Informação nº9 - ACT BRISA

 

CESP CHEGA A ACORDO!

 

Na 10ª reunião de negociação do processo de revisão do ACT BRISA 2018, realizada a 20 de Abril de 2017, CNS FEPCES/CESP chegou a um acordo com as empresas.

 

Finalmente neste processo negocial, a FEPCES/CESP com a sua firmeza conseguiu uma reivindicação de longos anos com a criação de mais uma letra para o Ajudante O. Civil. Avanços na recuperação de direitos dos Trabalhadores para além de Tabela Salarial e Restante Pecuniária.

Informação a todos os Trabalhadores da MCALL, SA (Contact Center do Grupo Brisa)

 

 

Vale a Pena Lutar!

Alcançados Aumentos Salariais para 2018 para 2018

Os Trabalhadores da Mcall—Contact Center do Grupo Brisa, salientando-se a principal reivindicação do Caderno Reivindicativo apresentado o aumento do salário, alcançam com efeitos retroactivos a Janeiro de 2018 uma progressão na carreira inexistente até então, conforme se apresenta:

A luta por mais direitos continuará e mantendo-se o alvo da integração no IRCT aplicável à empresa.

Juntos Somos Mais Fortes! Informa-te junto do teu delegado(a) sindical!

+Informações

27 ABRIL GREVE DOS TRABALHADORES DO DIA MINIPREÇO/CLAREL
ÀS 10H30 CONCENTRAÇÃO NO MINISTÉRIO DO TRABALHO
(dia em que se realiza reunião do CESP com a empresa no Ministério sobre a entrega de lojas a terceiros)

 


OS TRABALHADORES TÊM DIREITOS

 

Considerando que a empresa não está a cumprir a Lei, o CESP e a Comissão Sindical decidiu requerer reunião no Ministério de Trabalho no âmbito da prevenção de conflitos que está marcada para o dia 27 de Abril, às 10h30.

 

Assim apelamos a todos os trabalhadores do Grupo Dia Portugal para não irem em cantigas do vigário por parte da empresa e unirem forças para lutarem pela manutenção dos seus postos de trabalho, pois foram os trabalhadores que ao longo dos anos construíram esta empresa. Estamos juntos pela preservação e manutenção dos postos de trabalho.

 

+Informações

Informação nº8 - ACT Brisa 2018

Após a 9ª reunião de negociação do ACT para grupo BRISA, realizada no dia 12 de Abril, vem a CNS da FEPCES/CESP fazer um ponto de situação do processo negocial:
Numa reunião que se esperava de evolução, empresas decidiram voltar atrás e insistir na proposta inaceitável de alteração do descritivo funcional dos Oficiais de Mecânica;
Objectivamente bloquearam a negociação com vista a vergar a CNS e os trabalhadores perante mais uma ofensiva contra os postos de trabalho.
Se havia dúvidas dos objectivos das empresas nesta reunião dissiparam-se todas!
Com várias reuniões empatar o processo negocial, eis que a BRISA dos tempos da troika está de volta! Afinal os 136 milhões de euros de lucros líquidos em 2017 (subiram 48,4% em relação ao ano 2016!)  não foram suficientes. Para 2018 e anos seguintes preparam-se mais lucros chorudos. E COMO?
Mais uma vez à custa dos trabalhadores e através da receita antiga! Reduzem-se mais uns postos de trabalho, sobrecarregam-se os restantes trabalhadores e degradam-se as condições de trabalho e vida.

 

EVOLUÇÕES PARA A TABELA SALARIAL:

  EMPRESAS – 1,4 %
  FEPCES/CESP – 3,1 % (com aumento mínimo de 40,00€)

 

Inacreditável, foi a segunda reunião consecutiva com empresas a promoverem evoluções de uma décima na sua proposta para a tabela salarial!
Agora com a agravante de só estarem disponíveis para um acordo caso seja aceite as alterações às funções do Oficial de Mecânica!
Ou seja: Através de uma chantagem querem esquecer todo o processo negocial e fazer vingar uma proposta inaceitável!
O objectivo: pretendem que o Oficial de Mecânica passe a desempenhar/acumular tarefas do Operador Principal e do Portageiro!
É lamentável a postura das empresas no processo negocial, no entanto já deveriam saber que a FEPCES/CESP não cede a chantagens!

 

UNIDOS IREMOS DAR UMA RESPOSTA ADEQUADA ÀS PROVOCAÇÕES DO GRUPO BRISA!

 

Próxima reunião agendada para dia  19 de Abril de 2018.

 

A CNS FEPCES/CESP

 

+Informações

PUBLICADO O CCT PARA O COMÉRCIO RETALHISTA DO ALGARVE


Aumentos salariais de 2,8%
A vigorar a partir de 1 de Janeiro 2018

 

Fechadas as negociações com a ACRAL.
Salário mínimo 5 euros acima do mínimo nacional. Aumentos de 2,8% em tabela e 1,5% nos valores pecuniários.
Foram definidas novas categorias profissionais e eliminadas outras.

 

+Informações

SONAE IGNORA AS REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES!
EXIGIMOS O JUSTO AUMENTO DOS SALÁRIOS!

 

20 ABRIL - GREVE E CONCENTRAÇÃO NA SEDE DA SONAE - 11H30

 

EXIGIMOS A NEGOCIAÇÃO DO CTT DA APED E AS EMPRESAS SUAS ASSOCIADAS ONDE A SONAE É VICE PRESIDENTE, SEM REDUÇÃO DO VALOR PAGO POR TRABALHO SUPLEMENTAR E TRABALHO EM DIA FERIADO E SEM BANCO DE HORAS.

 

+Informações

NÃO HÁ RESPOSTA DA EMPRESA AO CADERNO REIVINDICATIVO DE 2018!

 

DIA 17 ABRIL GREVE NO PINGO DOCE/JERÓNIMO MARTINS – LOJAS E ARMAZÉNS
CONCENTRAÇÃO às 11H30 NA SEDE DA EMPRESA CAMPO GRANDE – LISBOA

 

Os trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins exigem:

 

Fim das discriminações;
Aumento dos salários e fim da aplicação da Tabela B para todos os trabalhadores sem discriminações;
Horários de trabalho dignos que permitam aos trabalhadores ter vida própria. Fim do banco de horas na empresa;
Condições de saúde e segurança no trabalho;
Fim dos brutais ritmos de trabalho e da pressão e repressão;
Negociação do Contrato Colectivo de Trabalho sem redução do valor do trabalho suplementar e trabalho em dia feriado e sem banco de horas.

Auchan continua sem responder às reivindicações dos trabalhadores

 

12 ABRIL – GREVE E CONCENTRAÇÃO NA SEDE DO AUCHAN - 11H30M

 

A empresa continua a remeter praticamente todos os assuntos do caderno reivindicativo para a negociação do Contrato Colectivo de Trabalho, não assumindo qualquer compromisso de aumento dos salários e subsídio de refeição.   
Não cumprem a Lei. Recusam-se a pagar os tempos acumulados das tarefas inacabadas quando perfaz as 4 horas, alegando que já “dá” uma tolerância de 4h59 mensais, pelo que, na opinião da empresa não faz sentido pagar essas 4 horas acumuladas (os 10, 15 e 20 minutos que os trabalhadores fazem tantas vezes no final do seu dia de trabalho).
A empresa continua a impor aos trabalhadores horários de trabalho desregulados  e  escalas com oscilações  diárias. Impõem horários de trabalho entre a 1h e as 6h  num total desrespeito pelas normas legais em vigor.
Discrimina salarialmente os trabalhadores com a mesma categoria profissional.

 

+Informações

ALDI TENTA IMPEDIR O EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE SINDICAL

 

Nas lojas e armazém Aldi, os dirigentes sindicais do CESP que não são trabalhadores da empresa estão a ser ameaçados de processos crime se entrarem nas lojas para contactar com os trabalhadores. Uma atitude sem precedentes por parte desta empresa onde os dirigentes sindicais do CESP sempre entraram nos locais de trabalho.

 

No próximo dia 14 de Abril, o CESP vai levar a cabo uma acção frente à loja de Alverca para denunciar publicamente estas práticas do Aldi e exigir que sejam cumpridas as normas legais e respeitados os direitos dos trabalhadores.

 

+Informações

APRESENTADA PROPOSTA PELO CESP DE REVISÃO DO CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO ÀS ASSOCIAÇÕES DA VIGILÂNCIA PRIVADA

 

ENQUANTO NÃO FOR NEGOCIADA A SUA REVISÃO, AOS SÓCIOS DO CESP CONTINUA A APLICAR-SE O CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO PUBLICADO NO BTE Nº 17 DE 8 DE MAIO DE 2011!

 

O CESP não subscreveu o Contrato Colectivo de Trabalho publicado em 15 de Outubro de 2017 por não aceitar a cedência de direitos dos trabalhadores como contrapartida da assinatura, mantendo-se para os sócios do CESP todo o texto do CCT de 2011, incluindo os salários.

 

+Informações

PUBLICADO O CCT PARA O COMÉRCIO RETALHISTA DE BRAGANÇA


Aumentos médios nos salários a partir de 3,8% a vigorar a partir de 1 de Janeiro 2018.

 

Foi possível a actualização dos salários em termos médios cerca de 3,9% para os trabalhadores administrativos e 3,8% para os trabalhadores do comércio, com retroactivos a 1 de Janeiro de 2018.

 

A negociação permitiu também:

Aumentar em 2,5% o subsídio de sábado à tarde, que passa de 15,60€ para 16,00€.
Aumentar em 2,1% o subsídio de alimentação, que passa de 4,80€ para 4,90€.

Misericórdias conhecem a Lei mas não a cumprem, com a conivência da União das Misericórdias Portuguesas

Dia 8 de Março de 2018 - GREVE na União das Misericórdias Portuguesas e em todas as Santas Casas de Misericórdia Associadas

 

Pelo aumento dos Salários de todos os trabalhadores

Pela revisão do Acordo de Empresa da União das Misericórdias Portuguesas

Pelo cumprimento da Portaria de Regulamentação das Condições de Trabalho e pagamento das diuturnidades devidas aos trabalhadores

Pela valorização do trabalho e das funções exercidas pelos trabalhadores

Contra a retirada de direitos e a desregulação dos horários de trabalho

 

Concentração às 11h30 na sede da União das Misericórdias Portuguesas, em Lisboa - Rua de Entrecampos, nº9

 

+Informações

Luta abre as portas da SONAE

Os armazéns da Sonae sofrem de “fobia de segurança contra roubos”.

 

Montaram um esquema de segurança nas logísticas do grupo que só tem paralelo nas prisões de ALTA SEGURANÇA.

 

Chegados ao espaço de trabalho, os trabalhadores, despojados de meios de comunicação com o exterior, são “presos”- fechados à chave - só podem de lá sair quando conseguirem juntar na porta o Segurança e o Chefe. Coisa que não é nada fácil de realizar.

 

Não há comunicações com o exterior durante o período de trabalho. Já aconteceu ter falecido um familiar e o “preso” só saber quando cessa o período de trabalho, o libertam e volta a ser cidadão livre, com acesso ao seu telemóvel.

 

COM A LUTA DOS TRABALHADORES E A INTERVENÇÃO E PERSISTÊNCIA DO CESP E DA COMISSÃO SINDICAL

 

A empresa a partir de 1 de Março vai acabar com o regime das portas bloqueadas no armazém da Sonae Plaza 1.

 

MAS VAMOS CONTINUAR A LUTAR!

Pelo aumento dos salários de todos os trabalhadores;

A valorização das carreiras profissionais e correcção da carreira de Operador de Armazém;

A passagem a efectivos dos trabalhadores com vínculos precários que ocupam postos de trabalho permanentes;

A melhoria das condições de saúde e segurança nos armazéns.

Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas/SAMS: CESP solicita intervenção do Ministério do Trabalho para a retoma do processo negocial

O CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal), face à ausência de marcação de reunião por parte da direcção do Sindicato Bancário do Sul e Ilhas (SBSI, afecto à UGT) sobre diversas matérias, nomeadamente para a retoma do processo negocial do Acordo de Empresa e dos aumentos salariais, enviou à Direcção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) a solicitar a convocação das partes para nova reunião, de acordo com o estabelecido na reunião havida em 6 de Novembro de 2017 e que oportunamente divulgámos.

 

O CESP ao tomar conhecimento da readmissão com todos os direitos inerentes, de um trabalhador despedido injusta e ilicitamente, congratula-o pela sua luta levada a cabo durante meses pelos seus direitos e contra as injustiças.

 

Este desfecho veio comprovar que os trabalhadores, quando lutam pela justiça, na defesa dos seus direitos e do seu posto de trabalho, podem vencer.

 

+Informações

Repressão na Autoestradas do Atlântico

Nos últimos dias, a Autoestradas do Atlântico, empresa do Grupo BRISA e concessionária das auto-estradas A8 e A15, lançou mais uma ofensiva sobre os seus trabalhadores com vista a forçar o despedimento dos mesmos.

 

O estratagema foi o habitual: isolar o trabalhadores numa sala onde três chefias o intimidam com as mais diversas falácias.

 

Denuncia junto do Sindicato qualquer comportamento indesejado com o objectivo de te perturbar ou constranger, afectar a tua dignidade, ou de te criar um ambiente intimidativo, hostil, degradante, humilhante ou desestabilizador.

 

Juntos vamos fazer frente a mais esta ofensiva contra quem trabalha!

 

+Informações

A Sonae aumenta os salários com base na discriminação!

Em resultado da luta dos trabalhadores das lojas e dos armazéns por aumentos salariais para todos e pelo cumprimento integral dos direitos consagrados no Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), a SONAE anunciou aumentos salariais, a aplicar em Janeiro.

 

Os trabalhadores da SONAE já conhecem bem a política da empresa no que aos salários dos trabalhadores diz respeito, só têm "direito" a aumento quem cumpra os critérios:

  • Avaliação de desempenho
  • Ausência de absentismo

 

Isto é, os chefes, mais uma vez, podem escolher quem é aumentado!

 

A continuação da luta é fundamental para o aumento dos salários de todos os trabalhadores, o fim da Tabela B e a aplicação da Tabela A (mais alta) a todos os trabalhadores da SONAE e a promoção automática dos operadores de armazém até ao nível de especializado.

 

+Informações

Trabalhadores da Jerónimo Martins dizem não aos ataques e incumprimento dos direitos

No ano de 2017, os trabalhadores das empresas de distribuição, nas lojas e nos armazéns, desenvolveram inúmeras e grandes lutas em defesa das suas reivindicações, junto das respectivas empresas, e pela negociação do Contrato Colectivo de Trabalho.

 

Vamos estar nos locais de trabalho a denunciar os comportamentos da empresa e exigir a satisfação das reivindicações e a negociação do CCT. Contamos contigo, participa!

 

+Informações

Chantagem patronal na negociação no Distrito de Lisboa

Ao longo dos últimos anos, os trabalhadores do comércio retalhista sofreram na pele  os ataques aos seus direitos, impostos pelos seus sucessivos governos, cúmplices do Patronato.

 

Os patrões durante anos bloquearam a negociação colectiva com o objectivo de roubar direitos conquistados pelos trabalhadores. Exemplo disso são os longos anos em que os salários não são actualizados.

 

Para nós, CESP, é inadmissível a postura das várias associações patronais, que insistem numa linha de desvalorização das profissões e dos trabalhadores, que em troca de nada se roube aquilo que é essencial para fazer a nossa vida, o nosso rendimento.

 

+Informações

Trabalhadores do Aldi fartos de injustiças e discriminações! Marcada Greve para dia 12 de Fevereiro!

Aldi quer impedir o exercício da actividade sindical na empresa!

 

Com grande estranheza nossa, as comunicações de plenários e contactos com os trabalhadores foram recusadas pela empresa, que quer impedir os dirigentes do Sindicato de falarem com os trabalhadores!

 

Perante este comportamento da empresa de total desrespeito pelos seus direitos e ainda pela exigência de resolução dos seus problemas, os trabalhadores e o CESP decidiram emitir um pré-aviso de greve para o próximo dia 12 de Fevereiro de 2018.

 

+Informações

Trabalhadores da Grande Distribuição mantêm as reivindicações!

A primeira reunião de conciliação está agendada para dia 6 de Fevereiro de 2018. Nesse dia, vamos concentrar-nos no Ministério do Trabalho (Praça de Londres, Lisboa) às 11h para exigir da APED (Associação Patronal) resposta às nossas reivindicações.

 

Na 1ª quinzena de Fevereiro faremos, em todo o país, denúncia frente às lojas e armazéns da postura das empresas e das condições indignas de trabalho na Grande Distribuição.

 

+Informações

Trabalhadores da Dia Portugal não baixam os braços! A luta continua!

O ano de 2017 fica marcado na história da empresa Dia Portugal, como o ano em que mais se atentou contra os direitos, garantias e aspirações dos trabalhadores.

 

Um ano eu fica definitivamente marcado também pela bravura, determinação e luta dos trabalhadores deste empresa em defesa das melhores condições de vida e de trabalho, por horários e salários dignos.

A Comissão Sindical do CESP saúda todos os trabalhadores que lutaram e lutam, num corajoso comportamento em que o seu sacrifício individual é para o benefício de todos!

À falta de respeito e de diálogo com os seus representantes, os trabalhadores responderam à porta das lojas e armazéns, de Norte a Sul, em grandes e combativas concentrações onde apenas se exigia o respeito e a condição digna para quem diariamente cria a riqueza que gera milhões de euros de lucros anuais!

 

+Informações

Grande adesão dos trabalhadores do Lidl marcam as greves de final do ano

Nos passados dias 22, 23 e 24 de Dezembro, todo o sector da grande Distribuição desenvolveu várias acções de luta. Sendo que neste campo evidenciaram-se em bom plano os trabalhadores do Lidl, em especial os dos quatro entrepostos Lidl existentes no país. Pela primeira vez na sua história em vinte e dois anos de existência, no passado dia 22 de Dezembro, os trabalhadores dos entrepostos e os trabalhadores das lojas Lidl estiveram e aderiram em massa à grande acção de luta convocada pelo CESP, nomeadamente à concentração frente à sede do Lidl, no Linhó.

 

+Informações

El Corte Inglês: A má vontade da empresa mantém-se...

No passado dia 13 de Dezembro, a Comissão Sindical voltou a reunir com os RH da empresa, para a discussão do Caderno Reivindicativo para 2018, na esperança da resolução dos problemas apresentados pelos trabalhadores, e de alguma flexibilidade da empresa no que são as nossas reivindicações para 2018, mas a postura mantém-se: Não, Não e Não!

 

+Informações

Na última reunião da Comissão Sindical com os representantes da DHL no final do mês de Novembro, foi colocado em debate o conjunto das reivindicações dos trabalhadores.

 

+Informações

CESP condena o encerramento da sala de pausa/refeitório dos Trabalhadores do SBSI/SAMS

Com esta tomada de posição, numa clara atitude autoritária, a Direcção do SBSI/SAMS demonstra, mais uma vez, uma profunda desconsideração pelos trabalhadores.

 

+Informações

Vamos à Luta no Natal! Greve: 22 de Dezembro na JMR; 23 e 24 de Dezembro no Pingo Doce e JMR

Trabalhadores do Pingo Doce e Jerónimo Martins sentem-se enganados e exigem a satisfação efectiva das suas justas reivindicações.

 

Vamos exigir do Pingo Doce/Jerónimo Martins:

 

  • Aumento salariais para todos sem discriminações;
  • Fim dos ritmos de trabalhos brutais;
  • Fim do desrespeito pelas normas de organização dos horários;
  • Respeito pela rotatividade dos dias de descanso;
  • Por condições de saúde, higiene e segurança nos locais de trabalho;
  • Fim da pressão, repressão e assédio aos trabalhadores.

 

+Informações

 

Incumprimento dos direitos dos trabalhadores são inadmissíveis no Grupo Modelo Continente

Exigimos a negociação do Contrato Colectivo de Trabalho! A luta tem que continuar! Greve dias 23 e 24 de Dezembro!

 

O CESP tem vindo a constatar e a confrontar a empresa Modelo Continente Hipermercados Sonae MCH com um vasto conjunto de situações de incumprimento quer do CCT, que das disposições do Código de Trabalho, nomeadamente no que se refere à organização e informação sobre os horários de trabalho.

 

No entanto e apesar das exigência de resolução das muitas situações quer do sindicato, quer pelos trabalhadores e seus representantes nos locais de trabalho, permanecem comportamentos e práticas ilegais e atentatórios dos direitos dos trabalhadores e das disposições legais e contratuais na generalidade dos estabelecimentos da Sonae MCH.

 

O CESP vai continuar a exigir da empresa a resolução das situações identificadas.

 

+Informações

Dia Portugal continua a não dar resposta! A luta continua! Greve dias 23 e 24 de Dezembro!

Vamos à luta para exigir da empresa a satisfação das nossas reivindicações, e da APED a negociação do Contrato Colectivo de Trabalho, sem retirar direitos aos trabalhadores!

 

Tem sido um ano duro, de muita luta e de sacrifício! Mas a nossa luta é justa, temos razões para não baixar os braços e sim continuar orgulhosamente a lutar por melhores condições de trabalho, de salários e de vida!

 

A reunião com a Direcção dos Recursos Humanos teve lugar no dia 20 de Novembro e havia a expectativa de que, desta vez, a DRH tivesse finalmente ouvido as reivindicações e aspirações dos trabalhadores e nos fosse apresentada uma resposta séria à resolução entregue.

 

Mas, mais uma vez, a empresa apresentou uma mão cheia de nada em tudo o que é essencial. Por isso, os trabalhadores lançam-se novamente na luta, marcando greve para os dias 23 e 24 de Dezembro!

 

+Informações

FNAC recusa aumento dos salários! Trabalhadores partem para a greve!

O CESP insiste na urgência do aumento dos salários de todos os trabalhadores.

A FNAC recusa alterar a sua posição e insiste no aumento dos salários em função das avaliações feitas anualmente a todos os trabalhadores.

 

Esta situação é incomportável para os trabalhadores!

A posição inflexível da empresa obriga à convocação de greve no dia 30 de Novembro!

Os objectivos são:

 

Aumento dos salários em 40€ para todos os trabalhadores, sem o critério de avaliação;

25 dias úteis de férias para os trabalhadores que só têm 22, sem critério de majoração;

O fim da imposição do banco de horas nos novos contractos;

Horários humanizados que permitam a conciliação da vida profissional, pessoal e familiar;

A integração, nos quadros da empresa, dos trabalhadores com vínculo precário;

Pelo cumprimento integral do Contrato Colectivo de Trabalho.

 

+Informações e Pré-aviso de Greve

Grupo Brisa: Caderno Reivindicativo. Preparação de propostas para revisão do ACT 2018.

Em Dezembro de 2016 foi apresentado o Caderno Reivindicativo para o ano de 2017. Até ao momento foi possível concretizar algumas das reivindicações, onde se salienta o aumento da tabela salarial, mas no entanto ficou muito aquém do desejado pêlos trabalhadores.

 

Vamos desenvolver contactos com os trabalhadores para juntos, discutirmos e actualizarmos o Caderno Reivindicativo, donde sairão já as propostas para a negociação do ACT 2018!

 

Dia 24 de Novembro de 2017, reunião da Estrutura Sindical das Autoestradas! Faz chegar as tuas propostas ao teu delegado sindical!

 

+Informações

Com a Luta, os Trabalhadores da Lusíadas conquistam os seus direitos!

Após algumas batalhas, já conseguimos com a intervenção do sindicato, vitórias no que diz respeito a:

 

- Regularização dos Subsídios de turno retidos indevidamente;

- Devolução da retribuição de horas ilegalmente descontadas;

- Actualização das categorias profissionais;

- Instalação de um computador no Edifício I para consulta geral;

- Atribuição de Horário Flexível a trabalhadoras com responsabilidades familiares.

 

+Informações

Os trabalhadores da DIA Portugal exigem ser respeitados. A luta vai continuar!

A ausência de respostas da empresa continua a demonstrar uma postura de total desrespeito para com os trabalhadores da Dia Portugal - Minipreço/Clarel.

 

Consciente da heróica luta que temos travado em todo o país, apelamos à continuação e intensificação da luta na Dia Portugal, com a participação de todos os trabalhadores do país numa grande acção de luta nacional dos trabalhadores da Dia Portugal - Minipreço/Clarel, no próximo dia 19 de Outubro de 2017, com a realização de greve para todos os locais de trabalho do grupo, com concentração frente à sede da empresa, em Oeiras.

 

+Informações

Reunião com a DRH Brisa

No dia 29 de Agosto o CESP reuniu com a DRH da BRISA, onde foram abordados diversos assuntos, nomeadamente sobre a situação na Reditus, o trabalho suplementar ou informações sobre a Brisa Gestão de Infraestruturas.

 

+Informações

Na mansão de Marvila pratica-se Assédio Moral!

Trabalhadores na Mansão de Marvila, com a categoria "ajudante acção directa" são discriminados por serem sindicalizados!

 

+Informações

TRABALHADORES DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE MIRANDELA EXIGEM RESPEITO, FIM DO ASSÉDIO MORAL CUMPRIMENTO DO CONTRATO COLETIVO DE TRABALHO

Os trabalhadores da Santa Casa da Misericórdia de Mirandela, em plenário, decidiram mandatar o sindicato para levar a cabo uma acção de denúncia pública nas ruas da cidade, para tornar públicos os problemas existentes na instituição.

 

Assim iremos fazer uma distribuição à população no dia 29 de Setembro, a partir das 14h30, nas principais ruas da cidade.

 

Após várias reuniões com a Mesa Administrativa, com a presença do Provedor da Santa Casa, a situação laboral piorou. Aliás o assédio moral levado a cabo pela Diretora de Recursos Humanos e Provedor aniquila por completo o bom ambiente laboral que a instituição tanto apregoa.

 

Os trabalhadores, com o seu sindicato e através do diálogo social com a direcção tentaram resolver alguns dos problemas dos trabalhadores, mas os responsáveis da Santa Casa teimam em não dar respostas concretas e persistem nos incumprimentos do contrato coletivo de trabalho.

 

Assim e porque os trabalhadores entendem que, pela sua postura responsável que sempre prestigiou a instituição, são merecedores de um maior respeito por parte da Direcção da Santa Casa de Mirandela, decidiram denunciar as suas principais reivindicações. São as seguintes as suas exigências:

 

·         Aumento de salário

·         Respeito

·         Fim do assédio moral de que são alvo diariamente

·         Aplicação da PRT

·         Jornada contínua para todos os trabalhadores

·         Pagamento das diuturnidades

·         Pagamento do subsídio de feriado (100%) a todos os trabalhadores

·         Condições de trabalho

·         Equipamentos em condições

·         Fim da discriminação entre trabalhadores por parte da mesa administrativa

·         Alimentação com qualidade

·         Fim da discriminação salarial

·          Diálogo social com os representantes dos trabalhadores e mesa administrativa

 

Os trabalhadores assumindo-se como a face mais visível da Santa Casa da Misericórdia de Mirandela estão a demonstrar o seu descontentamento e denunciar à população da cidade a sua situação, na expectativa de que a instituição caia em si e venha a resolver os seus problemas.

 

Apelamos a esse órgão de comunicação social que faça o melhor tratamento noticioso desta denúncia dos trabalhadores e enviamos os nossos melhores cumprimentos

 

A Direcção Regional do Porto, Vila Real e Bragança

Direcção Regional da Beira Litoral do CESP denuncia discriminação salarial praticada pela Sonae / Modelo Continente Hipermercados e pelo Pingo Doce/Jerónimo Martins:

 

Trabalhadores de Lisboa, Porto e Setúbal com a mesma categoria profissional têm enormes diferenças salariais relativamente aos trabalhadores do resto do país.

 

A APED e estas empresas não querem resolver a discriminação, recusando negociar com o CESP/Fepces o fim da Tabela B no Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), enquanto outras empresas da distribuição não praticam esta discriminação, pagando a todos os trabalhadores pela Tabela A – mais alta – do CCT.

 

22 de Setembro – pelas 11,30 horas – acção de denúncia frente ao Continente de Vale das Flores – Coimbra Shopping – Coimbra

 

25 de Setembro – pelas 11,30 horas – acção de denúncia frente ao Pingo Doce de Espinho

El Corte Inglés - Tantos lucros, tantos milhões... e para os trabalhadores: "uma mão cheia de NADA!"

No passado dia 29 de Agosto, realizou-se mais uma reunião com a Direcção dos Recursos Humanos, após terem sido divulgados ao público os números dos lucros e recordes de vendas da empresa. Mas, mesmo assim, a postura da empresa mantêm-se igual!

 

+Informações

 

DHL - Vale a pena lutar!

Com a organização e luta dos trabalhadores da DHL já melhoraram as condições de trabalho.

No entanto, há reivindicações dos trabalhadores que a empresa se comprometeu a dar resposta e ainda não deu!

 

A luta vai ter que continuar para que haja efectiva de satisfação das reivindicações dos trabalhadores e condições de trabalho e cumprimento dos compromissos assumidos pela empresa.

 

UNIDOS SOMOS MAIS FORTES, A LUTA CONTINUA!

DIA Minipreço: Continuar a luta pela efectiva satisfação das reivindicações dos trabalhadores!

Terminaram no dia 15 de Julho as negociações do Caderno Reivindicativo entre a Empresa e a Comissão Sindical do CESP, sem acordo. Será resposto o pré-aviso de greve ao trabalho extraordinário e trabalho normal em dia feriado.

 

+Informações

Trabalhadores da Fundação D. Pedro IV exigem o pagamento em dívida. Diálogo e trabalho em equipa é urgente!

Decorreu no dia 6 de Junho, na Mansão Stª Maria Marvila, reunião entre a Directora Adélia Marinho e Dirigente Sindical do CESP.

 

Por parte do CESP, na abordagem à situação por resolver relativamente ao pagamento da actualização salarial em dívida e retroactivos com efeitos a 1 de Janeiro de 2015, e que foi exposto em reunião a 10 de Abril de 2017 com o Presidente Vasco Canto Moniz. A Directora informou que a aguardam a resposta final da advogada da Fundação, por entender que a actualização só é devida em Abril de 2016.

 

É urgente que os trabalhadores recebam o que lhes é devido!

 

+Informações

Novos Salários e Subsídios a partir de 1 de Janeiro de 2017 para os trabalhadores dos grossistas de produtos químicos e farmacêuticos!

Foi possível chegar a acordo para a revisão dos salários e subsídios para o anos de 2017 e, com a persistência da FEPCES/CESP, serem aumentados todos os níveis da tabela salarial.

 

Todos os valores têm efeitos retroactivos a 1 de Janeiro de 2017.

 

+Informações

Associação Patronal e Empresas já apresentaram contraproposta com valorização da carreira profissional dos Operadores de Armazém

Continuamos a exigir a categoria profissional de Operador de Armazém especializado e o aumento dos salários de todos os trabalhadores!

 

Na reunião de 21 de Junho de 2017, a APED, em representação das empresas, afirma que os sindicatos terão que negociar "contrapartidas" nomeadamente em matéria de organização do tempo de trabalho (banco de horas, redução do valor pago por trabalho suplementar) e redução do valor pago por trabalho em dia feriado.

Não aceitamos medidas que desregulem os horários de trabalho e impossibilitem o direito à família e vida pessoal e reafirmamos as propostas do CESP/Fepces!

 

Junho, 2017

 

+Informações sobre o sector da Grande Distribuição

Greve no Pingo Doce de Braga Parque e Vila Verde dia 1 de Julho!

Dia Minipreço/Clarel: Vale a pena lutar!

A comissão sindical do CESP vem por este meio informar todos os trabalhadores que começaram as negociações do caderno reivindicativo na empresa Dia Minipreço/Clarel e neste momento a mensagem que queremos passar é de confiança e esperança neste processo.

 

Junho 2017

 

+Informações

Liberdade para o Saara Ocidental

 

 

O Saara Ocidental ocupa um território com aproximadamente 284.000 km2 – mais de três vezes a área de Portugal –, com uma costa marítima com aproximadamente 1.500 km, que contém um dos mais ricos bancos pesqueiros do mundo, e outros importantes recursos naturais, designadamente minerais.

O Saara Ocidental foi uma colónia espanhola, tendo as Nações Unidas inscrito o Saara Ocidental na lista dos territórios que deviam ser descolonizados, reconhecendo o direito inalienável do povo saaraui à auto-determinação e a Frente Polisário como sua legítima representante.

Marrocos invadiu parte do território em 1975 e desencadeou uma violenta acção militar contra o povo saarauí, obrigando uma grande parte a procurar refúgio na vizinha Argélia. A Frente Polisário resistiu à invasão e proclamou, em 27 de Fevereiro de 1976, a República Árabe Saharauí Democrática (RASD).

Passados mais de 40 anos e desrespeitando as resoluções das Nações Unidas, os territórios do Saara Ocidental continuam ilegalmente ocupados por Marrocos, que implementa uma política de violação dos mais elementares direitos humanos e não permite o adequado acesso à saúde, à educação ou ao trabalho, oprimindo o povo saarauí que vive e resiste à ocupação nesses territórios.

Ao povo saarauí continua negado o direito ao desenvolvimento e ao progresso social que só a constituição do seu próprio estado, como a ONU reconhece, pode tornar possível, ao mesmo tempo que vê os recursos naturais do território que devia constituir o seu legítimo estado serem explorados e toda a sua riqueza ficar na mão do estado colonizador.

As organizações portuguesas abaixo-assinadas reafirmam a sua solidariedade com os trabalhadores e o povo saarauí, que vive há décadas sob a ocupação do Reino de Marrocos e consideram que uma solução justa para o Saara Ocidental exige:

    A instalação de um mecanismo permanente da ONU para o acompanhamento do respeito dos direitos humanos do povo saarauí nos territórios ocupados;

    A libertação dos presos políticos saarauís nas prisões marroquinas;

    O fim da ocupação marroquina do Saara Ocidental;

    O respeito pelo inalienável direito à auto-determinação do povo saarauí;


As organizações abaixo-assinadas:


- Denunciam a postura conivente da União Europeia que através do acordo de parceria explora recursos naturais dos territórios ilegalmente ocupados do Saara Ocidental em proveito de empresas Marroquinas e Europeias – acordo de Parceria que foi declarado ilegal pelo Tribunal Europeu de Justiça em Dezembro de 2015;


- Consideram que o Governo português deve tomar uma posição clara contra as agressões do Reino de Marrocos ao povo saarauí e de exigência do cumprimento das deliberações da ONU quanto ao Saara Ocidental, designadamente o cumprimento do direito à auto-determinação do povo saarauí.


As organizações subscritoras (até ao momento):

Conselho Português para a Paz e Cooperação

Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional

Movimento Democrático de Mulheres

 

Sindicatos dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços (CESP)

Trabalhadores da EMEL têm finalmente o seu instrumento de regulamentação das relações de trabalho

Assinado dia 25 de Maio de 2017 o Acordo de Empresa da EMEL!

 

Os trabalhadores da EMEL, com o seu Sindicato de classe – o CESP – lutaram durante mais de 12 anos pela negociação do Acordo de Empresa (AE) – instrumento de regulamentação colectiva de trabalho – que foi agora assinado, para terem as suas relações de trabalho regulamentadas e a garantia do reconhecimento das condições em que exercem as suas funções e respectivas contrapartidas.

Vale a pena Lutar!

 

+Informações

 

Garante os teus direitos. Sindicaliza-te
Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Contactos CESP
CESP Notícias
Interjovem - CESP Jovem
CGTP-IN