O CESP (Sindicato do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) aproveita em primeiro lugar para saudar todos os trabalhadores da empresa DIA Portugal, pela sua firmeza e dedicação às populações num difícil momento em que se mantiveram nos seus locais de trabalho, garantindo um serviço essencial à sociedade.

 

É, mais do que nunca, tempo de valorizar o trabalho e os trabalhadores da DIA Portugal e de todo o sector da grande distribuição!

 

+Informações

Aos trabalhadores da Jerónimo Martins:

Diz NÃO ao Banco de Horas

 

Entre 16 de Julho e 3 de Agosto decorrem as votações do referendo para a instituição do Banco de Horas Grupal no Pingo Doce (lojas, cozinhas centrais e fábrica de massa fresca) e na Jerónimo Martins.

 

O banco de horas é mais uma forma da empresa dispor do teu tempo e da tua vida (pessoal e familiar) conforme lhe interessa, sem que tenhas direito a gerir o teu tempo, a programar e organizar a tua vida e sem conseguires conciliar a vida profissional com a vida pessoal e familiar.

 

Aceitar o banco de horas é aceitar que o patrão dispõe do teu tempo em função das suas vendas, dos seus lucros e dos seus interesses.

 

Em tempos de pandemia, nem um direito a menos na José Mello Saúde

 

Apesar deste tempo especial pelo qual passamos, a actividade do CESP e dos delegados sindicais na JMS não parou.

 

Sempre que os trabalhadores necessitaram de ajuda na resolução de problemas pontuais, tiveram no CESP um porta-voz junto da empresa, e algumas das situações reportadas foram resolvidas após a intervenção do sindicato.

 

Os delegados sindicais representaram também os trabalhadores da JMS nas acções de Luta promovidas pela CGTP-IN em defesa dos direitos dos trabalhadores.

 

+Informações

Após período de confinamento trabalhadores regressam ao trabalho ao ritmo e nas condições pretendidas pela FNAC

 

Os cortes salariais tiveram impactos muito negativos nos rendimentos dos trabalhadores.

 

Períodos de férias não gozados devido ao Lay-off têm de ser remarcados.

 

Os trabalhadores e o CESP denunciam que, neste período mais de 20% dos trabalhadores da FNAC foram despedidos (no período experimental e por caducidade dos contratos a termo) estando os trabalhadores neste momento com sobrecargas excessivas de trabalho.

 

+Informações

Semana Nacional de Luta na DHL

GREVES de 22 a 26 de Junho

 

O CESP rejeita a política de agravamento da exploração e empobrecimento de atropelo dos direitos e assume o compromisso de levar a cabo uma ampla acção de esclarecimento, mobilização e luta, reforçando a unidade dos trabalhadores, a sua sindicalização e organização, para garantir a valorização do trabalho e dos trabalhadores.

 

Assim, os trabalhadores em plenário decidiram realizar uma Semana Nacional de Luta com greves parcial nos dias 22, 23, 24, 25 e 26 de Junho de 2020, entre as 09h e as 10h, com piquete de greve à porta da empresa.

 

+Informações

O CESP tomou conhecimento que em diversas lojas Pingo Doce do Distrito de Lisboa se está a verificar um grande aumento no número de trabalhadores infectados com COVID-19.

 

Os trabalhadores, face às situações relatadas que se agravam, e ao número crescente de trabalhadores infectados nos diferentes locais de trabalho da empresa, exigem que o plano de contingência seja revisto para implementação em todas as lojas e armazéns.

 

O CESP, uma vez mais, mostrou toda a disponibilidade para reunir com a empresa no sentido de agilizar estes processos de alteração aos planos de contingência e à tomada de medidas concretas.

 

+Informações

Novos Salários com efeito a 1 de Janeiro de 2020 na Lusoponte

 

Ficou concluída a negociação para a revisão dos salários para 2020.

 

Valores acordados:

 

      - Aumentos de 1% sobre os vencimentos da Tabela Salarial de 2019;
      - Fixação do subsídio de alimentação em 9,40€ por dia;
      - Fixação do abono para falhas de caixa em 1,96(5)€ por dia.

 

Tabela Salarial

Os Trabalhadores da SFUAP estão em Luta pelo Aumento dos Salários

 

GREVE 3 de Junho de 2020

 

HÁ VÁRIOS ANOS QUE OS TRABALHADORES DA SFUAP NÃO TÊM AUMENTO DOS SEUS SALÁRIOS.


DIA 3 DE JUNHO ESTARÃO EM GREVE EXIGINDO O AUMENTO DOS SALÁRIOS E A REPOSIÇÃO DO PODER DE COMPRA PERDIDO.

 

+Informações

Os Trabalhadores da FNAC não aceitam imposição do gozo de férias

 

O Grupo FNAC emitiu um comunicado interno no qual pretende:

 

  • Marcar pelo menos 3 períodos de férias;
  • Obrigar à marcação e gozo de 10 dias úteis de férias até ao dia 3 Julho;
  • Que períodos com mais de 10 dias úteis de férias careçam de autorização escrita do Manager;
  • Impedir o gozo de férias no período de 15 de Novembro a 24 de Dezembro, nas Lojas.


Nas lojas do Algarve, Aeroporto, Viseu, Vila Real, Aveiro e Viana do Castelo, impedir a marcação de férias no mês de Agosto.

 

Tal pretensão é inaceitável, pois a mesma nada mais é do que uma imposição unilateral do direito ás férias por parte dos trabalhadores.


Apesar de estarmos num estado de calamidade, os direitos dos trabalhadores não estão suspensos!


O CESP já enviou oficio a denunciar esta imposição e a exigir a sua revogação.

 

+Informações

Os Trabalhadores da José Mello Saúde e o CESP não aceitam imposição do gozo de férias


O Grupo José Mello Saúde emitiu um comunicado interno no qual pretende impor o gozo de 10 dias de férias entre os meses de Maio e Junho, alegando uma baixa de actividade nesse período e prevendo um grande aumento da procura das unidades CUF nos meses seguintes.


Tal pretensão é inaceitável, pois a mesma nada mais é do que uma imposição unilateral do direito ás férias por parte dos trabalhadores.


O CESP já enviou oficio a denunciar esta imposição e a exigir a sua revogação.


Caso contrário, realizará todas as iniciativas em conjunto com os trabalhadores e apresentará queixa junto das entidades competentes.

 

+Informações

Pingo Doce/Jerónimo Martins Usa e Abusa do Banco de Horas e retira 1 dia de descanso semanal aos seus trabalhadores


Os trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins veem-se confrontados com a insuficiência de medidas de prevenção do contágio, nomeadamente, a falta de garantia de desinfecção dos espaços, bem como a garantia da limitação da entrada e aglomeração de clientes nas lojas, à semelhança de todos os trabalhadores da distribuição que diariamente assumem os seus postos de trabalho para garantir à população o acesso a produtos alimentares, considerados essenciais em momento de pandemia.


Os trabalhadores nos seus locais de trabalho devem continuar a defender o direito, em cada semana, a dois dias de descanso, que devem ser gozados juntos para possibilitar a recuperação efectiva do trabalhador.

 

+Informações

Prémio de 20% anunciado pelo Grupo Sonae foi truque


Foi recentemente veiculado numa campanha de comunicação interna e publicitado na comunicação social, que os trabalhadores do Grupo SONAE que estão na linha da frente nos locais de trabalho durante a pandemia iriam receber um prémio de 20% do seu salário.

 

Contudo, tal informação não corresponde inteiramente à verdade.


O que deveria ser uma justa recompensação pelo esforço dos trabalhadores, não é mais que uma campanha de branding, de divisão dos trabalhadores e de pressão para que estes abdiquem dos seus direitos.


O CESP reitera a sua posição de defesa do aumento dos salários de todos os trabalhadores e repudia esta e todas as discriminações, e exige que a SONAE cumpra com o compromisso assumido perante os trabalhadores e o país.

 

+Informações

Os trabalhadores da EPAL e o CESP exigem o pagamento de despesas decorrentes do Teletrabalho


O CESP enviou um oficio para a Administração da EPAL a exigir que, aos trabalhadores em Teletrabalho por efeito do Estado de Emergência motivado pelo do surto do COVID-19, seja assegurado no que respeita a tecnologia de informação e de comunicação a respectiva instalação e manutenção dos equipamentos.


Foi também exigido o pagamento de todas as despesas que daí decorrerem, que em nosso entender deveria passar pela atribuição de um subsídio mensal.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020

Info 6


Interrompidas as reuniões de negociação desde 12 de Março, devido à epidemia do COVID-19, no dia 8 de Abril retomamos as negociações e realizou-se a 9ª reunião, decorrendo de forma informal as partes puderam apresentar e defender as suas propostas.

 

Conforme sempre defendemos não existiam motivos para a paragem do processo negocial, garantindo as condições adequadas e cumprindo as orientações da DGS é perfeitamente possível avançar com as negociações que permitam chegar a um acordo que permita a melhoria das condições dos trabalhadores.

 

+Informações

Os Trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins em quarentena e com filhos menores estão a ser obrigados a ir trabalhar no período da Páscoa

 

Está em causa o direito à organização do trabalho em condições socialmente dignificantes, de forma a facultar a realização pessoal e a permitir a conciliação da actividade profissional com a vida familiar.


E para além disso, o direito à prestação do trabalho em condições de higiene, segurança e saúde, o direito ao repouso e a um limite máximo da jornada de trabalho.


Continua a ser colocado em primeiro lugar a ganância do lucro e só muito depois a saúde e até a vida dos trabalhadores.

 

+Informações

CESP força DHL a tomar medidas de prevenção e protecção contra o COVID 19


Perante a acção insistente do CESP, a direcção da DHL viu-se forçada a tomar algumas medidas, nomeadamente, dar informações mais claras sobre o Plano de Contingência aos trabalhadores e a tomar medidas de prevenção e protecção da saúde dos trabalhadores dos armazéns.


Entretanto, a empresa confirmou ao CESP que não irá descontar os dias de férias aos trabalhadores em isolamento ou quarentena, o que seria ilegal e que iria dar origem à intervenção do CESP.


Os trabalhadores que se encontrem nesta situação devem estar atentos e não permitir que o seu direito a férias seja posto em causa. As férias devem ser marcadas por acordo entre trabalhador e empresa e servem para permitir a recuperação física e psíquica dos trabalhadores, o que não acontece nos casos de quarentena/isolamento.


No entender do CESP, a direcção da DHL tem todas as condições para apoiar os trabalhadores nesta fase difícil, principalmente assegurar que os seus rendimentos não são afectados.

 

+Informações

FNAC avança com Lay-off a partir de 1 de Abril para 86% dos Trabalhadores


A empresa acumulou lucros ao longo de muitos anos, assente na imposição de baixos salários e desregulação das regras da prestação de trabalho.


Durante este período, nunca tiveram qualquer disponibilidade para os partilhar com os trabalhadores.

 

Sobre a marcação das férias de forma unilateral, relembramos que o único regime aplicável à marcação das férias é o disposto no artigo 241º do Código do Trabalho.


O CESP irá enviar um ofício à empresa, porque consideramos que esta apesar de cumprir com os critérios exigíveis pelo normativo legal aplicável a este regime excepcional de lay-off simplificado, não se encontra em situação de crise empresarial para recorrer a este apoio.


Também, para clarificar que na empresa o rendimento ilíquido dos trabalhadores é composto por uma parcela variável significativa, motivo pelo qual devem esclarecer todos os trabalhadores sobre a forma como pretendem efectuar o cálculo sobre o valor que lhes será pago no final de cada mês.


No regime simplificado de lay-off, a retribuição dos trabalhadores é reduzida para apenas dois terços da sua retribuição normal ilíquida.

 

+Informações

A SAGA CONTINUA!
Direcção do SBSI/SAMS mantém perseguição aos trabalhadores!


O CESP não aceita Lay-off no SBSI/SAMS


A decisão de encerrar todas as Clinicas do SAMS e do Centro Clinico foi da Direcção do SBSI. Nenhuma medida imposta no Estado de Emergência obriga ao encerramento de unidades de saúde.


Entende o CESP que a direcção do SBSI/SAMS se está a aproveitar da pandemia e do Estado de Emergência para resolver problemas financeiros internos, resultado dos seus actos de gestão.


A Direcção do SBSI decide encerrar o sindicato quando todos os trabalhadores do sector se mantêm ao serviço e a contribuir normalmente. O SBSI e o SAMS vão continuar a receber as contribuições das entidades bancárias, dos trabalhadores bancários e dos trabalhadores do SBSI/SAMS.


O que pretende a Direcção do SBSI é aproveitar o momento difícil em que os trabalhadores e o país se encontram para mitigar os maus resultados, fruto da sua má gestão, com recurso aos rendimentos dos trabalhadores e da Segurança Social.

 

+Informações

É dever do Pingo Doce/Jerónimo Martins o cumprimento das regras de segurança e saúde no trabalho nas lojas e armazéns


Saudamos todos os trabalhadores e suas famílias e manifestamos todo o apreço pelos que estão na linha da frente na prestação de serviços essenciais às populações.

 

Vivemos momentos difíceis e todos devemos ser parte da solução, pelo que reafirmamos que nenhum trabalhador deve de executar as suas funções se não estiver garantida a sua protecção.

 

Devemos exigir dos responsáveis do Pingo Doce/Jerónimo Martins, a distribuição dos produtos e equipamentos de protecção e a criação de condições para se manter a distância social.

 

Por isso, o CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comercio Escritórios e Serviços) exige à direcção do Pingo Doce/Jerónimo Martins o cumprimento da protecção e saúde dos trabalhadores e dos seus clientes.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020

Info 5

 

Empresas cancelaram a 9ª reunião de negociação, agendada para o dia 19 de Março, com a evolução da epidemia do COVID-19 o processo negocial terá necessariamente de desenvolver-se noutros moldes.

 

Salientamos que poderia-se ter evoluído para um acordo em tempo útil. O processo negocial iniciou-se em Dezembro de 2019.


Mas as empresas iniciaram o processo  negocial sem qualquer proposta para os trabalhadores. Mantiveram em reuniões consecutivas proposta de 0% (ou seja: estagnação dos salários no melhor ano de sempre!), e noutras reuniões evoluíram a sua proposta uns míseros  0,1% com objectivo de prolongar o processo negocial e desgastar os representantes dos trabalhadores.


Lamentamos esta postura que inviabilizou a conclusão do processo negocial, até ao momento, apesar de todos os esforços da Comissão Negociadora Negocial.

 

+Informações

Lucros apenas para os accionistas na Via do Infante!

 

Trabalhadores exigem uma justa distribuição da riqueza e não aceitam a chantagem.


Após 4 reuniões de negociações e as empresas pouco ou nada tem para dar aos trabalhadores.


Depois do CESP fundamentar a necessidade de aumentos de salários para os trabalhadores e de não fazer sentido alterar os descritivos de funções dos trabalhadores, não podemos ceder ás alterações propostas pela empresa.


Caso contrário, deixamos de ter categorias diferenciadas, colocando em causa alguns postos de trabalho, a segurança e serviço prestado aos próprios utentes da via.

 

+Informações

Avanços na Lusíadas

 

No passado dia 9 de Março, o CESP reuniu com a Lusíadas, SA para ser debatido o Caderno Reivindicativo e a efectiva aplicação da Convenção Colectiva de Trabalho (CCT) subscrito pelo CESP, publicada no BTE Nº 43 de 22/11/2000.

 

Em resultado das minutas entregues pelos trabalhadores e do ofício enviado pelo CESP, a empresa informou que pretende começar a negociar, tendo solicitado ao sindicato o envio das cláusulas convertidas no CCT que pretende que sejam aplicadas aos trabalhadores.


O CESP exige a aplicação com efeitos imediatos, entre outros, o pagamento de Diuturnidades, Trabalho Suplementar, Trabalho nocturno, Trabalho prestado aos sábados e domingos e ao pagamento do Trabalho em dias de descanso e feriados.

 

+Informações

A Pingo Doce/Jerónimo Martins quer continuar a ter trabalho gratuito através do banco de horas


Os trabalhadores do Pingo Doce Jerónimo Martins estão a ser “chamados” para reunir com os recursos humanos para serem informados dos “benefícios de trabalhar à borla”.


O regime de banco de horas não é mais do que a empresa querer que os trabalhadores prestem trabalho de forma gratuita e com regras duvidosas, sem respeito pelos direitos dos trabalhadores e das suas famílias, procurando ter os mesmos a todo o tempo disponíveis para servir o patrão.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020

Info 4

 

Após a 7ª reunião de negociação directa está claro o que as empresas pretendem do processo negocial! Até porque já o referiram diversas vezes!

 

Para as empresas entramos num processo de negociação dissimulada, em que vai havendo propostas das partes, mas desde já é definido (pelas empresas) qual é o objectivo final da negociação. Para as empresas não podemos ultrapassar 0,9%, eventualmente 1% para os aumentos salariais!

 

Esta proposta e postura das empresas é inaceitável!

 

A Comissão Negociadora Sindical (CNS) FEPCES/CESP não entra em joguinhos, muito menos de fingimento! Não aceitamos o vale tudo!

 

+Informações

OS TRABALHADORES DA MARKTEL SINDICALIZAM-SE E LUTAM APESAR DO CLIMA DE REPRESSÃO E MEDO QUE LHES É IMPOSTO DENTRO DO LOCAL DE TRABALHO


O CESP não tem medido esforços para resolver os problemas que os trabalhadores da Marktel têm colocado, mas serão sempre os próprios trabalhadores a fazer com que os seus direitos sejam respeitados, sindicalizando-se, organizando-se e mobilizando-se para a luta.


Ainda assim, o CESP conseguiu que a empresa reconhecesse os seguintes direitos:

 

  • Direito à pausa
  • Reconhecimento dos feriados de Badajoz

 

O CESP conseguiu ainda que a empresa recuasse em relação ao pagamento de horas que a própria empresa impediu os trabalhadores de cumprir!

 

+Informações

DIA 29 DE FEVEREIRO DE 2020
DIA DE LUTA DOS TRABALHADORES DO LIDL

OS TRABALHADORES DO LIDL REALIZARAM ESTE MÊS DE FEVEREIRO PLENÁRIOS DE TRABALHADORES NAS LOJAS E ENTREPOSTOS.


COM A EXIGÊNCIA:

  • Aumento dos salários em 90€ para todos os trabalhadores;
  • Reposição dos 3 escalões remuneratórios a todos os trabalhadores e pagamento dos retroactivos aos trabalhadores penalizados com a criação de um quarto escalão;
  • Fim da pressão, repressão e perseguição aos trabalhadores;
  • Atribuição de subsídio de frio a todos os trabalhadores que trabalham em temperaturas controladas;
  • Preferência na ocupação de postos de trabalho a tempo inteiro ou aumentos de carga horária aos trabalhadores em part-time.

 

 Comunicado

Revisão ACT BRISA 2020

Info 3

 

Realizada a 6ª reunião de negociação directa, empresas continuam a insistir no argumento único da Taxa de Inflação prevista pelo Banco de Portugal para 2020 para justificarem as propostas “mal amanhadas” que apresentam.

 

Os ganhos de produtividade, o aumento de tráfego e receita (ACIMA DE 6%) e o crescimento do lucro líquido em 2019 (204,5 milhões de euros), tudo é ignorado.

 

PROPOSTAS DA FEPCES E DAS EMPRESAS

Trabalhadores da FNAC exigem o aumento dos salários e a valorização das carreiras profissionais

 

O CESP e a Comissão Sindical enviaram à FNAC o Caderno Reivindicativo dos Trabalhadores para 2020 e a resposta obtida foi de não haver disponibilidade da FNAC para reunir e que os assuntos são os mesmos de 2019.


Efectivamente, no Caderno Reivindicativo há vários assuntos que voltam a ser colocados visto não ter havido resposta da empresa a importantes problemas, nomeadamente, aumentos salariais significativos e valorização das carreiras e qualificações adquiridas pelos trabalhadores ao longo de anos e anos de trabalho.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020

Info 2

 

Após quatro reuniões de negociações directas, com uma proposta de aumento salarial de 0,3%, empresas tentam bloqueio do processo negocial!


A riqueza gerada pelas empresas está distribuída de forma cada vez mais desproporcional.


Os aumentos salariais não têm acompanhado a subida do Salário Mínimo Nacional (SMN) e brevemente vamos ter trabalhadores a auferirem o SMN e outros com vencimentos pouco acima.


Para contrariar este caminho, a CNS apresentou a seguinte proposta:

 

  • 4,7% de acréscimo na tabela salarial e cláusulas de expressão pecuniárias;
  • Garantir o aumento de 90€/mês a todos os trabalhadores;
  • Valor chamada (cláusula 27ª) - 10€.

 

+Informações

REALIZOU-SE NO DIA 17 DE JANEIRO DE 2020 A SEGUNDA REUNIÃO DE NEGOCIAÇÕES DO AE DA VIA DO INFANTE

 

Não podemos aceitar que a empresa apresente  proposta de aumento na tabela salarial de apenas 0,5%, quando:

  • É concessionária de uma via onde o número de utilizadores desta aumenta a cada ano, aumentando assim também os lucros para os accionistas.
  • Está implementada na região do Algarve, onde o custo de vida é superior ao resto do país.

 

+Informações

Grande Participação no 1º Plenário Geral de Trabalhadores da José Mello Saúde com concentração à porta da CUF Infante Santo


Plenário Geral de Trabalhadores


No passado dia 20 de Dezembro de 2019, realizou-se pela primeira vez um plenário geral de trabalhadores do grupo José Mello Saúde (JMS) à porta da CUF Infante Santo de modo a trazer para a rua as justas reivindicações dos trabalhadores.


No final do Plenário, os trabalhadores aprovaram uma Resolução que foi enviada à administração do grupo JMS.


Reunião com a Associação Portuguesa da Hospitalização Privada (APHP)


Continuam a decorrer reuniões com a associação patronal no sentido de ser negociado um novo CCT do sector onde seja valorizada as carreiras e categorias profissionais e garantidos os direitos dos Trabalhadores já consagrados na Convenção em vigor.

 

Actividade Sindical


Foi enviado o Caderno Reivindicativo (CR) para o  Grupo José de Mello Saúde,  para  ser debatido juntamente com outros assuntos, na reunião agendada para o dia 30 de Janeiro.

 

+Informações e Caderno Reivindicativo

Retalhista de Aveiro: Novos Salários com efeitos a 1 de Janeiro de 2020

 

Está concluído o processo de negociação do Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) para o Comércio Retalhista de Aveiro.

 

O CESP teve um papel fundamental no acordo alcançado.

 

Importa sublinhar a importância que a Contratação Colectiva tem para a defesa e consagração dos direitos dos trabalhadores.

 

+Informações e Tabela Salarial

Revisão ACT BRISA 2020

Info 1


(16/01/2020) Realizada a segunda reunião do processo negocial para revisão do Acordo Colectivo de Trabalho (ACT) BRISA 2020 e continuamos sem qualquer proposta concreta das empresas.


A empresa que anunciou a intenção de vender 80% do seu capital social, segundo a imprensa, por um valor superior a 2 mil milhões de euros, ainda não apresentou qualquer proposta aos trabalhadores.

 

Demonstra que os fantásticos lucros resultantes de anos consecutivos com aumento de tráfego e receita nunca são suficientes!

 

+Informações

2º reunião de negociação entre o CESP e a DRH da DHL Supply Chain


A DHL recusa negociar um Acordo de Empresa com o CESP.

 

A DHL apenas se compromete a analisar a possibilidade de haver alguma melhoria salarial para 2020.


Sabendo que, em 2009, os trabalhadores recebiam bastante acima do SMN (Salário Mínimo Nacional) e em 2019 esse valor reduziu, hoje, esses mesmos trabalhadores recebem pouco mais que o SMN, resultando numa enorme perda de poder de compra e desvalorização da qualificação dos trabalhadores sentidas nos últimos anos.

 

+Informações

Reivindicações dos trabalhadores da FNAC para 2020


Com a luta conseguimos em 2019 que a FNAC satisfizesse reivindicações e resolvesse um conjunto de problemas sentidos pelos trabalhadores.


Em 2020 é fundamental o aumento significativo dos salários de todos os trabalhadores, o cumprimento pela FNAC das normas legais e do Contrato Colectivo de Trabalho, bem como se exige a valorização dos trabalhadores, das suas carreiras e qualificações adquiridas e o fim da precariedade.

 

Consulte o Caderno Reivindicativo

SONAE CONTINUA A ADIAR A REUNIÃO PARA DISCUSSÃO DO CADERNO REIVINDICATIVO DOS TRABALHADORES


A Sonae/Continente, que preside à APED (Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição), e que se recusa a negociar a revisão do Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), com os seus lucros de muitos milhões de euros, pratica baixíssimos salários, ao nível do salário mínimo nacional, mesmo aos trabalhadores especializados com 10, 15, 20, 30 anos de trabalho na empresa.


Os trabalhadores do Grupo Sonae já deram a conhecer o seu Caderno Reivindicativo à administração da empresa, em relação ao qual deveria ter sido dada uma resposta no inicio de Dezembro.


Mais uma vez, a Sonae voltou a adiar a reunião, desta vez para o início do mês de Janeiro.

 

+Informações

Lidl não dá resposta satisfatória às exigências e necessidades dos Trabalhadores


O CESP, no passado dia 17 de Dezembro de 2019, reuniu com a Direcção de Recursos Humanos (DRH) do Lidl para (suposta) discussão do Caderno Reivindicativo dos trabalhadores Lidl para 2020.


Começa a ser já normal por parte do Lidl só aceitar reunir com o CESP depois de comunicar aos trabalhadores o que pretenderá implementar no próximo ano fiscal e com isto desvirtua a reunião, que não é de negociação mas sim de mera informação sobre as decisões tomadas pela administração.


Perante isto, os trabalhadores com o apoio do seu Sindicato de classe irão, em plenários e reuniões, decidir as formas de luta adequadas para exigir o aumento dos salários em 90€ para todos os trabalhadores.

 

+Informações

Em período de Natal, a melhor prenda para os trabalhadores da DIA Portugal é a certeza do seu futuro


Neste período, em que as empresas do sector multiplicam por todo o país as suas vendas e respectivos lucros, aos trabalhadores da DIA Portugal resta apenas a incerteza de não saber onde estarão daqui a um ano.


Esta situação não é aceitável e é urgente denunciar a postura de completo desprezo e insensibilidade da administração perante quem ainda gera lucros que lhes alimentam os salários milionários que têm recebido para levar a empresa à ruína!


É inaceitável o comportamento da Direcção de Recursos Humanos, que se recusa a reunir com a comissão sindical do CESP, ignorando assim as preocupações, aspirações e até contributos dos muitos trabalhadores que esta representa.


Os trabalhadores exigem ser ouvidos e respeitados!

 

+Informações

Trabalhadores da José Mello Saúde avançam para a luta pela aplicação da sua Convenção Colectiva de Trabalho

 

Grande Participação nos Plenários de Trabalhadores


Foram realizados no último mês Plenários de Trabalhadores em diversas unidades do Grupo José Mello Saúde – CUF Descobertas, CUF Belém, CUF Miraflores, Contact Center - com destaque para a participação de mais de 50 trabalhadores no plenário realizado na CUF Infante Santo.


Actividade Sindical


No passado dia 21 de Novembro, o CESP reuniu com o Grupo José de Mello Saúde, na sua sede, onde foram debatidos diversos assuntos (mais informações no link).

 
Eleição de novo Delegado Sindical do CESP


No passado dia 20 de Novembro, foi eleita uma nova delegada sindical na CUF Descobertas, Isabel Franco, confirmando-se o trabalho que tem sido realizado pelo Sindicato.


Plenário Geral de trabalhadores do Grupo José Mello Saúde
Hospital CUF Infante Santo
Dia 20/12/2019
14 horas

 

+Informações

Os Trabalhadores da Giovanni Galli
EXIGEM O CUMPRIMENTO DO CCT EM CADA REGIÃO


As ilegalidades cometidas pela empresa castigam os trabalhadores e reduzem os seus rendimentos mensais!


A empresa não pode descontar minutos ou horas aos trabalhadores!

 

Caderno Reivindicativo para 2020


As reivindicações, apresentadas em anexo, são justas e ao alcance de uma empresa como a Giovanni Galli. É altura do reconhecimento do esforço de todos os trabalhadores que a dignificam diariamente através do seu trabalho que deve ser reconhecido.

 

+Informações

Trabalhadores da Malo Clinic elegem a sua Delegada Sindical
CESP exige o cumprimento dos direitos dos trabalhadores


Reforçando o trabalho que o Sindicato vem fazendo neste local em defesa dos interesses e dos direitos de todos os trabalhadores foi eleita a delegada sindical Cátia Gomes.


Estamos convictos que em breve estaremos em condições para a eleição de um novo delegado sindical dado o crescimento de sindicalização por parte dos trabalhadores.

 

+Informações

PCT Administrativos: Um Parto difícil

 

Depois de muita pressão e insistência por parte do nosso sindicato, o CESP, vai finalmente ser publicada a portaria que actualiza os rendimentos de muitos milhares de trabalhadores. Esta publicação é da única e exclusiva responsabilidade do Governo e é inadmissível que seja publicada sempre com atraso prejudicando dessa forma os trabalhadores.

 

Consulte a tabela salarial

CADERNO REIVINDICATIVO DOS TRABALHADORES DO GRUPO AUCHAN 2020


A política salarial da empresa não respeita os princípios da igualdade, equidade e justiça e não valoriza quem, ao longo dos anos, tem dado o seu melhor em termos de dedicação e profissionalismo.


Há uma clara estagnação salarial e uma efectiva desvalorização dos trabalhadores com mais anos de trabalho.


O AUCHAN tem condições para melhorar as condições de vida e de trabalho dos seus  trabalhadores.

 

+Informações sobre o Caderno Reivindicativo

Os trabalhadores do Pingo Doce/Jerónimo Martins
Exigem melhores condições de vida e de trabalho

 

Com a luta conseguiram-se avanços (ainda que discriminatórios) nos salários e noutras matérias.

 

Vamos continuar a lutar para termos aumento real dos salários para todos e valorização das carreiras, qualificações e experiência profissional.


90€ (3€/DIA) PARA TODOS EM JANEIRO 2020


O aumento significativo dos salários e a valorização das carreiras e profissões são imperativos nacionais para que o país se desenvolva e haja efectiva valorização do trabalho e dos trabalhadores.


É possível e necessário, a empresa pode com os milhões de lucros que tem!

 

Conheça a proposta de caderno reivindicativo

CADERNO REIVINDICATIVO DOS TRABALHADORES DO GRUPO SONAE PARA 2020

 

Os trabalhadores reivindicam
para o ano de 2020:

  • Aumento dos salários em €90/mês (3€/dia) para todos os trabalhadores, garantindo a diferenciação salarial dos diferentes níveis e categorias e considerando a antiguidade sem discriminações, e o fim da tabela B (mais baixa, que se aplica em todos os distritos excepto Lisboa, Porto e Setúbal);
  • A promoção automática dos Operadores de Armazém até à categoria profissional de Operador Especializado, com categorias e carreiras equiparadas aos operadores de loja e a integração dos trabalhadores da Well’s na carreira de Técnico;
  • Aumento do subsídio de alimentação em 1€/dia;
  • Passagem a efectivos dos trabalhadores com vínculos precários a exercer funções de carácter permanente;
    Horários humanizados que permitam a conciliação da vida profissional, familiar e social;
    Entrega dos recibos em papel ou por Email aos trabalhadores que o solicitem.


Para além destas que são as principais reivindicações dos trabalhadores, existem outras propostas nos vários locais de trabalho que estão também no Caderno Reivindicativo já entregue à Empresa.


EXIGIMOS TAMBÉM:


35 Horas semanais para todos os trabalhadores
25 Dias úteis de férias
Encerramento aos domingos e feriados

 

+Informações

VALE A PENA LUTAR!
DHL/SONAE VÃO REPOR O HORÁRIO DA PAUSA A MEIO DO 1º PERÍODO DE TRABALHO NO ARMAZÉM PLAZA 1 DE AZAMBUJA


Os trabalhadores da DHL e da Fashion Division do Armazém Plaza 1 da Sonae em Azambuja têm vindo a exigir a reposição do horário da pausa a meio do 1º período de trabalho diário, que tinha sido alterado para ser gozado junto da hora de refeição.


Face às respostas negativas a esta reivindicação, os trabalhadores decidiram realizar períodos de greve diários, de 1 hora, entre 19 e 22 de Novembro, tendo o CESP emitido o respectivo pré-aviso de greve.


Posteriormente, o CESP foi informado pela DHL Supply Chain que vão repor as pausas de 15 minutos entre o horário de entrada e o de intervalo para refeição.

 

+Informações

Aumento do Subsídio de Alimentação e mais 2 dias de Férias em 2020 na NRD


Após nova reunião de negociação do caderno reivindicativo, conseguimos:

  • Em 2020 todos os trabalhadores poderão ter direito a mais 2 dias úteis de férias, em função das regras de majoração e assiduidade.
  • Aumento do subsídio de alimentação. O CESP exige que seja a plicado a todos os trabalhadores o valor mais alto praticado na empresa. A NRD comprometeu-se a aumentar o valor, não tendo no entanto garantido que o fará nos moldes exigidos pelos trabalhadores.


O CESP exige que a NRD termine com a discriminação entre trabalhadores e pague a todos o mesmo valor de subsídio de refeição.


Estas conquistas somam às anteriormente alcançadas de aumento dos salários de todos os trabalhadores.

 

+Informações

 

Trofa Saúde impede o CESP de realizar Actividade Sindical desrespeitando este direito e a liberdade sindical consagrada na Constituição da República Portuguesa e na Lei

 

 

O CESP vem denunciar que a Trofa Saúde não cumpre a Lei nem respeita a nossa Constituição, conforme disposto no seu Artigo 55.º, Liberdade Sindical, que estabelece o direito ao exercício de actividade sindical nas empresas. 

 

 

Também está consagrado no Artigo 460.º do Código do Trabalho, que os trabalhadores e os sindicatos têm direito a desenvolver actividade sindical na empresa, no entanto, a Trofa Saúde, nos seus Hospitais da Amadora e de Loures, abertos recentemente, impede de modo ilegal que o CESP contacte com os trabalhadores.

 

 

Já no passado dia 16/09/2019, o CESP pretendia realizar actividade sindical no Trofa Saúde Hospital Loures, tendo decidido agendar uma nova data, após compromisso do Sr. Dr. Jorge Curval que seriam disponibilizadas as condições necessárias para o seu efeito.

 

 

Lamentavelmente, a palavra não chega para alguns e no dia 31/10/2019, no Trofa Saúde Hospital Amadora foi novamente proibida a entrada do Sindicato para dialogar com os trabalhadores, pelo que, foi necessário chamar as autoridades policiais para registar a ocorrência. 

 

Qual o motivo da Trofa Saúde para tentar impedir que o CESP esclareça os trabalhadores dos seus direitos?

 

 

Sendo a Trofa Saúde filiada na Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP), será que pretende que aos seus trabalhadores não seja aplicada a Convenção Colectiva de Trabalho subscrita pelo CESP, que consagra os seus direitos?

 

 

Também neste mesmo dia foi apresentada queixa na Autoridade das Condições de Trabalho (ACT) e solicitada a sua rápida intervenção na reposição da legalidade de modo a que o Sindicato possa exercer, a breve prazo, actividade sindical nestes locais de trabalho.

 

 

O CESP continuará a lutar e a exigir o cumprimento da Liberdade Sindical, direito conquistado com o 25 de Abril.

 

 

 

31 de Outubro de 2019

 

A Direcção Nacional do CESP

A Associação Portuguesa da Hospitalização Privada  reconhece que a Convenção Colectiva  de Trabalho está em vigor e denunciou o CCT na tentativa de retirar direitos aos trabalhadores.


O CESP e os Trabalhadores sempre tiveram razão quando afirmam que o Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), subscrito pela FEPCES, na qual somos filiados, publicada no BTE Nº 43 de 22/11/2000, está em vigor, pelo que, exigimos a sua aplicação imediata, aos trabalhadores nossos sindicalizados.


O CESP utilizará todos os meios ao seu alcance, incluindo os tribunais, para exigir o cumprimento da sua Convenção Colectiva de Trabalho nomeadamente em matéria de  diuturnidades.

 

+Informações

Revisão ACT BRISA 2020
Preparação Propostas


Publicada recentemente a revisão do ACT Brisa 2019, é necessário preparar as propostas de revisão do ACT Brisa para 2020.

 

Nos últimos anos, além da melhorias salariais conseguiu-se alguns avanços em pretensões antigas e com isto conseguiu-se valorizar o trabalho e os trabalhadores do Grupo Brisa.


Após a pressão e denúncia do sindicato, verificam-se novas contratações para sectores essenciais e onde não eram efectuadas novas contratações, por vezes há mais de uma década!

 


PARTICIPA!


As tuas reivindicações são as nossas! As de todos os trabalhadores do

Grupo BRISA


Vamos desenvolver contactos nos diferentes locais de trabalho para juntos discutirmos e actualizar-mos o Caderno Reivindicativo, donde sairão as propostas para a negociação do ACT 2020!

 

+Informações

Acordo de Empresa entre o CESP e a DHL Supply Chain

 

Estamos a iniciar um processo de negociação de um Acordo de Empresa (AE) entre o CESP e a DHL Supply Chain que vai regulamentar, pela primeira vez, as relações de trabalho na DHL Supply Chain.


A DHL Supply Chain sempre recusou negociar um Acordo de Empresa, refugiando-se nessa postura para impor baixos salários, desregulamentação dos horários e fracas condições de trabalho aos trabalhadores.


O CESP apela à necessidade de dar mais força às reivindicações incluídas no AE, desde logo pelo aumento real e significativo dos salários, rompendo com a situação actual e contribuindo para a dignificação dos trabalhadores e para o desenvolvimento do país.


Assim, propomos o aumento de 90€ mensais para todos os trabalhadores

 

+Informações

CESP reuniu com a Luz Saúde, ACE e exigiu o cumprimento da sua Convenção Colectiva

 

Luz Saúde, ACE recusa-se a cumprir a Constituição da República e proibiu actividade sindical

 

+Informações

Os trabalhadores da Fernando M A Pinheiro e o CESP unidos pelo aumento real dos salários e pela defesa dos seus direitos

 

+Informações

Proposta Caderno Reivindicativo dos Trabalhadores da Dia Portugal para 2020

 

No final do ano de 2019, mantém-se a urgência em melhorar as condições de vida e de salário na Dia Portugal.


Após um período conturbado para todos na empresa, vive-se neste momento um ambiente de alguma recuperação da confiança dos trabalhadores e clientes em Portugal.


Uma recuperação que tem de se reflectir na melhoria das condições de vida e no aumento dos salários da maior fonte de riqueza da Dia Portugal: os seus trabalhadores.


É urgente alterar o estado de coisas!


Em 2020, continua a estar na mão dos trabalhadores, com a sua luta, a transformação para melhor das condições de salário, de vida e de trabalho nas lojas e armazéns da Dia Minipreço e Clarel.

 

+Informações

EL CORTE INGLÉS: É URGENTE, NECESSÁRIO E POSSÍVEL AUMENTAR OS SALÁRIOS!


No passado dia 11 de Junho, reunimos novamente com os Recursos Humanos da empresa, fazendo chegar vários assuntos que são as preocupações dos trabalhadores.


Entre eles existe a questão dos baixos salários, que muitos trabalhadores, com antiguidade na empresa, auferem, causando um enorme sentimento de injustiça, frustração e desvalorização, em relação aos salários dos novos colegas, recém-chegados à empresa, ainda sem conhecimentos sobre as suas funções nem sobre o produto.


Perante esta situação, foi-nos dito que foi feito um plano para os próximos 3 anos, com o objectivo de aumentar os salários mais baixos, com valores superiores a 1,5%, de forma a diminuir estas discrepâncias entre trabalhadores.


Brevemente iremos divulgar a proposta de Caderno Reivindicativo para 2020,
para tua aprovação!

 

+Informações

O CESP e os trabalhadores do Hospital da Luz exigem a aplicação imediata da sua Convenção Colectiva de Trabalho


No passado dia 4 de Setembro, o CESP reuniu com a Direcção de Recursos Humanos tendo como ponto único a aplicação da Convenção Colectiva de Trabalho (CCT) subscrita pela FEPCES, do qual o CESP é filiado, publicada no BTE Nº 43 de 22/11/2000.


Nessa reunião exigimos para os sócios do CESP a aplicação com efeitos imediatos, da referida Convenção, nomeadamente no que se refere ao pagamento de Diuturnidades, Trabalho Suplementar, Trabalho nocturno, Trabalho prestado aos sábados e domingos e ao pagamento do Trabalho em dias de descanso e feriados.


A empresa, tentando atrasar a aplicação do referido CCT solicitou o envio de ofício a formalizar o pedido. O CESP acedeu fazê-lo, pese embora o Hospital da Luz, SA, pelo principio da filiação, já dever estar a aplicar esta Convenção aos trabalhadores sindicalizados no CESP.

 

+Informações

A FERRAMENTA USADA PARA ASSEDIAR OS TRABALHADORES DO GRUPO SONAE TEM NOME – IOP

 

Entre o final do ano de 2017 e o inicio do ano de 2018, o sindicato teve conhecimento da existência de uma nova ferramenta de gestão de recursos humanos no grupo Sonae.

 

A Sonae afirmou em 2018 que a maioria dos seus trabalhadores conheciam e utilizavam regularmente o IOP, numa tentativa de ocultar aquilo que os trabalhadores denunciaram, a grande maioria desconhecia a existência do sistema e os que conheciam, desconheciam todas as suas funcionalidades, principalmente as mais perversas.

 

No final de 2018 o Sindicato já depois de reunido várias vezes com a Sonae para resolver as preocupações denunciadas pelos trabalhadores, elaborou um documento informativo contendo uma minuta de recusa de tal sistema, tendo também a empresa alterado alguns aspectos a nível de conteúdo do IOP.

 

Junta-te aos vários trabalhadores que já se opuseram. Preenche e entrega a declaração de recusa. Contacta o Sindicato!

 

+Informação

Aos Trabalhadores Grossistas de Material Eléctrico e Electrónico:
Acordada revisão do Contrato Colectivo de Trabalho
Novos salários e subsídios desde 1 de Janeiro de 2019


Processo negocial para 2020


Vamos começar a preparar a proposta a apresentar à AGEFE com a exigência do aumento geral dos salários de todos os trabalhadores, garantindo a valorização do trabalho e dos trabalhadores, das suas carreiras e profissões.


A tua participação na preparação da proposta de negociação do CCT para 2020 é fundamental para continuarmos a defesa e conquista de direitos.


Contacta o Sindicato. Envia-nos as tuas propostas e reivindicações.

 

+Informações

CCT para os Trabalhadores em Grossistas de Produtos Químicos e Farmacêuticos:
Novos Salários e Subsídios com efeitos a 1 de Janeiro de 2019!


Foi possível chegar a acordo para revisão dos salários e subsídios para o ano de 2019 e, com a persistência da FEPCES/CESP, foram aumentados todos os níveis da tabela.

 

+Informações

A ACA quer retirar direitos e salários aos trabalhadores!


Depois de várias reuniões entre o CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) e a ACA (Associação Comercial de Aveiro), quer no âmbito da negociação, quer em sede de conciliação na DGERT/Ministério do Trabalho, a ACA continua a insistir em retirar o pagamento do trabalho nocturno aos trabalhadores.

As partes já tinham negociado e acordado algumas matérias sem perda de nenhum direito:
  • Aumentos salariais de 20 euros para todos os níveis (igual ao aumento do SMN)
  • Aumento no subsídio de alimentação para 4,70 euros (hoje é de 4,30euros)


A ACA não recuou na sua proposta de retirar direitos aos trabalhadores!


O CESP apresentará nova proposta para entrar em vigor em 2020, sendo que não deixaremos que os trabalhadores percam salário nem direitos!

 

+Informações

Retalhista de Coimbra: Vale a pena lutar!

 

Após 10 anos sem haver publicação do Contrato Colectivo de Trabalho (CCT), para os trabalhadores do comércio retalhista do distrito de Coimbra, foi possível chegar a acordo com a associação patronal (ACIFF) para a revisão da tabela salarial e subsídios a partir de 1 de Maio de 2019.

 

+Informações

 

BRISA: AVANÇAR NA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO E DE VIDA!


No seguimento do processo negocial da revisão do ACT BRISA 2019, os trabalhadores do Grupo continuam a lutar pela melhoria das condições de trabalho e vida.


Estando entregue uma parte das avaliações de desempenho referentes ao ano de 2018, já é possível fazer um balanço de mais um processo de avaliação.


Onde se constata que, mais uma vez, grande parte dos trabalhadores não se revê nesta avaliação!


O CESP está a recolher assinaturas de todos os trabalhadores para que seja possível alterar esta situação e contribuir para um sistema de avaliação objectivo, claro e justo.


Se não concordas com os moldes da avaliação de desempenho, subscreve o abaixo-assinado e vamos demonstrar às empresas que não abdicamos de participar na construção do sistema de avaliação!

 

+Informações

Se é possível nas IPSS's
É possível nas Misericórdias


Exigimos o Aumento dos Salários e o Pagamento Acrescido de 100% do Trabalho de Escala em dia Feriado

 

+Informações

Lucros do El Corte Inglés em Portugal sobem 36,7% para 24,6€ milhões mas os Trabalhadores continuam mal pagos!

 

Em 26 de Julho de 2018, era este o título de uma notícia no Jornal de Negócios, que dava a informação de que o El Corte Inglés, em Portugal, teria fechado o seu exercício fiscal de 28 de Fevereiro de 2018 com um lucro de 24,6 MILHÕES de euros, tendo tido vendas superiores a 479 milhões, batendo os recordes!


E a pergunta surge... não pode o El Corte Inglés aumentar os salários dos seus trabalhadores, que auferem um vencimento pouco acima do Salário Mínimo Nacional?

 

+Informações

REUNIÃO DO CESP COM A DHL E A ETCP NO MINISTÉRIO DO TRABALHO SOBRE O PROCESSO DE TRANSMISSÃO DE EMPRESA:

 

FICAM GARANTIDOS OS DIREITOS DOS TRABALHADORES

A EULEN não respeita as leis, nem os seus trabalhadores!


A Eulen não respeita as leis, nem os seus trabalhadores, no que diz respeito aos horários, às categorias profissionais, às boas condições de trabalho, tanto do ponto de vista físico como moral, à prevenção de riscos e doenças profissionais, tendo em conta a protecção da segurança e saúde do trabalhador.


Ganha acção em Tribunal Judicial da Comarca de Castelo Branco:

  • A EULEN TEVE QUE DEVOLVER ÀS TRÊS TRABALHADORAS: 3812,86 EUROS!
  • Tem de ser pago o trabalho nocturno com um acréscimo de 30% além do trabalho normal (entre as 20h e as 07h);
  • Tem de ser pago o subsídio de feriado ou o trabalho em dia de folga, com um acréscimo de 100% da retribuição pelo trabalho prestado nesse dia e mais um dia de descanso nos três dias seguintes;
  • Têm de ser pagas as Diuturnidades;
  • Têm de ser pagos os Domingos trabalhados;
  • Tem de ser pago o Complemento do subsídio e subvenção de doença.

 

+Informações

GREVE DE 24 HORAS - 18 DE JUNHO
ACÇÃO ÀS 14H30 NA SEDE DA DIA MINIPREÇO


Lutamos pela dignidade e pela melhoria das condições de trabalho

 

A meio de 2019, continuamos com baixos salários, horários desregulados, insegurança, repressão e desrespeito por parte da Direcção da empresa.
Os sucessivos encerramentos e terceirizações de lojas que, desde 2017, provocaram a saída de mais de mil trabalhadores da empresa (despedimento colectivo ilegal), os rumores de insolvência e consequente receio dos trabalhadores com o seu despedimento, o contínuo degradar da situação financeira e da imagem da empresa têm tido consequências desastrosas na estabilidade dos trabalhadores e suas famílias.


O CESP exige uma negociação séria, que dignifique a vida de quem trabalha no sector e na Dia Portugal!


Por tudo isto, e também pelo contínuo marcar e desmarcar de reuniões com o CESP, numa clara falta de respeito pelos trabalhadores e o seu sindicato, e integrando a grande jornada de luta nacional no sector que está a ser desenvolvida nas empresas de distribuição, todos nós temos muitas razões para avançar para um dia de luta nacional no dia 18 de Junho, com greve e acção na sede da empresa.

 

O CESP requereu reunião com a empresa para dia 18 de Junho às 14h30!

 

+Informações

DHL quer “roubar” os Fins de Semana, a saúde e a vida pessoal aos Trabalhadores de Vila Nova da Rainha!


A alteração de horário no armazém da DHL de Vila Nova da Rainha, terá consequências negativas para a vida e saúde dos trabalhadores da empresa, nomeadamente na conciliação entre a vida profissional e a vida pessoal e familiar.

 

A Comissão Sindical considera que as situações irregulares devem ser imediatamente corrigidas porque não respeitam regras fundamentais a observar na sua elaboração, em especial, colidem com o direito à saúde e à vida familiar dos
trabalhadores, não se coadunam com a responsabilidade social da empresa.

 

O CESP apela a que todos os trabalhadores da DHL de Vila Nova da Rainha se unam e lutem contra este ataque gravoso à vossa saúde e vida pessoal.

 

+Informações

INFORMAÇÕES SOBRE O CADERNO REIVINDICATIVO DA DHL


Os trabalhadores dos armazéns de logística da DHL Exel Supply Chain Portugal, S.A, reunidos em plenários nos dias 10 e 13 de Maio de 2019, manifestaram o seu descontentamento pela proposta da empresa às suas reivindicações.


Os trabalhadores reunidos decidiram que, logo que haja informação concreta sobre as suas reivindicações reunirão em novos plenários para analisar a situação e decidir em conformidade, manifestando a sua determinação em continuar a luta em defesa das suas reivindicações.

 

+Informações

A ID LOGISTICS PRATICA OS SALÁRIOS MAIS BAIXOS DE ENTRE OS BAIXOS SALÁRIOS PRATICADOS PELAS EMPRESAS DO SECTOR


Um Operador de Armazém da ID Logistics com 10 anos de casa aufere o mesmo salário de um Operador de Armazém com 1 mês de casa. Ambos ganham o Salário Mínimo Nacional.


É inaceitável que os trabalhadores dos armazéns da ID Logistics são dos que têm salários mais baixos entre os trabalhadores do sector.


Vamos continuar a defender sempre a importância do aumento dos salários e da diferenciação salarial pelas funções exercidas, especialização e experiência adquirida dos Operadores de Armazém.

 

+Informações

Garagens, Postos de Abastecimento e Parques de Estacionamento:

Acordada revisão do CCT para 2019
Novos salários a partir de 1 de Fevereiro de 2019


Após um longo processo negocial, foi possível chegar a acordo com associação patronal para a revisão da tabela salarial e subsídios a partir de 1 de Fevereiro de 2019.


É o momento de exigir das empresas o cumprimento dos valores agora acordados:

 

  • Aumento salarial médio de 7 a 10 euros na tabela salarial;
  • Subsídio de alimentação – 4,77€;
  • Pequeno-Almoço – 3,30€;
  • Almoço ou Jantar – 10,80€;
  • Dormida – 30,30€.

 

+Informações

MAIO - MÊS DE LUTA DOS TRABALHADORES DO GRUPO AUCHAN


O Secretariado Nacional do Grupo Auchan reuniu e decidiu emitir pré-aviso de greve para o dia 1 de Maio e que, caso a empresa não responda positivamente às reivindicações dos trabalhadores, no mês de Maio levará a cabo acções à porta de várias lojas do Grupo Auchan em todo o país.

 

+Informações

GRANDE PARTICIPAÇÃO DOS TRABALHADORES DA JOSÉ MELLO SAÚDE EM GREVE HISTÓRICA DA HOSPITALIZAÇÃO PRIVADA!


Esta Greve foi histórica porque, pela primeira vez, juntou trabalhadores de vários Grupos de Saúde Privada num mesmo objectivo comum a todos e que ao mesmo acreditam que só através da Unidade é possível Avançar na Defesa dos seus Direitos e na exigência a esta Associação Patronal para negociar com o seu Sindicato de classe, o CESP.

 

+Informações

OS TRABALHADORES DA LUZ SAÚDE ELEGERAM A DELEGADA SINDICAL!


Face à ilegalidade da entidade patronal em ceder um espaço para a realização da eleição da Delegada Sindical, no passado dia 15 de Março, à porta do Hospital da Luz, os trabalhadores num acto de grande coragem em defesa dos seus direitos e da sua delegada sindical, levaram a efeito esta eleição, apesar da presença de vários “seguranças” da empresa numa clara postura intimidatória e ameaçadora.

 

+Informações

Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Tel: 222 074 200

Fax: 222 037 674

Folheto
LUPA FINAL.jpg
JPG Image 549.9 KB
CGTP-IN
Garante os teus direitos. Sindicaliza-te

Contactos CESP
CESP Notícias
Interjovem - CESP Jovem