARCAÇÃO DE FÉRIAS.

 

Surgiu com um “Quadro de Férias Ano 2021”, onde, contrariando o Art.º 241, do Código do Trabalho, impôs vários períodos de férias, com datas de início e fim pré-definidas, repartidas por períodos de 10 e 12 dias, eliminando alguns dias pontuais e anulando o período de 16/06/2021 a 04/07/2021.

 

O período de férias tem que ser marcado por acordo entre o empregador e o trabalhador. Tal não aconteceu!

 

Não vamos ficar parados e calados perante injustiças e incumprimentos da Lei!

 

Demos seguimento a esta situação, pedindo a intervenção da ACT – Autoridade para as Condições do Trabalho.

 

+Informações

Acordo de Empresa do Mais Sindicato - Menos Direitos!

 

No final de Janeiro, a Direcção do Mais Sindicato/SBSI encerrou as negociações do Acordo de Empresa, informando que já tinha acordado com o SITESE/UGT.

 

Desde o início que sabíamos que o resultado final iria ser mau para os trabalhadores, quando o Mais Sindicato (MS) impôs na Mesa Negocial, um sindicato seu parceiro na UGT.

 

Conforme fomos informando, enquanto decorreu o processo negocial, o MS rejeitou a grande maioria das propostas que apresentámos por forma a se poder chegar a um acordo. 

 

Perante esta irredutibilidade, o CESP não podia subscrever um Acordo de Empresa (AE), que não protege um conjunto de direitos, que seria o garante da estabilidade dos Trabalhadores do Mais Sindicato/SAMS e da própria entidade patronal.

 

O CESP/CGTP-IN Não negoceia retirar direitos aos trabalhadores!

 

+Informações

1º Negociação do Caderno Reivindicativo da DHL para 2021

 

Teve no dia 12 de Março a 1º negociação do Caderno Reivindicativo de 2021. O Sindicato apresentou em Novembro de 2020 as reivindicações aprovadas nos plenários de trabalhadores, na qual constam as seguintes reivindicações:

 

  • Aumento geral dos salários em 3€/dia;
  • Aumento do subsídio de alimentação em 1€/dia.

 

A posição da empresa foi de responder de que não vai alterar a tabela salarial já em vigor para este ano.

 

  • Aumento dos salários em 40 cêntimos/dia; 
  • Aumento do subsídio de alimentação em 6 cêntimos/dia.

 

+Informações

LIDL: Os direitos dos trabalhadores não estão em confinamento!

 

O CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) soube que o LIDL anda a comunicar, através de portal interno, para que os chefes de loja exijam às trabalhadoras em período de amamentação após um ano de vida do bebé, um atestado médico mensal a justificar esse facto, caso contrário serão marcadas faltas injustificadas.

 

O CESP já enviou ofício à empresa a comunicar que não faz qualquer sentido esta postura, e que a ameaça de que serão marcadas faltas injustificadas deve terminar de imediato.

 

Se esta situação não ficar resolvida, teremos que tomar medidas junto da ACT (Autoridade para as Condições de Trabalho) e da CITE (Comissão para Igualdade no Trabalho e no Emprego).

 

Se a situação persistir, os trabalhadores devem contactar o CESP.

 

+Informações

Na DIA Portugal o trabalho é essencial, mas o salário é o mínimo!

 

Sabias que a Dia Portugal continuou a ser a referência no sector das lojas de proximidade em Portugal e que apresentou uma subida nas vendas de 7,6% em 2020, apesar da pandemia?

 

A Dia Portugal recompensa o trabalho, a dedicação e o esforço dos trabalhadores com salários de miséria, discriminação salarial e com desrespeito pelas suas estruturas representativas, pelas suas reivindicações, aspirações e anseios!

 

Não aceitamos esta posição e, mais do que nunca, exigimos aumentos salariais dignos, que valorizem as profissões e as carreiras dos trabalhadores!

 

+Informações

A Teleperformance é uma grande empresa, mas que paga pequenos salários

 

Uma multinacional que se gaba de receber prémios de “Melhor empresa para se trabalhar”, mas que na verdade desrespeita continuamente os seus trabalhadores, não aumentando o salário há anos, alterando os horários de forma unilateral, não pagando horas extras, não oferecendo condições de higiene e segurança, tanto nos locais de trabalho como em casa.

 

Isto é inaceitável, mas não é inevitável!

Só com a luta organizada no teu sindicato, o CESP, poderemos alterar a situação!

 

+Informações

Foi questionada a UMP e o Delegado de Saúde do que se passa com a toma da segunda dose da vacina contra a COVID-19 no Centro de Apoio a Deficientes João Paulo II

 

As orientações das entidades oficiais e do fabricante recomendam a administração da segunda dose 21 dias depois para completar o esquema de vacinação.

 

Não tendo sido ainda administrada a segunda dose, este facto levanta preocupações quanto ao cumprimento do objectivo terapêutico da vacina.

 

Faremos chegar junto dos trabalhadores todos os esclarecimentos nesta matéria.

 

Caderno Reivindicativo 2021

 

Em 2020, os protocolos de cooperação com as Instituições foram reforçados  em 5%.

 

Este ano, o Salário Mínimo Nacional (SMN) foi actualizado em 30€, mas a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) continua a não actualizar os salários dos trabalhadores ao seu serviço.

 

Esta situação leva que, independentemente, dos anos de casa, as trabalhadoras e trabalhadores da UMP estejam todos com vencimento igual ao SMN.

 

Consulta o Caderno Reivindicativo

AUCHAN CONTINUA A REJEITAR REUNIR COM OS REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES

 

O Grupo Auchan no ano de 2020, mesmo em contexto de pandemia teve um crescimento de lucros, mas os trabalhadores considerados “essenciais” e que contribuíram para o sucesso da empresa, continuam a receber salários baixos. O aumento das vendas online devido ao contexto social que a pandemia provocou, aumentou exponencialmente as vendas e por consequência os lucros do Grupo. 

 

O Grupo Auchan tem todas as condições financeiras para melhorar as condições de vida e de trabalho dos trabalhadores ao seu serviço, corrigir as injustiças nas carreiras profissionais, e acabar com os horários desregulados e desumanos nos locais de trabalho.

 

A empresa decidiu, recentemente, alterar a forma de processar os descontos de faltas, penalizando, mais uma vez, os trabalhadores. 

 

Ao descontar 8h em vez de 1 dia, a empresa desconta assim 1,36 do dia. Ou seja, considerando um salário de 690€, em situação de 1 dia de falta a empresa passou a descontar 31,85€ em vez dos 23€ que descontava até aqui. Medida que não aceitamos, não compreendemos e penaliza os trabalhadores. 

 

+Informações

Negociações do AE para 2021 na EMEL

 

 

Tiverem início no final do mês de Janeiro as negociações para a revisão do Acordo de Empresa.

 

O Sindicato apresentou a 24 de Novembro de 2020 a proposta de revisão do AE, aprovada nos plenários de trabalhadores levados a cabo em Novembro do ano passado.

 

Nas primeiras reuniões a posição da empresa foi de responder “não” a qualquer uma das propostas, justificando o seu posicionamento com as dificuldades financeiras sentidas no ano de 2020 e previsão de mais dificuldades no ano de 2021, devido à pandemia.

 

O Sindicato relembrou que os trabalhadores estão há 11 anos sem aumentos e a passagem para a nova tabela não foi tão longe como era justo e necessário devido ao posicionamento da empresa nas negociações.

      

+Informações

Discriminação e Retirada de Direitos no Referendo ao Banco de Horas Grupal no CRIT

 

No dia 18 de Dezembro de 2020, o CRIT realizou o referendo para votação ao Banco de Horas Grupal.

 

No decorrer do momento da votação existiram irregularidades e anomalias graves, denunciadas pelo CESP logo no momento e posteriormente junto da Instituição, não tendo a Instituição acolhido ou resolvido as situações de retirada de direitos e discriminação. Nomeadamente, a um conjunto de trabalhadoras, o CRIT, no momento da votação, preparou um boletim de voto diferente dos restantes e deu orientações que o mesmo devia ser assinado.

 

As trabalhadoras ao serem coagidas a assinarem e identificarem o boletim de voto, dando a conhecer qual o seu sentido de voto, foram alvo de discriminação e foi-lhes retirado o direito ao voto livre e secreto.

 

Outra anomalia verificada foi a votação por representação, violando os princípios de um referendo, onde o voto é secreto e directo. 

 

Pela gravidade das situações, não nos podemos calar e temos de travar este ataque aos direitos das mães, das mulheres trabalhadoras e de todos os trabalhadores em geral!

 

+Informações

CESP reuniu com a DRH para a regularização das situações que afectam os Trabalhadores do Armazém DIA em Vialonga

 

Efectuou-se, no passado dia 11 de Fevereiro, uma reunião com os representantes da Dia Portugal. O CESP solicitou resposta às questões avançadas em Ofício enviado à empresa, designadamente em matéria de Segurança Saúde no Trabalho.

 

Conclusões da reunião

Greve dos Trabalhadores DHL 25 de Fevereiro de 2021

 

Concentração às 10H junto à porta da sede da empresa, em Vialonga

 

DHL Supply Chain não dá resposta satisfatória às exigências e necessidades dos Trabalhadores!

 

No entanto, começa a ser já normal por parte do DHL comunicar aos trabalhadores o que pretende implementar no próximo ano e com isto desvirtua a reunião, que não é de negociação, mas sim de mera informação sobre as decisões tomadas pela administração.

 

Não podemos aceitar que a empresa apresente proposta de aumento na tabela salarial de apenas uns míseros tostões acima do Salário Mínimo Nacional para quem tem mais de 1 ano de casa.

 

+Informações

ETCP não corresponde às exigências e necessidades dos Trabalhadores

 

A empresa proibiu o acesso de representantes sindicais na empresa, impedindo o livre exercício da actividade sindical consagrado na Constituição e na Lei, na tentativa de bloquear a acção sindical junto dos trabalhadores.

 

O CESP assume o seu papel de dinamizar a Luta por melhores salários e por melhores condições de trabalho, bem como a valorização dos trabalhadores, das suas carreiras e qualificações adquiridas.

 

No passado dia 3 de Fevereiro, o CESP reuniu com a ETCP para discussão do Caderno Reivindicativo dos trabalhadores para 2021.

 

+Informações

Esclarecimento aos trabalhadores da SCM Montijo

 

A comunicação social tornou públicas notícias dando conta da vacinação do Senhor Provedor, sua esposa e dois outros trabalhadores (não afectos ao cuidado a idosos, logo não prioritários pelos protocolos definidos), no âmbito da vacinação de utentes e trabalhadores do sector social.

 

As trabalhadoras do Serviço de Apoio ao Domicílio e outras com contacto directo com utentes, não foram, ainda vacinadas, pese embora, diariamente, continuarem a entrar nas instalações da Santa Casa de Misericórdia do Montijo e nas casas dos utentes, alguns doentes com COVID-19.

 

Perante isto não podemos deixar de considerar imoral este comportamento que deve ser investigado.

 

Liberdades e direitos sindicais

 

No dia 28/01/21 foi realizada uma reunião entre as chefias da SAD e as respectivas trabalhadoras dessa valência.

 

Esta reunião serviu apenas o propósito de denegrir a imagem do CESP, com leitura do último ofício enviado pelo CESP ao Sr. Provedor da Santa Casa de Misericórdia.

Este tipo de atitudes são graves e apenas demonstram o desespero em denegrir a imagem do CESP junto dos seus associados e restantes trabalhadores.

 

Tais práticas, além de criminosas, demonstram apenas que um sindicato conhecedor dos problemas dos trabalhadores e que age para os resolver, em defesa de todos os trabalhadores, incomoda os poderes instalados.

 

+Informações

Trabalhadores da AEA exigem segurança no trabalho

 

Tendo em conta os muitos acidentes na portagem de Loures, concessão das Autoestradas do Atlântico, que já provocaram ferimentos numa trabalhadora, o CESP alerta para a urgência da tomada de medidas que garantam condições de segurança para os trabalhadores.

 

+Informações

Intermarché da Malveira não respeita os direitos dos trabalhadores

 

As vendas das cadeias de distribuição alimentar nestes dias tiveram subidas de vendas nas ordens dos 350%, há trabalhadores a permanecer nos seus locais de trabalho mais de 8h diárias, demasiado tempo expostos ao risco de contágio.

 

Não aceitaremos que as empresas usem a chantagem sobre os trabalhadores para aumentar ainda mais as cargas horárias, retirar dias de descanso.

 

O CESP continuará a funcionar diariamente para assegurar todo o apoio aos trabalhadores do sector na resolução de conflitos ou dúvidas.

 

+Informações

Trabalhadores da Accenture querem ser valorizados pelo seu trabalho!

 

Nós somos os imprescindíveis. Somos os humanos por detrás da IA.

 

A Accenture, sem nós, não consegue gerar as centenas de milhões de euros que gera só em Portugal.

 

A Accenture desrespeita os trabalhadores e lida mal com a liberdade sindical ao não reconhecer o Delegado Sindical legalmente eleito pelos seus colegas e coloca entraves à realização de Plenário de Trabalhadores.

 

+Informações e Reivindicações dos Trabalhadores

Caderno Reivindicativo 2021 para os Trabalhadores da ETCP

 

A Altice Portugal anunciou a 24 de Março que teve, em 2019, “resultados históricos” de 2110 milhões de euros, fruto de um crescimento das receitas de 26 milhões de euros.

 

No primeiro trimestre do ano, as suas receitas subiram 2.6%, chegando aos 522,3 milhões de euros e o seu lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciações atingiu os 210,2 milhões, uma subida de 1,8%, comparada com o período homólogo de 2019.

 

E os trabalhadores da ETCP Supply Chain que são o coração das operações da MEO e Altice, com 5, 10 e mais anos de antiguidade recebem pouco mais que o Salário Mínimo Nacional.

 

Caderno Reivindicativo

BRISA: Exigimos que seja regularizados os valores em falta relativos a feriados

 

Apesar do avanço verificado no passado mês de Dezembro, após termos contactado os trabalhadores, salientamos que persistem pagamentos por efectuar.

 

Voltamos a reiterar o carácter de urgência num pagamento que deve ser generalizado a todos os trabalhadores, pondo fim a um comportamento discriminatório e injusto por parte da empresa, em nada compatível com aquilo que a lei e o acordo colectivo de trabalho prevêem.

 

+Informações

A larga maioria dos trabalhadores da FNAC vai ser aumentada para o Salário Mínimo Nacional

 

Depois de ser anunciado o Salário Mínimo Nacional para 2021, o CESP pediu uma reunião com os recursos humanos da FNAC para se falar do caderno reivindicativo dos trabalhadores da empresa.

 

Entre vários assuntos, pedia-se um justo aumento de ordenado para todos os trabalhadores, visto que em 2020 não houve nenhuma actualização dos seus salários, tirando os trabalhadores que já anteriormente ganhavam o ordenado mínimo.

 

Em 2020, os trabalhadores que tinham 6 anos de casa ficaram a receber o salário mínimo.

 

Este ano o problema alastra-se para os que estão a trabalhar há mais de 8 anos.

 

A estrutura sindical vai avançar com plenários em todas as lojas e armazéns no território nacional, para os trabalhadores decidirem as formas de luta contra esta injustiça.

 

+Informações

Minipreço enfia o barrete aos Trabalhadores!

Todos à GREVE dia 31 de Dezembro!

 

A DIA Portugal rejeitou discutir as reivindicações dos trabalhadores, chantageando que só estaria disponível se o CESP suspendesse o pré-aviso de greve dos trabalhadores dos armazéns de Valongo.

 

A acção de luta em Valongo está em marcha porque os trabalhadores daquele armazém o decidiram, tendo em conta que as suas reivindicações em matérias de rendimentos e condições de trabalho nunca tiveram uma resposta da parte da empresa.

 

Reafirmamos a nossa disponibilidade para dialogar com a DIA Portugal, sem que isso seja um entrave à luta reivindicativa. Na mesa de negociação ou no local de trabalho, não nos demitimos do nosso papel de dinamizar a luta por melhores salários, por horários dignos, por mais e melhores condições de trabalho nas lojas, armazéns e escritórios.

 

Dia 26 de Dezembro, Greve dos Trabalhadores do Armazém de Valongo

Dia 31 de Dezembro, Greve de todos os Trabalhadores DIA Portugal

 

+Informações

Caderno Reivindicativo 2021 dos Trabalhadores da SONAE

 

A 19 de Novembro realizou-se a 1ª reunião com a empresa para discussão do Caderno Reivindicativo para 2021.

 

Com ou sem pandemia, a história é a mesma.

 

Continuam os baixos salários, continua a precariedade, a desregulação dos horários, a discriminação entre trabalhadores e a repressão nos armazéns e nas lojas.

 

É urgente reverter este caminho. Só é possível a mudança com a unidade dos trabalhadores, integrados no seu sindicato de classe, o CESP.

 

+Informações e Caderno Reivindicativo

CRIT: Diz não ao trabalho de borla!

Diz não ao banco de horas!

 

Em plena pandemia de COVID-19, depois de todo o esforço desenvolvido pelos trabalhadores, vem agora a direcção do CRIT, tentar implementar um Banco de Horas para obter, de cada trabalhador, 150h anuais de borla.

 

Não aceites a deterioração das tuas condições de trabalho e de vida!

A decisão vai ser tua! 

 

DIA 18 - VOTA NÃO NO REFERENDO DO BANCO DE HORAS!

Não te deixes manipular!

Informa-te junto do teu sindicato das implicações do banco de horas na tua vida pessoal a familiar!

 

+Informações

Caderno Reivindicativo El Corte Inglés para 2021

 

Tendo em conta este novo contexto que se tem vivido no nosso país, e no mundo, devido à pandemia do COVID-19, tem sido exigido um grande esforço aos trabalhadores.

 

Como tal, é ainda mais legítimo que estes mesmos trabalhadores, muitos deles já com um sentimento de injustiça muito antes desta nova realidade, considerem ser valorizados.

 

É neste enquadramento que, como acontece todos os anos, vai ser entregue à Administração do El Corte Inglês, o Caderno Reivindicativo para o ano 2021, para que seja discutido com os representantes dos trabalhadores, o CESP.

 

Caderno Reivindicativo

Patrões da Hospitalização Privada procuram a caducidade do CCT

 

O CESP vai realizar Plenários Gerais de Trabalhadores nos diversos grupos privados de saúde, sendo fundamental a participação de todos!

 

No passado dia 16 de Novembro, na reunião de conciliação agendada pelo Ministério de Trabalho, a associação patronal recusou qualquer tipo de negociação, pretendendo segundo as suas palavras “cortar o mal pela raiz”.

 

A APHP pediu encerramento da conciliação e nesse mesmo dia pediu a publicação da caducidade do CCT subscrito pelo CESP, a sonhar unicamente em engordar os lucros da hospitalização privada à conta dos trabalhadores.

 

Nessa mesma reunião, antevendo o objectivo pretendido desde sempre pela APHP, o CESP informou que iria apresentar o requerimento de mediação do processo de revisão do CCT da Hospitalização Privada.

 

+Informações

Delegada Sindical eleita e reunião com a administração da Gateleven

 

Em 22 de Setembro de 2020, como forma de reforçar a defesa dos interesses e direitos dos trabalhadores, foi eleita uma delegada sindical.

 

No passado dia 12 de Novembro, o CESP reuniu com administração da empresa onde foram discutidos diversos temas.

 

Dos assuntos abordados, destacamos o facto da empresa não estar a aplicar os Contratos Colectivos de Trabalho do sector retalhista em vigor, nomeadamente no que se refere:

 

  • Subsídio de turno. Tem que ser pago a todos os trabalhadores que façam horários rotativos;
  • Horas nocturnas. Têm que ser pagas a partir das 20h e não das 22h;
  • Pagamento dos feriados. O valor do trabalho prestado em dia feriado tem acréscimo de 100% sob o valor diário.

 

+Informações

Caderno Reivindicativo dos trabalhadores da Pingo Doce/Jerónimo Martins para 2021

 

Considerando a clara estagnação salarial e a desvalorização profissional e salarial, sentida pelos trabalhadores com mais anos de antiguidade no Pingo Doce/Jerónimo Martins, os trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins, reivindicam para o ano de 2021:

 

1) Aumento salarial de 90€ (3€/dia) para todos os trabalhadores sem discriminações, fazendo caminho para que o salário mais baixo na empresa atinja os 850€ a curto prazo;

 

2) Aumento do subsídio de alimentação em 1€/dia para todos os trabalhadores;

 

3) Respeito pelo direito à conciliação entre a vida profissional e a vida pessoal e familiar, cumprindo as regras para a organização dos horários de trabalho, nomeadamente:

  • Fim da desregulação e das alterações diárias aos horários;
  • Fim imediato do Banco de Horas Grupal;
  • Encerramento ao Domingo e Feriados;

Viscondes de Messangil: Depois do esforço que os trabalhadores têm desenvolvido, desde o aparecimento da pandemia, a direcção não satisfeita, agora quer 150 horas anuais de graça?

 

Com a introdução do Banco de Horas, a fundação pode obrigar-te a trabalhar mais 2 horas por dia.

 

O banco de horas é mais uma forma da instituição dispor do teu tempo e da tua vida conforme lhe interessa, sem que tenhas direito a gerir o teu tempo, a programar e organizar a tua vida e sem conseguires conciliar a vida profissional com a vida pessoal e familiar.

 

Desta forma, a instituição pretende dispor do teu tempo para responder às faltas de trabalhadores e às necessidades de trabalho suplementar sem contratar mais trabalhadores, reduzindo com as suas despesas mas acabando com a tua vida pessoal e familiar.

 

+Informações

AUCHAN REJEITA REUNIR COM OS REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES

 

O Grupo Auchan este ano, mesmo em contexto de pandemia teve um crescimento de lucros, crescimento esse garantido pelos trabalhadores, que mesmo sobre enorme pressão, contribuíram para o sucesso da empresa. O açambarcamento e o aumento das vendas online devido ao contexto social que a pandemia provocou, aumentou exponencialmente as vendas e por consequência os lucros do Grupo.

 

O Grupo Auchan tem todas as condições financeiras para melhorar as condições de vida e de trabalho dos trabalhadores ao seu serviço, trabalhadores agora considerados essenciais para o País, mas que se mantêm com baixos salários, com discriminações salariais e injustiças nas carreiras profissionais, com ritmos desumanos nos locais de trabalho.

 

Caderno Reivindicativo para 2021

Retalhista do distrito de Leiria: Novos salários a partir de 1 de Setembro de 2020

 

Direitos consagrados no Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), nomeadamente:

 

DIUTURNIDADES

Às retribuições certas mínimas estabelecidas no CCT, será acrescida uma diuturnidade por cada 3 anos de permanência em categoria, sem acesso obrigatório, até ao limite de 3 diuturnidades;

 

TRABALHO AO DOMINGO

Por cada domingo de trabalho o trabalhador terá direito a uma compensação igual a 5% do seu vencimento.

 

Vê os novos valores da tabela salarial e subsídios.

Drogas Sul: Novos Salários e Subsídios com efeitos a 1 de Janeiro de 2020!

 

Apesar de tardiamente, foi possível chegar a acordo para revisão dos salários e subsídios para o ano de 2020 aumentando todas as cláusulas de expressão pecuniária e todos os níveis da tabela salarial.

 

Todos os valores têm efeitos retroactivos a 1 de Janeiro de 2020.

 

As partes decidiram ainda requerer a Portaria de Extensão para que os salários e subsídios acordados se apliquem a todos os trabalhadores das empresas grossistas de produtos químicos.

 

Matérias acordadas de expressão pecuniária

 

Os trabalhadores têm direito, por cada dia de trabalho, a um subsídio de refeição no valor de 6,30€.

 

  • Diuturnidades - 37€ cada uma
  • Abono mensal para falhas de caixa igual a 36,20€
  • Diária para alimentação e alojamento - 60€
  • Refeição - 15,65€
  • Alojamento e pequeno almoço - 37,67€

 

Tabela Salarial

Caderno Reivindicativo para 2021 dos trabalhadores da empresa DIA Portugal.

 

Este Caderno Reivindicativo reflecte acima de tudo duas coisas:

 

A primeira é a urgente e fundamental necessidade de aumentar os rendimentos dos trabalhadores, valorizar as carreiras e as profissões.

 

A segunda é a postura que a empresa tem assumido perante as necessidades e aspirações dos trabalhadores: nenhuma!

 

É inaceitável que a DIA Portugal continue a virar as costas aos trabalhadores e aos seus representantes, ignorando as dificuldades e desrespeitando quem no seu dia a dia contribui efectivamente para os lucros e crescimento da empresa.

 

Está mais que na hora de inverter esta política de degradação das condições de trabalho!

 

Caderno Reivindicativo

Novos salários para todos os Trabalhadores de IPSS’s

 

Acordo, entre o CESP e a CNIS, entra em vigor a 1 de Julho de 2020

 

Foi dado o primeiro passo para valorização da carreira profissional dos ajudantes de acção directa, com criação do “ajudante de acção directa principal” enquadrado no nível 11 da Tabela Salarial.

 

A luta pela valorização das carreiras profissionais e dos salários tem de continuar.

 

+Informações e Tabela Salarial

O CESP REUNIU COM A ADMINISTRAÇÃO DA SCIENCE4YOU PARA DISCUTIR OS PROBLEMAS DOS TRABALHADORES!

 

Ainda existem Trabalhadores da Science4You que continuam a pagar para trabalhar!

 

Os trabalhadores das agências de trabalho temporários continuam a pagar diariamente portagem para poderem sair do seu local de trabalho.

 

A empresa comprometeu-se perante o CESP a respeitar as normas de saúde e segurança no trabalho, nomeadamente assumiu perante o Sindicato que as condições da sala dos corantes estavam resolvidas.

 

 

O Sindicato não aceita que os trabalhadores das agências e trabalho temporário continuem a ser discriminados no subsídio de refeição.

 

+Informações

Lidl insiste na prática de “dar um chouriço em troca do porco!”

 

Mais uma vez, a Lidl muda as regras a meio do jogo, ao anunciar a criação de um novo escalão e um aumento salarial, mas só às chefias de loja e trabalhadores no último escalão.

 

Valorizamos todos os trabalhadores unidos na luta, que nunca baixaram os braços e só assim foi possível conseguir que a Lidl comunicasse este aumento salarial, embora aplicado de maneira discriminatória. É insuficiente e fica aquém do reivindicado pelos trabalhadores, que reivindicam 3€/dia, 90€/mês para TODOS OS TRABALHADORES Lidl.

 

+Informações

Todos os Trabalhadores dos Entrepostos do LIDL à Greve de 1 hora por dia, das 14h00 às 15h00

26 de Outubro a 1 de Novembro

 

Em luta pelo:

 

  • Aumento dos salários de todos os trabalhadores
  • Subsídio de frio para quem trabalha em temperaturas refrigeradas
  • Aumento das cargas horárias semanais para 32h mínimo
  • A negociação do caderno reivindicativo
  • A resolução dos problemas colectivos dos trabalhadores do Lidl

 

+Informações

Plenários de Trabalhadores da DHL:

 

Vila Nova da Rainha - 6 de Outubro (Terça - Feira)

(Turno 1) das 14h às 16h / (Turno 2) das 16h às 18h

 

Alverca - 7 de Outubro (Quarta - Feira) 

(Turno 1) das 10h às 12h / (Turno 2) das 17h às 19h

 

Vialonga - 8 de Outubro (Quinta - Feira) 

(Turno 1) das 14h às 16h / (Turno 2) das 16h às 18h

 

Carregado - 9 de Outubro (Sexta - Feira) 

(Turno 1) das 14h às 16ho / (Turno 2) das 16h às 18h

 

Palmela - 12 de Outubro (Segunda - Feira) 

(Turno 1) das 10h às 12h

 

Espadanal da Azambuja - 12 de Outubro (Segunda - Feira)

(Turno 1) das 15h às 17h / (Turno 2) das 17h e as 19h

 

+Informações

Greve dos Trabalhadores das IPSS no dia 1 de Outubro de 2020

 

Concentração às 11h30 junto à sede da CNIS, no Porto

 

Pelo aumento dos salários de todos os trabalhadores

 

Pela valorização da carreira profissional de todos os trabalhadores da “linha da frente”

 

+Informações

Reunião com Montepio Rainha D. Leonor

 

No dia 26 de Agosto, o CESP reuniu com a Instituição para resolver várias questões, nomeadamente, o pagamento do trabalho suplementar realizado pelos trabalhadores desde Março de 2020.

 

O CESP entende que a Instituição deve, de acordo com o compromisso assumido com os trabalhadores, cumprir com o estipulado no Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) para os trabalhadores das IPSS’s, até que novo CCT seja acordado com a RedeMut.

 

A forma de compensação do trabalho suplementar é o pagamento, e foi isto que o CESP defendeu na reunião com o Montepio.

 

+Informações

Reunião com a Empresa ETCP

 

No dia 04 de Agosto de 2020 os representantes do Cesp reuniram com os representantes da empresa para discutir os seguintes assuntos:

 

  • Aumentos Salariais
  • Plano de Contingência
  • Horários de Trabalho
  • Quinta-feira da Espiga
  • Terça-feira de Carnaval
  • Pagamento feriado
  • Férias
  • Máquina de Vending

 

+Informações

FNAC: Não pago as contas, a casa e a comida com o banco de horas!

 

A Fnac paga o salário mínimo nacional aos trabalhadores até 8 anos de trabalho e 650€ para quem está há mais de 8 anos na empresa, e muitos dos trabalhadores não são aumentados há vários anos!

 

Com o banco de horas a Fnac pode obrigar-te a trabalhar mais duas horas por dia. O trabalhador vai ficar 12 horas afastado da família pelo mesmo salário!

 

+Informação

Foi decisiva a intervenção e a persistência do CESP para garantir os postos de trabalho e os direitos dos Trabalhadores do Lar de Marvila!

 

Desde que o CESP tomou conhecimento do despedimento colectivo tudo fez para manter os 79 postos de trabalho em que a única alternativa apresentada era o desemprego.

 

Não aceitámos apenas mãos cheias de intenções que se traduziam em nada e exigimos ao governo garantias de postos de trabalho para os 79 trabalhadores do Lar de Marvila.

 

Na reunião marcada de urgência, realizada no dia 25 de Agosto, com o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e a Vogal do ISS, assumiram o compromisso de que todos os trabalhadores interessados, poderão ingressar na SCML com vínculo efectivo.

 

Realizado no dia 27 de Agosto, foi bastante participado. Informámos quais as condições de ingresso na SCML e esclarecemos todas as dúvidas colocadas.

 

A informação foi recebida com bastante agrado e a maioria manifestou interesse na solução encontrada.

 

Neste processo, o CESP, sindicato de classe que é, não deixou ninguém para trás, exigiu um posto de trabalho para todos os trabalhadores independentemente da sua sindicalização.

 

+Informações

Aos Trabalhadores da BRISA

 

Retomada a normalidade possível em virtude da grave situação de crise pandémica que ainda vivemos e os constrangimentos profundos que o estado de emergência impôs, o CESP saúda o profissionalismo demonstrado por todos os trabalhadores durante o período de confinamento.

 

O CESP congratula-se por as empresas do grupo Brisa terem respondido às exigências feitas pela DGS, bem como, às diligências por nós realizadas, procurando sempre salvaguardar a saúde de todos os trabalhadores.

 

 

No entanto, é do conhecimento do sindicato que a empresa pretende fazer regressar os trabalhadores do COP e CCO dispersos em diferentes barreiras de portagem aos seus locais de trabalho, concentrando dessa forma um número bastante numeroso de trabalhadores numa única localização.

 

+Informações

DIZ NÃO AO TRABALHO DE BORLA!

DIZ NÃO AO BANCO DE HORAS!

TRABALHADORES DA SONAE, 21 A 27 DE SETEMBRO, VOTA NÃO!

 

A SONAE pretende aplicar o Banco de Horas Grupal através da realização de um referendo de 21 a 27 de Setembro.

 

Neste contexto, a empresa iniciou uma vasta campanha de desinformação que visa apenas enganar os trabalhadores e levá-los a votar sim no referendo para a aplicação do banco de horas grupal.

 

Informa-te junto do teu sindicato sobre o banco de horas e as implicações que terá na tua vida familiar e pessoal!

 

NÃO TE DEIXES MANIPULAR!

SINDICALIZA-TE!

 

+Informação

Comunicado aos trabalhadores do ex-SBSI/Mais Sindicato

 

No dia 22 de Junho, como é do vosso conhecimento, foram publicadas as caducidades dos Acordos de Empresa (AE) que existiam no ex-SBSI, agora Mais Sindicato.

 

A caducidade avançou apesar da nossa oposição e de toda a luta desenvolvida pelos trabalhadores, mas o Governo colocou-se ao lado do patrão e nada fez para impedir este resultado.

 

O Mais Sindicato apresentou em reuniões ocorridas a 2 de Julho, uma proposta de AE, aos vários Sindicatos, onde se incluí o CESP.

 

Este conjunto de Sindicatos apresentou, entretanto, uma contraproposta conjunta, em 31 de Julho.

 

Esta contraproposta sindical conjunta tem por base os AE caducados, após ter em consideração as posições e propostas apresentadas pelos sócios.

 

Os trabalhadores serão regularmente informados da evolução das negociações e podem sempre contar com o CESP e demais sindicatos, para defenderem um Acordo de Empresa que consagre a manutenção dos direitos e que salvaguarde dignas condições de trabalho!

 

Contraproposta

Golpada na Pingo Doce/Jerónimo Martins

 

Os trabalhadores sabem, assim como o CESP, que todo o processo para o referendo do banco de horas grupal não foi transparente, não foi correcto e que o objectivo da empresa é ter os trabalhadores a trabalhar mais horas a custo ZERO.

 

O sindicato, conforme já tinha informado, irá avançar com a impugnação do processo, em tribunal. Mas é preciso mais! é fundamental que nos locais de trabalho os trabalhadores mostrem o seu descontentamento, que não aceitam vender o seu tempo, o tempo pessoal, da família e de lazer!

 

Iremos vencer esta luta, sabendo que muitas outras virão. E todos os trabalhadores podem contar com o CESP, e o CESP conta com todos vocês na luta por melhores condições de trabalho e de vida!

 

Viva a luta dos trabalhadores!

O CESP (Sindicato do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) aproveita em primeiro lugar para saudar todos os trabalhadores da empresa DIA Portugal, pela sua firmeza e dedicação às populações num difícil momento em que se mantiveram nos seus locais de trabalho, garantindo um serviço essencial à sociedade.

 

É, mais do que nunca, tempo de valorizar o trabalho e os trabalhadores da DIA Portugal e de todo o sector da grande distribuição!

 

+Informações

Aos trabalhadores da Jerónimo Martins:

Diz NÃO ao Banco de Horas

 

Entre 16 de Julho e 3 de Agosto decorrem as votações do referendo para a instituição do Banco de Horas Grupal no Pingo Doce (lojas, cozinhas centrais e fábrica de massa fresca) e na Jerónimo Martins.

 

O banco de horas é mais uma forma da empresa dispor do teu tempo e da tua vida (pessoal e familiar) conforme lhe interessa, sem que tenhas direito a gerir o teu tempo, a programar e organizar a tua vida e sem conseguires conciliar a vida profissional com a vida pessoal e familiar.

 

Aceitar o banco de horas é aceitar que o patrão dispõe do teu tempo em função das suas vendas, dos seus lucros e dos seus interesses.

 

Em tempos de pandemia, nem um direito a menos na José Mello Saúde

 

Apesar deste tempo especial pelo qual passamos, a actividade do CESP e dos delegados sindicais na JMS não parou.

 

Sempre que os trabalhadores necessitaram de ajuda na resolução de problemas pontuais, tiveram no CESP um porta-voz junto da empresa, e algumas das situações reportadas foram resolvidas após a intervenção do sindicato.

 

Os delegados sindicais representaram também os trabalhadores da JMS nas acções de Luta promovidas pela CGTP-IN em defesa dos direitos dos trabalhadores.

 

+Informações

Após período de confinamento trabalhadores regressam ao trabalho ao ritmo e nas condições pretendidas pela FNAC

 

Os cortes salariais tiveram impactos muito negativos nos rendimentos dos trabalhadores.

 

Períodos de férias não gozados devido ao Lay-off têm de ser remarcados.

 

Os trabalhadores e o CESP denunciam que, neste período mais de 20% dos trabalhadores da FNAC foram despedidos (no período experimental e por caducidade dos contratos a termo) estando os trabalhadores neste momento com sobrecargas excessivas de trabalho.

 

+Informações

Semana Nacional de Luta na DHL

GREVES de 22 a 26 de Junho

 

O CESP rejeita a política de agravamento da exploração e empobrecimento de atropelo dos direitos e assume o compromisso de levar a cabo uma ampla acção de esclarecimento, mobilização e luta, reforçando a unidade dos trabalhadores, a sua sindicalização e organização, para garantir a valorização do trabalho e dos trabalhadores.

 

Assim, os trabalhadores em plenário decidiram realizar uma Semana Nacional de Luta com greves parcial nos dias 22, 23, 24, 25 e 26 de Junho de 2020, entre as 09h e as 10h, com piquete de greve à porta da empresa.

 

+Informações

O CESP tomou conhecimento que em diversas lojas Pingo Doce do Distrito de Lisboa se está a verificar um grande aumento no número de trabalhadores infectados com COVID-19.

 

Os trabalhadores, face às situações relatadas que se agravam, e ao número crescente de trabalhadores infectados nos diferentes locais de trabalho da empresa, exigem que o plano de contingência seja revisto para implementação em todas as lojas e armazéns.

 

O CESP, uma vez mais, mostrou toda a disponibilidade para reunir com a empresa no sentido de agilizar estes processos de alteração aos planos de contingência e à tomada de medidas concretas.

 

+Informações

Novos Salários com efeito a 1 de Janeiro de 2020 na Lusoponte

 

Ficou concluída a negociação para a revisão dos salários para 2020.

 

Valores acordados:

 

      - Aumentos de 1% sobre os vencimentos da Tabela Salarial de 2019;
      - Fixação do subsídio de alimentação em 9,40€ por dia;
      - Fixação do abono para falhas de caixa em 1,96(5)€ por dia.

 

Tabela Salarial

Os Trabalhadores da SFUAP estão em Luta pelo Aumento dos Salários

 

GREVE 3 de Junho de 2020

 

HÁ VÁRIOS ANOS QUE OS TRABALHADORES DA SFUAP NÃO TÊM AUMENTO DOS SEUS SALÁRIOS.


DIA 3 DE JUNHO ESTARÃO EM GREVE EXIGINDO O AUMENTO DOS SALÁRIOS E A REPOSIÇÃO DO PODER DE COMPRA PERDIDO.

 

+Informações

Os Trabalhadores da FNAC não aceitam imposição do gozo de férias

 

O Grupo FNAC emitiu um comunicado interno no qual pretende:

 

  • Marcar pelo menos 3 períodos de férias;
  • Obrigar à marcação e gozo de 10 dias úteis de férias até ao dia 3 Julho;
  • Que períodos com mais de 10 dias úteis de férias careçam de autorização escrita do Manager;
  • Impedir o gozo de férias no período de 15 de Novembro a 24 de Dezembro, nas Lojas.


Nas lojas do Algarve, Aeroporto, Viseu, Vila Real, Aveiro e Viana do Castelo, impedir a marcação de férias no mês de Agosto.

 

Tal pretensão é inaceitável, pois a mesma nada mais é do que uma imposição unilateral do direito ás férias por parte dos trabalhadores.


Apesar de estarmos num estado de calamidade, os direitos dos trabalhadores não estão suspensos!


O CESP já enviou oficio a denunciar esta imposição e a exigir a sua revogação.

 

+Informações

Os Trabalhadores da José Mello Saúde e o CESP não aceitam imposição do gozo de férias


O Grupo José Mello Saúde emitiu um comunicado interno no qual pretende impor o gozo de 10 dias de férias entre os meses de Maio e Junho, alegando uma baixa de actividade nesse período e prevendo um grande aumento da procura das unidades CUF nos meses seguintes.


Tal pretensão é inaceitável, pois a mesma nada mais é do que uma imposição unilateral do direito ás férias por parte dos trabalhadores.


O CESP já enviou oficio a denunciar esta imposição e a exigir a sua revogação.


Caso contrário, realizará todas as iniciativas em conjunto com os trabalhadores e apresentará queixa junto das entidades competentes.

 

+Informações

Pingo Doce/Jerónimo Martins Usa e Abusa do Banco de Horas e retira 1 dia de descanso semanal aos seus trabalhadores


Os trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins veem-se confrontados com a insuficiência de medidas de prevenção do contágio, nomeadamente, a falta de garantia de desinfecção dos espaços, bem como a garantia da limitação da entrada e aglomeração de clientes nas lojas, à semelhança de todos os trabalhadores da distribuição que diariamente assumem os seus postos de trabalho para garantir à população o acesso a produtos alimentares, considerados essenciais em momento de pandemia.


Os trabalhadores nos seus locais de trabalho devem continuar a defender o direito, em cada semana, a dois dias de descanso, que devem ser gozados juntos para possibilitar a recuperação efectiva do trabalhador.

 

+Informações

Prémio de 20% anunciado pelo Grupo Sonae foi truque


Foi recentemente veiculado numa campanha de comunicação interna e publicitado na comunicação social, que os trabalhadores do Grupo SONAE que estão na linha da frente nos locais de trabalho durante a pandemia iriam receber um prémio de 20% do seu salário.

 

Contudo, tal informação não corresponde inteiramente à verdade.


O que deveria ser uma justa recompensação pelo esforço dos trabalhadores, não é mais que uma campanha de branding, de divisão dos trabalhadores e de pressão para que estes abdiquem dos seus direitos.


O CESP reitera a sua posição de defesa do aumento dos salários de todos os trabalhadores e repudia esta e todas as discriminações, e exige que a SONAE cumpra com o compromisso assumido perante os trabalhadores e o país.

 

+Informações

Os trabalhadores da EPAL e o CESP exigem o pagamento de despesas decorrentes do Teletrabalho


O CESP enviou um oficio para a Administração da EPAL a exigir que, aos trabalhadores em Teletrabalho por efeito do Estado de Emergência motivado pelo do surto do COVID-19, seja assegurado no que respeita a tecnologia de informação e de comunicação a respectiva instalação e manutenção dos equipamentos.


Foi também exigido o pagamento de todas as despesas que daí decorrerem, que em nosso entender deveria passar pela atribuição de um subsídio mensal.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020

Info 6


Interrompidas as reuniões de negociação desde 12 de Março, devido à epidemia do COVID-19, no dia 8 de Abril retomamos as negociações e realizou-se a 9ª reunião, decorrendo de forma informal as partes puderam apresentar e defender as suas propostas.

 

Conforme sempre defendemos não existiam motivos para a paragem do processo negocial, garantindo as condições adequadas e cumprindo as orientações da DGS é perfeitamente possível avançar com as negociações que permitam chegar a um acordo que permita a melhoria das condições dos trabalhadores.

 

+Informações

Os Trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins em quarentena e com filhos menores estão a ser obrigados a ir trabalhar no período da Páscoa

 

Está em causa o direito à organização do trabalho em condições socialmente dignificantes, de forma a facultar a realização pessoal e a permitir a conciliação da actividade profissional com a vida familiar.


E para além disso, o direito à prestação do trabalho em condições de higiene, segurança e saúde, o direito ao repouso e a um limite máximo da jornada de trabalho.


Continua a ser colocado em primeiro lugar a ganância do lucro e só muito depois a saúde e até a vida dos trabalhadores.

 

+Informações

CESP força DHL a tomar medidas de prevenção e protecção contra o COVID 19


Perante a acção insistente do CESP, a direcção da DHL viu-se forçada a tomar algumas medidas, nomeadamente, dar informações mais claras sobre o Plano de Contingência aos trabalhadores e a tomar medidas de prevenção e protecção da saúde dos trabalhadores dos armazéns.


Entretanto, a empresa confirmou ao CESP que não irá descontar os dias de férias aos trabalhadores em isolamento ou quarentena, o que seria ilegal e que iria dar origem à intervenção do CESP.


Os trabalhadores que se encontrem nesta situação devem estar atentos e não permitir que o seu direito a férias seja posto em causa. As férias devem ser marcadas por acordo entre trabalhador e empresa e servem para permitir a recuperação física e psíquica dos trabalhadores, o que não acontece nos casos de quarentena/isolamento.


No entender do CESP, a direcção da DHL tem todas as condições para apoiar os trabalhadores nesta fase difícil, principalmente assegurar que os seus rendimentos não são afectados.

 

+Informações

FNAC avança com Lay-off a partir de 1 de Abril para 86% dos Trabalhadores


A empresa acumulou lucros ao longo de muitos anos, assente na imposição de baixos salários e desregulação das regras da prestação de trabalho.


Durante este período, nunca tiveram qualquer disponibilidade para os partilhar com os trabalhadores.

 

Sobre a marcação das férias de forma unilateral, relembramos que o único regime aplicável à marcação das férias é o disposto no artigo 241º do Código do Trabalho.


O CESP irá enviar um ofício à empresa, porque consideramos que esta apesar de cumprir com os critérios exigíveis pelo normativo legal aplicável a este regime excepcional de lay-off simplificado, não se encontra em situação de crise empresarial para recorrer a este apoio.


Também, para clarificar que na empresa o rendimento ilíquido dos trabalhadores é composto por uma parcela variável significativa, motivo pelo qual devem esclarecer todos os trabalhadores sobre a forma como pretendem efectuar o cálculo sobre o valor que lhes será pago no final de cada mês.


No regime simplificado de lay-off, a retribuição dos trabalhadores é reduzida para apenas dois terços da sua retribuição normal ilíquida.

 

+Informações

A SAGA CONTINUA!
Direcção do SBSI/SAMS mantém perseguição aos trabalhadores!


O CESP não aceita Lay-off no SBSI/SAMS


A decisão de encerrar todas as Clinicas do SAMS e do Centro Clinico foi da Direcção do SBSI. Nenhuma medida imposta no Estado de Emergência obriga ao encerramento de unidades de saúde.


Entende o CESP que a direcção do SBSI/SAMS se está a aproveitar da pandemia e do Estado de Emergência para resolver problemas financeiros internos, resultado dos seus actos de gestão.


A Direcção do SBSI decide encerrar o sindicato quando todos os trabalhadores do sector se mantêm ao serviço e a contribuir normalmente. O SBSI e o SAMS vão continuar a receber as contribuições das entidades bancárias, dos trabalhadores bancários e dos trabalhadores do SBSI/SAMS.


O que pretende a Direcção do SBSI é aproveitar o momento difícil em que os trabalhadores e o país se encontram para mitigar os maus resultados, fruto da sua má gestão, com recurso aos rendimentos dos trabalhadores e da Segurança Social.

 

+Informações

É dever do Pingo Doce/Jerónimo Martins o cumprimento das regras de segurança e saúde no trabalho nas lojas e armazéns


Saudamos todos os trabalhadores e suas famílias e manifestamos todo o apreço pelos que estão na linha da frente na prestação de serviços essenciais às populações.

 

Vivemos momentos difíceis e todos devemos ser parte da solução, pelo que reafirmamos que nenhum trabalhador deve de executar as suas funções se não estiver garantida a sua protecção.

 

Devemos exigir dos responsáveis do Pingo Doce/Jerónimo Martins, a distribuição dos produtos e equipamentos de protecção e a criação de condições para se manter a distância social.

 

Por isso, o CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comercio Escritórios e Serviços) exige à direcção do Pingo Doce/Jerónimo Martins o cumprimento da protecção e saúde dos trabalhadores e dos seus clientes.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020

Info 5

 

Empresas cancelaram a 9ª reunião de negociação, agendada para o dia 19 de Março, com a evolução da epidemia do COVID-19 o processo negocial terá necessariamente de desenvolver-se noutros moldes.

 

Salientamos que poderia-se ter evoluído para um acordo em tempo útil. O processo negocial iniciou-se em Dezembro de 2019.


Mas as empresas iniciaram o processo  negocial sem qualquer proposta para os trabalhadores. Mantiveram em reuniões consecutivas proposta de 0% (ou seja: estagnação dos salários no melhor ano de sempre!), e noutras reuniões evoluíram a sua proposta uns míseros  0,1% com objectivo de prolongar o processo negocial e desgastar os representantes dos trabalhadores.


Lamentamos esta postura que inviabilizou a conclusão do processo negocial, até ao momento, apesar de todos os esforços da Comissão Negociadora Negocial.

 

+Informações

Lucros apenas para os accionistas na Via do Infante!

 

Trabalhadores exigem uma justa distribuição da riqueza e não aceitam a chantagem.


Após 4 reuniões de negociações e as empresas pouco ou nada tem para dar aos trabalhadores.


Depois do CESP fundamentar a necessidade de aumentos de salários para os trabalhadores e de não fazer sentido alterar os descritivos de funções dos trabalhadores, não podemos ceder ás alterações propostas pela empresa.


Caso contrário, deixamos de ter categorias diferenciadas, colocando em causa alguns postos de trabalho, a segurança e serviço prestado aos próprios utentes da via.

 

+Informações

Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Tel: 222 074 200

Fax: 222 037 674

Folheto
LUPA FINAL.jpg
JPG Image 549.9 KB
CGTP-IN
Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Contactos CESP
CESP Notícias
Interjovem - CESP Jovem